Fim de ano nas casas espíritas 

Orson Peter Carrara
Matão/SP


Permito-me transmitir aos amigos, com permissão do autor, um depoimento valioso que precisa ser divulgado e conhecido. Refere-se com competência à velha questão do fim de ano nas casas espíritas, onde, em
muitos casos, as atividades são suspensas. O depoimento do amigo vale pela
oportunidade da reflexão. Acompanhe:

 

“(...) Eu sempre fui partidário de que as Casas Espíritas não suspendam o trabalho no período do Natal para que os espíritas possam se unir fraternalmente nesta data. Neste ano de 2010, eu fui convidado para fazer
Palestra no dia de Natal (sábado, 25), às 18h30, na cidade de ...., no .....
Aceitei de imediato, pois para mim, não existe presente maior que estar
reunido, nesta data, com irmãos que professam a mesma fé. O dirigente me disse:
nossa casa é nova e este será o primeiro ano, depois que começamos, que o
Natal será no sábado, dia em que temos Palestra. Será nossa primeira experiência neste sentido.
 Todos os sábados, incansavelmente os frequentadores e trabalhadores da casa era notificados que no dia do Natal, às 18h30, a casa estaria aberta para recebê-los, que a tarefa aos sábados não seriam interrompidas. Também haverá palestra no dia primeiro do ano. No sábado 25 estivemos lá para a Palestra, minha esposa e eu. Aos poucos os espíritas foram chegando e no horário marcado, a casa estava quase lotada.
Eram, aproximadamente, 120 pessoas. Posso lhes dizer que a noite foi divina, o ambiente estava iluminado e com a sensaçao de alguma coisa que vibrava
intensamente no ar. No final da palestra o público estava radiante de alegria e
muitas pessoas agradeceram, emocionadas, a oportunidade que tiveram de terem, realmente, uma noite feliz. Posso lhes dizer, sem medo de errar, que minha esposa e eu trouxemos daquela noite nosso melhor presente de Natal. (...)”

 

            A constatação do amigo é óbvia, mas precisamos sempre nos lembrar dela. O convencionalismo de datas e mesmo nossa acomodação não devem interromper tarefas importantes da vivência diária de aprendizados e oportunidades de crescimento. Claro que há situações e situações, mas é preciso ficar atento para a que a realidade da prevalência do espírito sobre o corpo seja intensamente vivida. Os interesses espirituais são muito mais importantes que os interesses do plano material. 

 

 

 

 


 Orson Peter Carra é Escritor e orador espírita. Constultor Editorial residente em Matão/SP



Exibições: 481

Respostas a este tópico

 

Que Pena !!!

Caro Amigo Orson e leitores deste Blog que o Aparecido vem de forma incansável diariamente e cotidianamente trazendo-nos informes de adesões, palestras, artigos na sua ampla divulgação da  Doutrina Espírita, desejo-lhes paz e bênçãos a  todos.

Orson, como você  disse  ha situações e situações e grande maioria das casas não é do desconhecimento dos leitores que nesses dois dias no ano não mantém a atividade na casa Espírita.

Gostaria de endossar suas palavras quanto às  dádivas que recebemos quando conseguimos esse intento, mas óbvio há situações em que numa família nem todos os casais, ambos são espíritas, assim sendo creio salvo melhor juízo, devemos buscar o bom senso e na impossibilidade de manter as portas da casa Espírita aberta, que quando da  costumeira  reunião familiar no Natal.

Saliente-se que nada há de fanatismo no que você diz e nem tampouco nas minhas  considerações, pois, lembremo-nos das palavras do Mestre quando ele proferiu que “muitos seriam os chamados, poucos seriam os escolhidos”;  mas eu diria na minha pouca sabedoria que “muitos são chamados, poucos serão aqueles que aceitarão o chamado e uma quantidade menor ainda  será escolhida.

Nessa  data, convém nos lembremos que, no Natal o aniversariante é Jesus e não os homens e muitos se esquecem disso, nem si quer se  lembram de reservar alguns minutos para o “Grande Aniversariante”, dedicando-lhe o carinho todo especial, convidando a todos os que estão nesse  festejo doméstico em que é regado ao farto alimento e bebida, nenhum momento de silencio, recolhimento e oração ao aniversariante se  faz.

Grande maioria das vezes, o aniversariante não recebe nenhum cumprimento pelo natalício, nenhum presente Lhe é ofertado e grande maioria das vezes Ele comparece ao festejo doméstico, mas nem é reconhecido.

É claro que há nisto um sentido figurado, pois, embora a mesa seja farta, poucos se lembram, a importância nesses minutos de oração e dispoêm a colocar um prato de alimento ‘a  disposição, caso haja nos arredores, que esteja com fome, que   bata à nossa porta para podermos saciar a sua fome... quantos são que nesses momentos de festejos, se alguém mal trajado bater à porta ,surge o “pré julgamento”, de alguém que logo vem dizendo :

- Cuidado porque nestas noites, esses que bate à porta podem ser um aproveitador ou um ladrão e ai , lá se foi a grande oportunidade de cumprir mais uma  recomendação do Mestre:

“ tudo aquilo que a eles fizerem, é a mim que o fazes”.

Nesse festejo, logo em seguida, entra inesperadamente para a alegria dos convivas, um “velhinho barrigudo”, vestido de vermelho, soltando o seu famoso hôôô,hôôô,hôôô, presenteando  crianças com celulares, as pré-adolescentes e adolescentes com um vale uma “ aplicação de botox, uma plástica de mama: só porque passaram de ano...  

A essência do abraço sincero, do beijo gostoso dos filhos e dos pais, parecem que não tem mais valia no mundo atual...

O respeito aos mais velhos, professores, vizinhos, nos pais dos amigos, desapareceu como num passe de mágica e vale mais a lei do “ levar vantagem em tudo” essa sim é a qualidade que vigora em grande parte nos seres....

Abraços, foram trocados por automóveis;

Pagar dívida em dia é ser tonto;

Respeito aos mais velhos, “ o que é isso mesmo?”

Tudo isso desapareceu e tornou ridículo e mais  ridículo ainda é se levantar no meio de parentes e amigos e pedir um minuto de silencio para agradecermos ao Criador e dar o presente simples de uma oração ao aniversariante.

Que pena, que o “Ter” ganhou o lugar do “Ser”;

Que pena, que muitos não sabem mais apreciar a vida e valorizar o simples fato de poder levantar-se sozinho, sem necessitar da ajuda de ninguém e fazer a sua higiene pessoal, tomar o seu café por mais simples que ele seja sem que ninguém precise auxiliado-lo;

Que pena, que muitos não sabem mais apreciar uma noite cheia de estrelas e que enquanto dormimos o sol nos prepara o belo espetáculo do novo amanhecer.

Que pena, que muitos não percebam o perfume das folhes nem tampouco o colorido das pincelas do exímio Pintor da Natureza e definitivamente o belo para  eles não existe mais...

Que pena que muitos não considerem o amanhã como um belo amanhecer.

Como dizia o poeta  Cassimiro de Abreu:

Oh! que saudades que tenho

Da aurora da minha vida,

Da minha infância querida

Que os anos não trazem mais!

Que amor, que sonhos, que flores,

Naquelas tardes fagueiras

À sombra das bananeiras,

Debaixo dos laranjais!

Como são belos os dias

Do despontar da existência!

— Respira a alma inocência

Como perfumes a flor;

O mar é — lago sereno,

O céu — um manto azulado,

O mundo — um sonho dourado,

A vida — um hino d'amor!

Que pena...

Que pena que devaneios, não se façam mais;

Que juras de amor, hoje é coisa do passado...

Que pena, que  muitos ainda esperam que o Mestre bata-lhes ao portão e  diga :

“vem e toca em minhas chagas e  veja r  que sou Eu que voltei”....

 

Orson, amigo, que pena que muitos que ainda nem se lembrem mais Dele.

Que pena...

Paz ao seu Espírito.

Alfredo

 

 

       

 

 

Parabéns Alfredo pela sua colocação sobre o tema "FIM DE ANO NAS CASAS ESPÍRITAS". Concordo com você quando diz que nem sempre é possível, nessas datas, nos afastarmos do nosso lar para comparecer à Casa Espírita, visto que nem todos os membros da família professam a mesma crença. No meu caso, e acredito que o mesmo ocorre com a maioria das donas de casa, a situação é ainda mais complicada, porque cabe a nós a organização das festividades para que aqueles familiares que vêem de longe para estarem conosco encontrem um ambiente acolhedor e profícuo. Procuro manter nesta data, o pensamento conectado com a Espiritualidade amiga não me esquecendo de que o principal motivo de toda essa confraternização é seu "GRANDE ANIVERSARIANTE - JESUS". Não conto com o apoio dos demais para fazer uma prece, porém antes da "comilança" e da distribuição dos presentes, recolho-me a um lugar tranquilo e elevo a Jesus meu pensamento de gratidão e amor por tudo que tenho recebido e que às vezes, não dou o devido valor. É assim que procedo .
Quanto à Casa Espírita que frequento, procuro trabalhar o mais corretamente possível durante todo o ano me colocando sempre a disposição da Espiritualidade, dos dirigentes, dos companheiros de lida e principalmente daqueles que nos chegam em busca de uma palavra amiga , de um carinho ou de um alimento para suprir suas necessidades físicas.
Obrigada, amigo, por nos trazer palavras tão esclarecedoras e sábias que nos fortalecem a fé e nos conduzem ao caminho do servir.
Um fraterno abraço e feliz 2011 !!!

Aparecida, sou grato pela apreciação do meu artigo.

Desejo-lhe que a espiritualidade esteja sempre contigo e copm seus  familiares, a fim de que conseguigas sempre o equilíbrio necessário para mantê-la unida dentro dos preceito cristão.

Sempre que posso, não perco a oportunidade de sempre  convidar aqueles que estão ao meu redor para uma refleção sobre  tudo aquilo que ttemos sem mesmo pedirmos nada ao Criador.

Faço parce do CVV aqui em Botucatu, e ele é a politico e a reliigioso, mas sempre nos preparamos para essa ardua  tarefa e peço à Mestre Jesus e à  Deus o amparo para  cumprir com minhas  obrigações, religiosas, familiares, profissionais, enfim, costumo dizer aos meus amigos que me acompanham nos  socorros  Espirituais 'as UTIs que habitualmente  fazemos: " NÃO DESPERDICEM NENHUMA OPORTUNIDADE DE  AJUDAR  AQUELES  QUE NECESSITAM".

Desejo-lhe paz e bençãos 'a  vc  e aos  seus.

Abraço fraterno

Alfredo


 Excelente.

RSS

APLICATIVO RAETV

Nosso aplicativo para download gratuito no Google Play

COLABORE COM A RAE

PRÓXIMOS EVENTOS AO VIVO

Artigos Espíritas

HÁ AMOR NO QUE VOCÊ FAZ? - Nelson Xavier

HÁ AMOR NO QUE VOCÊ FAZ?

“Quanto mais eu escrevo, mais as palavras aparecem. Quanto mais eu vivo, mais a vida me esquece.

Quanto mais eu choro, mais as lágrimas descem. Quanto mais eu amo,…

Reflexões sobre as Leis Naturais.

Reflexões sobre as Leis Naturais.

 

Quando se inicia o estudo da Lei Divina ou Natural, que consta em O Livro dos Espíritos, percebe-se que Kardec, na elaboração das perguntas aos Espíritos, objetiva eliminar as contradições…

E quando o desequilíbrio da saúde mental destrói o futuro... (Artigo de Jane Maiolo)

E quando o desequilíbrio da saúde mental destrói o futuro...

 por Jane Maiolo

Por que estamos nós…

Por que nos sentimos mal em determinados ambientes?

Por que nos sentimos mal em determinados ambientes?

 

Wellington Balbo – Salvador BA

 

Você já esteve em ambientes em que se sentiu mal, constrangido, pouco à…

Por que estudar O livro dos médiuns? por Simoni Privato Goidanich

Por que estudar O livro dos médiuns?

Simoni Privato Goidanich

Artigo publicado na Revista A senda (nov-dez 2019), da Federação Espírita do Estado do…

Últimas atividades

Ori Pombal Franco curtiram o evento Votação para escolha do Projeto Médicos do Bem no Prêmio Euro de Marcílio Dias Henriques
1 hora atrás
Ori Pombal Franco curtiu a postagem no blog Amor antigo - Alma afim. de Nilton Cardoso
1 hora atrás
Ori Pombal Franco curtiu a postagem no blog Não temos para onde fugir de Nilton Cardoso Moreira
1 hora atrás
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Os “bons” são tímidos (LE q. 932) até na Universidade de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
"DEPOIS DA MORTE Em 1965, Yvonne Pereira diz que “o Evangelho é imortal, uma vez que sempre existirão cérebros e corações necessitados de renovação." Ela fala também sobre “uma…"
quarta-feira
Mauro Araújo Matoso de Lima curtiu a postagem no blog Angústias De Um Dirigente Espírita de PATRIZIA GARDONA
segunda-feira
Mauro Araújo Matoso de Lima curtiu a postagem no blog Angústias De Um Dirigente Espírita de PATRIZIA GARDONA
segunda-feira
Helena Padilha de Meneses curtiram o perfil de Helena Padilha de Meneses
segunda-feira
Ícone do perfilNilton Cardoso deu um presente para José Ricardo Fernandes
domingo
Nilton Cardoso e José Ricardo Fernandes agora são amigos
domingo
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Hanseníase. Você o conhece? de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
"  N.F.P, 23, noiva, não consegue sentir mais os pés, (...) e sua sensibilidade totalmente debilitada. Ela tem hanseníase, doença mais conhecida como lepra. Sua primeira atitude foi querer se suicidar, mas agora,…"
4 Jul
José Ricardo Fernandes curtiu a postagem no blog Amor antigo - Alma afim. de Nilton Cardoso
3 Jul
José Ricardo Fernandes curtiram o perfil de Nilton Cardoso
3 Jul

Regras de uso e de publicação

 

 

© 2020   Criado por Amigo Espírita.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço