As dificuldades de relacionamento entre irmãos, como por em pratica o amor ensinado por Jesus!

 Olá, gostaria de sugerir uma discussão a respeito dos relacionamentos difíceis entre irmãos, pois sinto que vivo com uma antagonista perene. Buscamos sempre uma conciliação, mas, as provocações são constantes. Não me julgo uma santa, muito pelo contrário, mas, por ser espírita, vivo esbarrando nos ensinamentos que recebi, principalmente aquele que fala " A quem muito foi dado, muito será pedido", sei que já recebi muito, mas, a tolerância  tem que ser diária! Se é difícil no meu caso, imagino que muitas pessoas devam passar por questões semelhantes! Amar quem nos ama e é gentil é fácil, ser gentil e amar quem nos aferroa, há é outra coisa!

 Jesus nos ensinou a perdoar, mas, não disse que seria fácil. Exercício constante, tenho esperanças de aceitar, não provocar e não perceber as provocações e vocês o que pensam sobre essa questão?

Exibições: 3334

Responder esta

Respostas a este tópico

O conflito é muito perigoso em circunstâncias desse tipo, e só causa dor para ambos os lados. Como você já tem um pouco mais de esclarecimento, em momentos de embate, tranquilize-se, na certeza de que "ninguém erra o endereço na reencarnação" e tudo isso é para o seu bem. Tenha paz no coração porque você está um pouco mais avançada em matéria de esclarecimentos, na atual encarnação. Muita Paz!!!

OI também gostaria, de saber sobre relacionamentos dificieis entre irmãos,sugerindo palestras sobre o assunto.obrigado.

Tem um livro do Raul Teixeira , Conflito Familiares, deveria ler.
Pesquisa ótima. Procure seu enfoque que mais precisa.pesquisa em
Livros da Ermance Daufaux,tem" Diferenças não são Defeitos"
De Wanderley Oliveira, onde ensina
Como conviver com as Diferenças.
Poderia ler Livros dos espíritos parte II, tem livros espíritos que e a base da doutrina espirita,
Espíritos, questão número 480 até 549.
Muita oração, você teria fazer Evangelho no lar,
Que aqui tem curso Segunda-feira, livros dos Espíritos,
Com Carlos Alberto Braga 5a. Feira. Faca prece diária para quem te perturba.
Meu nome angela, poderei ajudar, mas tente fazer curso aqui Livros
Dos espíritos, de Allan Kardec. Onde contém toda Parte mais
Importante da Doutrina Espirita.
Traz muita resposta pela vida, eu faço com
Carlos Alberto Braga e tome seu passe semanal.
Paz de Jesus.



angela carneiro da cunha disse:

Tem um livro do Raul Teixeira , Conflito Familiares, deveria ler.
Pesquisa ótima. Procure seu enfoque que mais precisa.pesquisa em
Livros da Ermance Daufaux,tem" Diferenças não são Defeitos"
De Wanderley Oliveira, onde ensina
Como conviver com as Diferenças.
Poderia ler Livros dos espíritos parte II, tem livros espíritos que e a base da doutrina espirita,
Espíritos, questão número 480 até 549.
Muita oração, você teria fazer Evangelho no lar,
Que aqui tem curso Segunda-feira, livros dos Espíritos,
Com Carlos Alberto Braga 5a. Feira. Faca prece diária para quem te perturba.
Meu nome angela, poderei ajudar, mas tente fazer curso aqui Livros
Dos espíritos, de Allan Kardec. Onde contém toda Parte mais
Importante da Doutrina Espirita.
Traz muita resposta pela vida, eu faço com
Carlos Alberto Braga e tome seu passe semanal.
Paz de Jesus.
Foi muito útil as suas instruções, vou buscar essas Obras literárias para me ajudarem nesta fase. É muito bom contar com sua ajuda. Sabe Angela, estou estudando o Livro dos Espíritos, junto com a turminha da Mocidade Espírita daqui, também estudamos o Livro Mediunidade de Terezinha de Oliveira, sabe, estudo nunca será o suficiente, pois a cada vez que releio uma obra descubro detalhes que me passaram despercebidos. Te agradeço as dicas, vou buscar as Obras que não tenho e seguir seu conselho! 
Sou de um Grupo semanal de desobsessão da Casa em que frequento, e como médium recebo passes sim, toda semana. Agora estou conseguindo conviver melhor com as diferenças e aceitando melhor minha irmã do jeito que ela é! Graças á Deus, mas, é um dia de cada vez! Grande Abraço!
Que Jesus Ilumine seus Passos, indicando sempre o melhor caminho a seguir!
Atenciosamente:
Sua amiga de ideal:
Marlí

      O processo evolutivo, criado por Deus, nos coloca num mundo ameaçador. Aqui encontramos, ao nosso redor, as ameaças de outros ‘eus’ e da própria natureza. E, então, nada mais q, naturalmente, de nossa ignorância (com q somos criados por Deus) nascer o medo e com este, nasce, tb naturalmente, o egoísmo, como uma espécie de defesa contra esse mundo ameaçador, e q nos acompanhará eqto acreditarmos q dela necessitamos.

      Isso explica pq somos assim “antagonistas perenes”, como diz a amiga.

      Qto à questão do amor não é fácil de ser entendida. Pois, Jesus falou: Amai sempre! Perdoai os q lhe querem fazer o mal! etc. Todos, religiões e religiosos sempre dizem tão somente "o que fazer": “amai! perdoai!” Mas, absolutamente ninguém diz o “como fazer”. Como fazer para ter amor no coração? Como fazer para amar e perdoar aquele q estupra e mata nossa filhinha, a alegria de nosso viver? Como perdoar aqueles q arrancam, a machadadas, os pés de nossos meninos queridos, aqueles q levam nossos filhos à escravidão às drogas, etc etc? Quem é que sabe ensinar como colocar amor num coração vazio de amor? Ninguém! Por isso nos é tão dificil amar e perdoar! E, como a vida é dificil e sofrida para todos, sempre temos "um pé para trás" numa defesa contra o mundo onde somos colocados por Deus.

      Sobre o tema, há muito a se dizer. Mas, pelo meu modo de entender, não deveria nem mesmo existir essa pergunta: "como por em prática o amor ensinado por Jesus?".

      Primeiro: se existe amor, ninguém precisará saber como pô-lo em prática pois sua manifestação será espontânea, sem endereço determinado, para todos, sejam bons ou maus.

      Segundo: amor ninguém ensina e ninguém aprende nem por conselhos, nem por ensinamentos falados ou escritos, nem por exemplos de quem quer que sejam, mesmo que sejam de Jesus.

Bom Marli.A sua questão é muito pertinente.Me identifiquei muito com ela, pois sou o caçúla de 4 irmãos em que a convivência com eles já virou questão de subexistência.Não temos nada em comum.Os dois mais velhos são estúpidos,egoístas e esnobes.O outro,próximo a mim,é um coitado,revoltado,vítima do menospreso dos meus irmãos e sim,dos meus pais que sempre tiveram predileção por meus irmãos mais velhos.Devido a isso,meu irmão do meio se tornou um homem revoltado e incompleto,por não conseguir lidar com isso e descontava toda sua raiva em mim.

Sim,fui vítima de bulling durante toda minha infância e adolescência.Fui sempre axincalhado e esnobado,mas consegui superar graças a Doutrina Espírita.Já ele não.

Hoje,o diálogo com meus irmãos mais velhos é difícil por que olham para nós como se fossem superiores.O problema é que eles não tem motivo ou moral nenhuma para agirem assim.Meu irmão do meio,hoje está casado mas continua revoltado e imaturo.Um dia ele chegou em casa totalmente embriagado e tentou bater em sua filha adolescente com uma corrente de cachorro.Eu agi rápido e impedi o pior.Trocamos socos.Eu então pedi para coversarmos e ele aceitou.O semblante dele estava totalmente alterado.Percebi que ele não estava em si naquele dia,literalmente.Passamos a madrugada inteira "dialogando".Na verdade foi um monólogo, onde ele despejou todo o seu ódio e desespero que tinha guardado no peito pela família contra mim.Me agrediu verbalmente de todo o tipo de formas possíveis,que culminou na ameaça de morte que ele me fez.

Nessa ocaisão,utilisei todo o meu conhecimento espírita até o momento,mantendo-me calmo em prece e conversando com ele amigavelmente,citando passagens do evangelho e mensagens edificantes até ele se acalmar,tentando abraçá-lo de vez em quando,deixando que ele desabafasse.E que desabafo!

É nesse tipo de ocasião que nós devemos agir como verdadeiros Cristãos.Buscando equilíbrio e rogando a Deus e aos bons espíritos que nos auxiliem.Esse acontecimento já faz alguns meses.Depois disso ele ainda aprontou outras,espancou a mulher enquanto estava bebado.A mulher o deixou e ele quase perdeu o juízo.A família toda teve que se unir(com toda a derrota)para trazê-lo de volta a razão.Depois de um tempo a mulher voltou para ele,fazendo ele se acalmar.

Hoje,ele e a mulher estão desempregados,por culpa dele mesmo.Passam necessidades e precisam das cestas básicas que o irmão que ele jurou de morte um dia traz do centro que frequenta, para se alimentarem.

A Doutrina Espírita me ajudou muito a superar meu complexo de inferioridade que adquiri devido ao ambiente em que vivi/vivo e por conseguinte,as diferenças com meus irmãos.Antigamente vivia tomando as dores deles para mim,mas hoje aprendi que cada um recebe a cota de bem ou de mal que faz na vida,mais cedo ou mais tarde,segundo suas próprias obras.O esforço para entender nossa família é sempre contínuo,nunca vai parar.

Espero que com essa minha contribuição você entenda que há pessoas que passam por crises piores e conseguem superá-las com fé em Deus e em si mesmos.

Espero que seu irmão e você façam as pases e sejam mais felizes.

Muita paz.

      Meus queridos amigos Marly, Wanderson e quem mais estiver por aí: a doutrina espirita, como todos os q são sensatos, aconselham a raciocinar profundamente para entendê-la e para, em consequência, entender a vida.

      Sendo assim, provocado pelo q tantos amigos colocam nesta Rede Amigo Espirita, lhes pergunto: os amigos já raciocinaram, como a própria doutrina manda, para compreenderem pq as coisas, pq o mundo, pq as suas e as nossas vidas são assim? Pq os pais muitas vezes preferem mais a uns do que a outros? Pq um é um coitado, revoltado, menosprezado? Pq um despeja sua revolta e raiva nos outros?

      Já refletiram e concluíram sobre qual a causa de uns serem vítimas de bulling, de maldades, caçoadas, e de outros serem os provocadores dessas maldades? De uns terem sido achincalhados e de outros achincalharem? De existirem esses que, sem pena, praticam o bulling, achincalham e maltratam os demais, eqto outros são apenas suas vítimas?

      E já refletiram sobre qual é a causa que fez q vc encontrasse a superação disso tudo na doutrina espirita, eqto outros nem mesmo sabem q a doutrina existe?

      E pq uns se julgam superiores e outros se julgam inferiorizados? Pq uns seguem princípios morais e outros não? Pq uns se tornam imaturos e outros se tornam maduros mesmo antes do tempo? Pq há conflitos entre irmãos? Pq uns se embebedam e se tornam violentos, outros se embebedam e não se tornam violentos, eqto outros nunca se embebedam e ainda outros, mesmo sem se embebedarem, se tornam violentos?

      Pq vc encontrou a doutrina espírita? Pq vc se sentiu por ela ajudado, ao passo q outros a desprezam? Pq muitos acreditam nas doutrinas eqto outros fogem delas? Pq vc superou seu complexo de inferioridade, passou a crer na doutrina e se deu bem nela, eqto outros nem superam seus complexos, nem se dão bem na doutrina e nem creem nela?

      Afinal, meus jovens, já se perguntaram pq há tantos maus, maldosos, egoístas, orgulhosos, perversos e pervertidos? Pq, mesmo sabendo, como diz a doutrina, q “cada um recebe conforme suas obras”, muitos não dão atenção a essas palavras, ou mesmo riem delas?

      Pq vcs, seus irmãos, seus pais, e todos nós, q somos, no ato da criação, perfeitamente iguais, nos tornamos, depois, tão gigantescamente desiguais, uns se encaminhando para o amor e, consequentemente, para a felicidade, eqto outros se encaminham para o mal, e em consequência, para as mais extremas infelicidades?

      E pq uns, como vc, tem fé em Deus, e outros não? E as crises que nos fazem sofrer, pq elas existem, pq devido a elas uns sofrem mais do que outros?

      Afinal, meus jovens, pq uns são bons e outros são maus? O q é bom, simplesmente quis ser bom, escolheu ser bom e se tornou bom? E o mau, simplesmente, quis ser mau, escolheu se maus e se tornou mau?!!

      Já raciocinaram e refletiram profundamente sobre isso? Quem, desse raciocínio, conseguiu chegar a concluir, a conhecer a causa de pq um é bom e o outro é mau? 

...........................

Amiga Marli !

Como vê essa é uma questão que afeta-nos a todos, em minha opinião tais implicações são inerentes a nossa condição de espíritos ainda imperfeitos e se já nos alcançou o entendimento que a Doutrina Espirita nos faculta sintamos encorajados em reverter sentimentos antagônicos.

Lembremos que nem mesmo JESUS foi compreendido pelos seus irmãos e quanto mais nos aprofundamos na compreensão de seu EVANGELHO mais claro fica o nosso papel nesse contexto. Despertar simpatia -empatia é trabalho de dedicação ininterrupta pois em outros episódios  de nossas experiencias no corpo-físico  criamos embaraços ou dificuldades a esses corações levando-os a se desiludir diante da vida, e a vida só traz de volta o que projetamos a sua direção.

Independentemente disso eis a oportunidade presente, considerando que o Pai concede todos o meios para o nosso progresso e esse é apenas um dos caminhos que nos conduz até ELE.

Lembremos- QUE em MUITAS situações-e-circunstancias da vida é melhor o SILÊNCIO - acompanhada da exemplificação... no mais é com DEUS.

Bençãos e Luzes 

Cláudio.

Para Claudio M fir:

      Conf: amigo Claudio M fir, sobre o q vc disse a Marli, gostaria de lhe perguntar, se é q vc tem a resposta:

      - pq é q em outras experiências na carne criamos embaraços e dificuldades (sofrimentos, muitas vezes terríveis, é isso?!) a nossos irmãos, levando-os até a se desiludirem diante da vida, se sabemos q a vida depois, nos fará sofrer o que fizemos os outros sofrerem?

      - pq, podendo escolher fazer o bem e, em consequência, ser mais felizes, escolhemos fazer o mal, fato q significa q estamos escolhendo sofrer, estamos escolhendo ser atingidos pelas mais extremas infelicidades, q são as consequências da terrível lei divina de causa e efeito, e que q implicam em sofrimentos desesperadores e insuportáveis?

     - com certeza, escolha tão absurda só a farão os desequilibrados mentais ou aqueles q ignoram profundamente as coisas do espírito, concorda? Pois quem é q, podendo escolher não sofrer, escolhe sofrer, senão desequilibrados mentais e assemelhados?

      - Sendo assim, qual é a causa dos sofrimentos desses q escolhem fazer o mal? A justiça perfeita de Deus pune desequilibrados mentais ou quem seja absolutamente ignorante de Suas leis? Se não pune esses, a quem ela pune?

      Claudio escreveu:...Independentemente disso eis a oportunidade presente, considerando que o Pai concede todos os meios para o nosso progresso e esse é apenas um dos caminhos que nos conduz até ELE.

      Conf: sem dúvida, entre esses meios está o sofrimento, talvez o mais usado pois é o q mais vemos no mundo; mas temos de perguntar: o processo evolutivo criado por Aquele é amor e justiça, terá como método mais eficiente de aprendizagem, o fazer sofrer, e fazer sofrer de modo cruel, torturante, e por multiplicadas encarnações a se estenderem por milhões de anos?!

      Como podemos entender isso?

.............

Caro amigo e irmão luís !

Será que sabemos mesmo?
Se na presente existência sentimos dificuldade para realizar ações de desprendimento, de desculpar a mais simples ofensa, de sermos solidários e fraternos e a questão aqui não é simplesmente aparentarmos pois podemos teatralizar virtudes enquanto que em nosso íntimo guardarmos sentimentos dos mais inconfessáveis alimentando ressentimentos e magoas.
Ninguém escolhe sofrer pelo menos em sã consciência o sofrimento é resultado de nossas escolhas, assim nossas ações são as causas enquanto que o sofrimento são seus efeitos.
Se plantamos um pé de goiaba não esperemos que de Jaboticaba.
Se nossas ações forem boas logo seus resultados são benéficos para nós mesmos. A lei de causa e efeito não é terrível já que nossa vida é infinita preenchida por lapsos de esquecimento que a encarnação propicia, é através das existências sucessivas que a alma se desenvolve tornando-se autoconsciente de si mesma
Só existira sofrimentos desesperadores e insuportáveis se limitarmos a nossa visão a essa existência e se considerarmos Deus injusto.
Todos nós em graus diversos de entendimento ainda não superamos nossas deficiências morais logo sofremos e com efeito levamos muitos aborrecimentos aos nossos irmãos. Mas isso não é um estado definitivo Deus nos concede diversas oportunidades no intuito de desfazermos do homem velho para refazer ressurgir em nós o homem novo.
Deus não pune nem castiga tudo que chega até nós serve como incentivo para o nosso crescimento espiritual.
A nossa família reflete os resultados que semeamos em jornada anteriores, as conquistas alcançadas ou a que falta por alcançar.
São espíritos simpáticos em alguns casos ou espíritos que necessitam de nosso concurso fraterno, nada que não resulta da lei maior que tem como definição o AMOR, erros cometidos pela nossa incúria e desamor retorna agora pedindo a nossa contribuição.
Deus é sábio e suas leis imutáveis
E quanto mais evoluídos mais conscientes delas nos tornamos.
Ninguém escolhe sofrer entendamos que o MAL resulta de nossa ignorância frente a LEI MAIOR que se encontra nessa máxima AME O PRÓXIMO COMO a ti  MESMO E NÃO FAÇA A OUTREM O QUE NÃO GOSTARIA QUE FIZESSE CONTIGO.

Amigo, Luis !

                    Seus apontamento brotam de todo alma realmente interessada em aprender afinal esse é o nosso objetivo. Compreender para aceitar e assim sabiamente viver !! Claro que não tenho a pretensão de elucidar todas as duvidas e confesso minhas deficiências... Como um aprendiz que me posiciono por isso não respondo por vaidade mas num singelo desejo de compartilhar algumas reflexões.

Se reconhecemos a necessidade de investigar e perscrutar os enigmas da vida é sinal que estamos num caminhar de aprendizado constante isso não se remete apenas a religiosidade a ciência se torna forte aliada abrindo caminhos de descobertas e redescobertas que engrandece a vida. O homem vai se descobrindo na medida que empreendi uma viagem consciente em buscas de respostas racionais que lhe satisfaça. A Doutrina dos Espíritos como sabemos é progressiva ela avança na medida que o próprio homem avança em suas descobertas, simplesmente porque a ciência quer respostas e o homem quer se compreender.

A melhor forma de aprender algo é aceitar nossa ignorância ou incompetência sobre determinado assunto, se assim posicionarmos não pretenderemos julgar tudo ao nosso critério e juízo, basta dizer não sei ensina-me. Jesus nos ensinou que devemos AMAR mas pelo visto não estamos levando a sério, basta olharmos ao nosso redor é nisso que deveríamos nos esforçar, aprender a Amar desenvolver esse sentimento em nós. Partindo do princípio que nada sabemos – simples e ignorantes – começamos a nossa trajetória evolutiva onde Deus nos concede algumas ferramentas para lapidar a nós mesmos, criando em torno de nós nossa própria realidade, tudo dentro de Leis que condicionam o SER a se desenvolver, nas diversas manifestações da vida. Na medida que adentramos numa faixa de entendimento em que a razão desabrocha a liberdade se projeta, nos posicionando diante da vida com novos quadros de responsabilidades.

Passamos a ser responsáveis pelas nossas escolhas quer sejamos conscientes ou não da Lei que nos governa, assumindo com isso um compromisso com a nossa consciência. Sendo a lei justa tratara cada qual mediante as luzes já adquirida. A evolução é regra geral para todos, as leis naturais trabalham com essa finalidade. Não importando o credo religioso e se aceitamos ou não a reencarnação ou se endossamos as fileiras dos céticos ou materialistas.  Se tratamos essa questão a sério passamos a compreender que os males que nos afetam agora se não surgiram nessa existência tudo nos leva a acreditar que são oriundos de outras existências. Diversos espíritos que se encontram presentes conosco nessa existência podem já terem convividos conosco em outras oportunidades e o tipo de relação que mantemos com eles hoje é um desdobramento da anterior se a relação não é boa cabe-nos muda-la através da vontade bem dirigida e com conhecimentos que já possuímos.

--------------------------------------------------------------------------------------

Pensar

O pensamento é a nossa capacidade criativa em ação. Em qualquer tempo, é muito importante não nos esquecermos disso. A ideia forma a condição; a condição produz o efeito; o efeito cria o destino. A sua vida será sempre o que você esteja mentalizando constantemente... Em razão disso, qualquer mudança real em seus caminhos, virá unicamente da mudança de seus pensamentos. Imagine a sua existência como deseja deva ser e, trabalhando nessa linha de ideias, observará que o tempo lhe trará as realizações esperadas. As leis do destino carrearão de volta a você tudo aquilo que você pense. Nesta verdade, encontramos tudo o que se relacione conosco, tanto no que se refere ao bem, quanto ao mal. Observe e verificará que você mesmo atraiu para o seu campo de influência tudo o que você possui tudo aquilo que faz parte do seu dia-a-dia...Deus é Amor e não pune criatura alguma. A própria criatura é que se culpa e se corrige, ante os falsos conceitos que alimente com relação a Deus. Em nosso íntimo a liberdade de escolher é absoluta; depois da criação mental que nos pertence, é que nos reconhecemos naturalmente sujeitos a ela. O Bem Eterno é a Lei Suprema; mantenha-se no bem a tudo e a todos e a vida se lhe converterá em fonte de bênçãos. Através dos princípios mentais que nos regem, de tudo aquilo de nós dermos aos outros, receberemos dos outros centuplicadamente.

Autor / Fonte: Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Respostas da Vida. Ditado pelo Espírito André Luiz. Capítulo 23

 

 

 

Abaixo segue descrição que nos ajuda a refletir melhor

 

A Gênese » A Gênese » Capítulo III - O bem e o mal » Origem do bem e do mal »

1. Sendo Deus o princípio de todas as coisas e sendo todo sabedoria, todo bondade, todo justiça, tudo o que dele procede há de participar dos seus atributos, porquanto o que é infinitamente sábio, justo e bom nada pode produzir que seja ininteligente, mau e injusto. O mal que observamos não pode ter nele a sua origem.

2. Se o mal estivesse nas atribuições de um ser especial, quer se lhe chame Arimane, quer Satanás, ou ele seria igual a Deus, e, por conseguinte, tão poderoso quanto este, e de toda a eternidade como ele, ou lhe seria inferior.

No primeiro caso, haveria duas potências rivais, incessantemente em luta, procurando cada uma desfazer o que fizesse a outra, contrariando-se mutuamente, hipótese está inconciliável com a unidade de vistas que se revela na estrutura do Universo.

No segundo caso, sendo inferior a Deus, aquele ser lhe estaria subordinado. Não podendo existir de toda a eternidade como Deus, sem ser igual a este, teria tido um começo. Se fora criado, só o poderia ter sido por Deus, que, então, houvera criado o Espírito do mal, o que implicaria negação da bondade infinita. (Veja-se: O Céu e o Inferno, cap. IX: “Os demônios”.)

3. Entretanto, o mal existe e tem uma causa.

Os males de toda espécie, físicos ou morais, que afligem a Humanidade, formam duas categorias que importa distinguir: a dos males que o homem pode evitar e a dos que lhe independem da vontade. Entre os últimos, cumpre se incluam os flagelos naturais.

O homem, cujas faculdades são restritas, não pode penetrar, nem abarcar o conjunto dos desígnios do Criador; aprecia as coisas do ponto de vista da sua personalidade, dos interesses factícios e convencionais que criou para si mesmo e que não se compreendem na ordem da Natureza. Por isso é que, muitas vezes, se lhe afigura mau e injusto aquilo que consideraria justo e admirável, se lhe conhecesse a causa, o objetivo, o resultado definitivo. Pesquisando a razão de ser e a utilidade de cada coisa, verificará que tudo traz o sinete da sabedoria infinita e se dobrará a essa sabedoria, mesmo com relação ao que lhe não seja compreensível.

4. O homem recebeu em partilha uma inteligência com cujo auxílio lhe é possível conjurar, ou, pelo menos, atenuar os efeitos de todos os flagelos naturais. Quanto mais saber ele adquire e mais se adianta em civilização, tanto menos desastrosos se tornam os flagelos. Com uma organização sábia e previdente, chegará mesmo a lhes neutralizar as consequências, quando não possam ser inteiramente evitados. Assim, com referência, até, aos flagelos que têm certa utilidade para a ordem geral da Natureza e para o futuro, mas que, no presente, causam danos, facultou Deus ao homem os meios de lhes paralisar os efeitos.

Assim é que ele saneia as regiões insalubres, imuniza contra os miasmas pestíferos, fertiliza terras áridas e se indústria em preservá-las das inundações; constrói habitações mais salubres, mais sólidas para resistirem aos ventos tão necessários à purificação da atmosfera e se coloca ao abrigo das intempéries. É assim, finalmente, que, pouco a pouco, a necessidade lhe fez criar as ciências, por meio das quais melhora as condições de habitabilidade do globo e aumenta o seu próprio bem-estar.

5. Tendo o homem que progredir, os males a que se acha exposto são um estimulante para o exercício da sua inteligência, de todas as suas faculdades físicas e morais, incitando-o a procurar os meios de evitá-los. Se ele nada houvesse de temer, nenhuma necessidade o induziria a procurar o melhor; o espírito se lhe entorpeceria na inatividade; nada inventaria, nem descobriria. A dor é o aguilhão que o impele para a frente, na senda do progresso.

6. Porém, os males mais numerosos são os que o homem cria pelos seus vícios, os que provêm do seu orgulho, do seu egoísmo, da sua ambição, da sua cupidez, de seus excessos em tudo. Aí a causa das guerras e das calamidades que estas acarretam, das dissenções, das injustiças, da opressão do fraco pelo forte, da maior parte, afinal, das enfermidades.

Deus estabeleceu leis plenas de sabedoria, que têm por único objetivo o bem; em si mesmo encontra o homem tudo o que lhe é necessário para segui-las; sua rota é traçada por sua consciência; a lei divina está gravada em seu coração; e, ao demais, Deus lhes lembra constantemente por intermédio de seus messias e seus profetas, por  todos os Espíritos encarnados que trazem a missão de o esclarecer, moralizar e melhorar e, nestes últimos tempos, pela multidão dos Espíritos desencarnados que se manifestam em toda parte. Se o homem se conformasse rigorosamente às leis divinas, indubitavelmente evitaria os mais agudos males e viveria feliz na Terra. Se ele não o faz, é em virtude do seu livre-arbítrio, e sofre então as consequências. (O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. V, nos 4, 5, 6 e seguintes.)

7. Entretanto, Deus, todo bondade, pôs o remédio ao lado do mal, isto é, faz que do próprio mal saia o remédio. Um momento chega em que o excesso do mal moral se torna intolerável e impõe ao homem a necessidade de mudar de vida. Instruído pela experiência, ele se sente compelido a procurar no bem o remédio, sempre por efeito do seu livre-arbítrio. Quando toma melhor caminho, é por sua vontade e porque reconheceu os inconvenientes do outro. A necessidade, pois, o constrange a melhorar-se moralmente, para ser mais feliz, do mesmo modo que o constrangeu a melhorar as condições materiais da sua existência (nº 5).

8. Pode dizer-se que o mal é a ausência do bem, como o frio é a ausência do calor. Assim como o frio não é um fluido especial, também o mal não é atributo distinto; um é o negativo do outro. Onde não existe o bem, forçosamente existe o mal. Não praticar o mal, já é um princípio do bem. Deus somente quer o bem; só do homem procede o mal. Se na criação houvesse um ser preposto ao mal, ninguém o poderia evitar; mas, tendo o homem a causa do mal em SI MESMO, tendo simultaneamente o livre-arbítrio e por guia as leis divinas, evitá-lo-á sempre que o queira.

Tomemos para termo de comparação um fato vulgar. Sabe um proprietário que nos confins de suas terras há um lugar perigoso, onde poderia perecer ou ferir-se quem por lá se aventurasse. Que faz, a fim de prevenir os acidentes? Manda colocar perto um aviso, tornando defeso ao transeunte ir mais longe, por motivo do perigo. Aí está a lei, que é sábia e previdente. Se, apesar de tudo, um imprudente desatende o aviso, vai além do ponto onde este se encontra e sai-se mal, de quem se pode ele queixar, senão de si próprio?

Outro tanto se dá com o mal: evitá-lo-ia o homem, se cumprisse as leis divinas. Por exemplo: Deus pôs limite à satisfação das necessidades: desse limite à saciedade adverte o homem; se este o ultrapassa, fá-lo voluntariamente. As doenças, as enfermidades, a morte, que daí podem resultar, provêm da sua imprevidência, não de Deus.

 

9. Decorrendo, o mal, das imperfeições do homem e tendo sido este criado por Deus, dir-se-á, Deus não deixa de ter criado, se não o mal, pelo menos, a causa do mal; se houvesse criado perfeito o homem, o mal não existiria.

Se fora criado perfeito, o homem fatalmente penderia para o bem. Ora, em virtude do seu livre-arbítrio, ele não pende fatalmente nem para o bem, nem para o mal. Quis Deus que ele ficasse sujeito à lei do progresso e que o progresso resulte do seu trabalho, a fim de que lhe pertença o fruto deste, da mesma maneira que lhe cabe a responsabilidade do mal que por sua vontade pratique. A questão, pois, consiste em saber-se qual é, no homem, a origem da sua propensão para o mal.[1]

10. Estudando-se todas as paixões e, mesmo, todos os vícios, vê-se que as raízes de umas e outros se acham no instinto de conservação, instinto que se encontra em toda a pujança nos animais e nos seres primitivos mais próximos da animalidade, nos quais ele exclusivamente domina, sem o contrapeso do senso moral, por não ter ainda o ser nascido para a vida intelectual. O instinto se enfraquece, à medida que a inteligência se desenvolve, porque esta domina a matéria.

O Espírito tem por destino a vida espiritual, porém, nas primeiras fases da sua existência corpórea, somente às exigências materiais lhe cumpre satisfazer e, para tal, o exercício das paixões constitui uma necessidade para o efeito da conservação da espécie e dos indivíduos, materialmente falando. Mas, uma vez saído desse período, outras necessidades se lhe apresentam, a princípio semimorais e semimateriais, depois exclusivamente morais. É então que o Espírito exerce domínio sobre a matéria, sacode-lhe o jugo, avança pela senda providencial que se lhe acha traçada e se aproxima do seu destino final. Se, ao contrário, ele se deixa dominar pela matéria, atrasa-se e se identifica com o bruto. Nessa situação, o que era outrora um bem, porque era uma necessidade da sua natureza, transforma-se num mal, não só porque já não constitui uma necessidade, como porque se torna prejudicial à espiritualização do ser. Muita coisa, que é qualidade na criança, torna-se defeito no adulto. O mal é, pois, relativo e a responsabilidade é proporcionada ao grau de adiantamento.

Todas as paixões têm, portanto, uma utilidade providencial, visto que, a não ser assim, Deus teria feito coisas inúteis e, até, nocivas. No abuso é que reside o mal e o homem abusa em virtude do seu livre-arbítrio. Mais tarde, esclarecido pelo seu próprio interesse, livremente escolhe entre o bem e o mal.

[1] O erro está em pretender-se que a alma haja saído perfeita das mãos do Criador, quando este, ao contrário, quis que a perfeição resulte da depuração gradual do Espírito e seja obra sua. Houve Deus por bem que a alma, dotada de livre-arbítrio, pudesse optar entre o bem e o mal e chegasse a suas finalidades últimas de forma militante e resistindo ao mal. Se houvera criado a alma tão perfeita quanto ele e, ao sair-lhe ela das mãos, a houvesse associado à sua beatitude eterna, Deus tê-la-ia feito, não à sua imagem, mas semelhante a si próprio. (Bonnamy, A Razão do Espiritismo, cap. VI.)

 

 

Responder à discussão

RSS

ASSOCIE-SE E COLABORE

Últimas atividades

Nadia Rosangela e Lenice Agemiro Silveira agora são amigos
7 horas atrás
Ana Oliveira curtiram a discussão BONS E MAUS PENSAMENTOS de Ari Carrasco Silveira
11 horas atrás
Conceição Valadares curtiram o evento “Antídoto à Obsessão”, com Alisson Guedes Pessoa ao vivo pela Rede Amigo Espírita de Carlos Pretti - SCEE
12 horas atrás
Ícone do perfilMyrian de Oliveira Gonçalves, Alda Teixeira, Jorgina de Sousa Ferraz e mais 4 pessoas entraram em REDE AMIGO ESPÍRITA
13 horas atrás
Maria Luiza Furtado Rocha curtiram a discussão Nos momentos difíceis: Trabalho, solidariedade e tolerância de Feeak Minas
14 horas atrás
Maria Luiza Furtado Rocha curtiram a discussão Nos momentos difíceis: Trabalho, solidariedade e tolerância de Feeak Minas
14 horas atrás
Maria Luiza Furtado Rocha curtiu a postagem no blog OS ESPÍRITOS INFERIORES - por Léon Denis. de ANA MARIA TEODORO MASSUCI
14 horas atrás
Maria Luiza Furtado Rocha curtiu a postagem no blog “NOSSOS FILHOS SÃO ESPÍRITOS- COMO LIDAR COM ELES. ” de ANA MARIA TEODORO MASSUCI
14 horas atrás
Posts no blog por PATRIZIA GARDONA
15 horas atrás
Carlos Pretti - SCEE curtiram o evento “Antídoto à Obsessão”, com Alisson Guedes Pessoa ao vivo pela Rede Amigo Espírita de Carlos Pretti - SCEE
18 horas atrás
Luciana Galeno curtiu a postagem no blog O homem ...corpo alma e perispírito de EliethTavares Castro
20 horas atrás
Ícone do perfilEdileuza R. Rodrigues e Ariane Kelly da Costa entraram no grupo de Nelson Peixoto de Souza Filho
21 horas atrás
Miriam Thomé curtiu a postagem no blog O homem ...corpo alma e perispírito de EliethTavares Castro
21 horas atrás
carlos alberto rombão curtiram o perfil de Maria de Fátima Agra de Miranda
21 horas atrás
Posts no blog por EliethTavares Castro
22 horas atrás
Maria Lucineide Sampaio comentou o vídeo de Carlos Pretti - SCEE
ontem
Maria Lucineide Sampaio curtiu o vídeo de Carlos Pretti - SCEE
ontem
Carlos Ser curtiu a postagem no blog Puritanismos ou inaceitável comércio do Consolador???... (Jorge Hessen) de os pae
ontem
Aline Esnarriaga curtiram o perfil de Celso Ventura
ontem
Aline Esnarriaga e Celso Ventura agora são amigos
ontem

Regras de uso e de publicação

 

 

© 2018   Criado por Amigo Espírita.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço