É lícito pedir para não deixar-nos cair em tentação, mas livrar-nos do mal?

          Pela Doutrina Espírita, sabemos que as tentações fazem parte do processo depuratório do espírito, se fazendo tanto mais fortes nos estágios mais baixos da escala evolutiva.

          Penso que, sob a égide da Suprema Justiça Divina, sendo o Mal consequência de nossos atos, seria incoerente pedir a Deus para negar a Lei de Causa e Efeito e o próprio senso de justiça.


          Por isso, de forma extremamente respeitosa, pergunto: Nos dias de hoje e no estágio de conhecimento em que nos encontramos, seria lícito fazer esse pedido na Oração do Pai Nosso?

Exibições: 1265

Responder esta

Respostas a este tópico

Afinal, toda a humanidade, todos os homens estão errados, pois q todos sofrem? Como explicar isso?

O Pai não inflige aquilo que você diz ser o sofrer, mas o que digo "oportunidade" para potencializar o Bem, mediante a oportunidade de reconhecer o Mal, pelos sentimentos negativos que ele provoca, arrepender-se das atitudes que levam a esse caminho, tentar repará-las e, assim, valorizar o Bem!

Ampliando a percepção individual para o coletivo, ver-se-ia que muitos são os progressos da Humanidade...Respeito sua opinião em que generaliza uma condição para toda a humanidade, sem exceção, porém prefiro ver a vida por um prisma mais positivo.

Agradeço a oportunidade de crescimento que esta vida me dá, vibrando da seguinte forma:

Grande Foco! Força Criadora!
Nós sabemos que as leis que regem o Universo são naturais e imutáveis, e a elas tudo está sujeito.
Sabemos também que é pelo estudo, raciocínio e sofrimento derivado da luta contra os maus hábitos e as imperfeições, que o espírito se esclarece e alcança maior evolução.
Certos do que nos cabe fazer, e pondo em ação o nosso livre-arbítrio para o bem, irradiamos pensamentos aos Espíritos Superiores, para que eles nos envolvam na sua luz e fluidos, fortificando-nos para o cumprimento dos nossos deveres


luis conforti junior disse:

Só uma pergunta, amigo Marcelo, se devemos ter mais tolerância com a humanidade devido a q ela ainda está engatinhando, como entender q, mesmo o Pai não tenha tolerância com ela, pois q mesmo ainda estando engatinhando, absolutamente toda a humanidade, sem nenhuma exceção, sofre miseravelmente?

Não entendo o amigo Marcelo Pimentel dizer que o Pai não inflige sofrimentos pois, a cada ano, de 10 milhões a 20 milhões de irmãos nossos se suicidam devido a não suportarem os cruéis sofrimentos q da vida que Deus lhes deu, vêm; assim é preciso perguntar: onde estão aquele soberano amor e aquela soberana justiça q a doutrina assegura serem atributos de Deus? E onde está aquela infinita sabedoria, se o processo evolutivo que o Pai criou para seus filhos, é baseado em fazer sofrer? E como poder entender a criação divina, se absolutamente todas as criaturas, humanas e não-humanas, sem exceção de nenhuma, sofrem, fato que nos mostra que todos os espíritos, toda a criação de Deus transgride propositadamente Suas leis?!

Olá Luis!

Para voltarmos a conversar com maior objetividade, gostaria de compreender a base conceitual a partir da qual conjectura suas idéias. Desse modo, gostaria que apresentasse (preferencialmente de forma objetiva) o conceito que faz sobre as seguintes "coisas", independente do que as doutrinas dizem, simplesmente o que você aceita e crê:

1 - Deus;

2 - Universo;

3 - Homem;

4 - Ser;

5 - Espírito;

6 - Amor;

7 - Justiça.

Grande abraço.



luis conforti junior disse:

Não entendo o amigo Marcelo Pimentel dizer que o Pai não inflige sofrimentos pois, a cada ano, de 10 milhões a 20 milhões de irmãos nossos se suicidam devido a não suportarem os cruéis sofrimentos q da vida que Deus lhes deu, vêm; assim é preciso perguntar: onde estão aquele soberano amor e aquela soberana justiça q a doutrina assegura serem atributos de Deus? E onde está aquela infinita sabedoria, se o processo evolutivo que o Pai criou para seus filhos, é baseado em fazer sofrer? E como poder entender a criação divina, se absolutamente todas as criaturas, humanas e não-humanas, sem exceção de nenhuma, sofrem, fato que nos mostra que todos os espíritos, toda a criação de Deus transgride propositadamente Suas leis?!

Olá, Marcelo, vamos lá: a base da afirmação desses conceitos q apresento está na constatação, pela observação da vida, de que todos eles representam a realidade; tanto q ninguém conseguirá apontar, no que aqui tenho colocado, alguma inverdade, absurdo, incoerência ou exagero. Qto ao mais de sua msg: 

1 - Deus - o criador de absolutamente todas coisas;

2 - Universo - uma de suas criações;

3 - Homem - o espirito qdo revestido por esse perturbador corpo carnal, e habitando um mundo material;

4 - Ser - essência; aquilo q realmente somos, retiradas nossas imperfeições; espírito;

5 - Espírito - uma das criações de Deus;

6 - Amor - sentimento de desejar fazer os demais, humanos e não-humanos, felizes;

7 - Justiça - igualdade absoluta para todos.

Grande abraço.

luis conforti junior disse:

Não entendo o amigo Marcelo Pimentel dizer que o Pai não inflige sofrimentos pois, a cada ano, de 10 milhões a 20 milhões de irmãos nossos se suicidam devido a não suportarem os cruéis sofrimentos q da vida que Deus lhes deu, vêm; assim é preciso perguntar: onde estão aquele soberano amor e aquela soberana justiça q a doutrina assegura serem atributos de Deus? E onde está aquela infinita sabedoria, se o processo evolutivo que o Pai criou para seus filhos, é baseado em fazer sofrer? E como poder entender a criação divina, se absolutamente todas as criaturas, humanas e não-humanas, sem exceção de nenhuma, sofrem, fato que nos mostra que todos os espíritos, toda a criação de Deus transgride propositadamente Suas leis?!

1, 2, 3, 5 e 6 - aceito;

4 - removeria o trecho ", retiradas nossas imperfeições"

7 - Desculpe, mas não entendo Justiça como sendo igualdade absoluta para todos...

Grande abraço!

luis conforti junior disse:

Olá, Marcelo, vamos lá: a base da afirmação desses conceitos q apresento está na constatação, pela observação da vida, de que todos eles representam a realidade; tanto q ninguém conseguirá apontar, no que aqui tenho colocado, alguma inverdade, absurdo, incoerência ou exagero. Qto ao mais de sua msg: 

1 - Deus - o criador de absolutamente todas coisas;

2 - Universo - uma de suas criações;

3 - Homem - o espirito qdo revestido por esse perturbador corpo carnal, e habitando um mundo material;

4 - Ser - essência; aquilo q realmente somos, retiradas nossas imperfeições; espírito;

5 - Espírito - uma das criações de Deus;

6 - Amor - sentimento de desejar fazer os demais, humanos e não-humanos, felizes;

7 - Justiça - igualdade absoluta para todos.

Grande abraço.

luis conforti junior disse:

Não entendo o amigo Marcelo Pimentel dizer que o Pai não inflige sofrimentos pois, a cada ano, de 10 milhões a 20 milhões de irmãos nossos se suicidam devido a não suportarem os cruéis sofrimentos q da vida que Deus lhes deu, vêm; assim é preciso perguntar: onde estão aquele soberano amor e aquela soberana justiça q a doutrina assegura serem atributos de Deus? E onde está aquela infinita sabedoria, se o processo evolutivo que o Pai criou para seus filhos, é baseado em fazer sofrer? E como poder entender a criação divina, se absolutamente todas as criaturas, humanas e não-humanas, sem exceção de nenhuma, sofrem, fato que nos mostra que todos os espíritos, toda a criação de Deus transgride propositadamente Suas leis?!

Se não há igualdade para todos, não há justiça!!! E porq diz o amigo que o Ser não é o espírito retiradas suas imperfeições; o q, para vc, é Ser?

A igualdade só existe na essência, não na identidade e à justiça continua existindo, pois, à cada um é dado segundo suas obras.

O Pai nosso é uma oração que nos foi passada pelo próprio Jesus, modelo por nós a ser seguido conforme nos foi passado no LE questão 625. Ora se Jesus nos recomenda orar assim é porque tem um motivo certo. Na minha opinião é extremamente válido pois deveremos recorrer a Deus e não aos homens nas nossas aflições.

A questão inicial sobre a tentação é apenas mal interpretada.

Se Jesus ofereceu essa oração, ela tinha e realmente tem a razão de ser.

Se a interpretação de tentação é somente "algo que não pode", tentação pode ser qualquer coisa de acordo com determinada situação. Até chocolate, sexo de acordo com a situação podem ser consideradas tentações.

Então são proibidas? Jesus não definiu nada disso. Falou "não deixeis cair em tentação, ou seja, nunca, jamais.

Pois bem, segundo nosso dicionário, a tentação é um impulso, um desejo imediato de fazer algo, o que significa agir sem pensar. 

E quando não pensamos e agimos, geralmente é algo que se pudéssemos voltar no tempo pediríamos, não me deixe cair na tentação.

Poderíamos fazer uma prece assim:  Pai, me ajude a pensar antes de agir, que ao tomar decisões, eu procure e refletir e não agir por impulso, e se algum mal se aproximar de mim, me ajude a não ser atingido por suas influências.

Acredito ser mais lógico.

Vi também que há um debate sobre a Justiça divina.

Todos são criados iguais, simples e ignorantes. Mas aí o aprofundamento nesse tema seria proporcional ao conhecimento de quem tem interesse na questão. 

O estudo da codificação nesse caso é necessário pra não pegar assunto pela metade, assim evita uma má compreensão e diminui as dúvidas.

Mas em resumo, milhões de anos são necessários para o princípio vital, sem livre arbítrio, que galga pelos reinos minerais, vegetais, animais se tornar principio inteligente.

Pois bem, Questão do Livro dos Espíritos: O que é o Espírito. - R: O princípio inteligente do Universo.

Então, quando o ser, criado por Deus, lá nos primórdios, adquire experiência, conhecimento, informação necessária, ele ganha o "direito" de encarnar em um corpo hominal.

Então a sua evolução começa no reino hominal, como homem primitivo, e volta a galgar o caminho da experiência, conhecimento, e após milhares de anos, indo e vindo da matéria, adquire inteligência suficiente para habitar em um corpo com o lobo frontal, com o córtex, que hoje é o veículo mais evoluído par ao espírito habitar e ter as suas vivências. (Que já está evoluindo também)

A questão do sofrimento só é mal interpretada também. Vamos utilizar um exemplo de uma pessoa que bebe exageradamente, seu corpo sofre essas influências externas do álcool, e desenvolve a cirrose, ou, o sofrimento.

Causa ou efeito? Efeito que vem de uma causa.

Continuando o raciocínio, a Cirrose (sofrimento) fez a pessoa largar o álcool, mudar sua alimentação, voltou a se exercitar, melhorou o relacionamento com familiares e amigos, suas finanças sofreram uma leve melhora, sua vida melhorou.

Conseguem enxergar uma benção no sofrimento? Um presente, uma chance, uma oportunidade?

Ampliem sua visão com a tese reencarnacionista, aonde somos o que fomos e seremos o que faremos.

E se em uma vida você roubou, espoliou, relegou pessoas à miséria, corrompeu, e viveu o resto de seus dias desfrutando dos prazeres materiais efêmeros?

O mal que essa pessoa fez gerou uma causa, e consequentemente terão efeitos

Os efeitos são os sofrimentos, ou, os presentes, bençãos, oportunidades para burilamento.

Nenhuma escultura se modela a base de pinceladas. O diamante que somos precisa ser lapidado, e ás vezes algumas pancadas são necessárias, podemos não compreender, julgar um castigo, mas no fim é sempre uma bênção que a misericórdia divida manda pra cada um de nós.

Existe muita injustiça, mas acreditem, nenhum injustiçado

Percebe-se na oração do Pai Nosso duas necessidades de readaptações aos tempos atuais, sendo a primeira o seu primeiro vocativo, Pai Nosso, que situa Deus na posição humana masculina, patriarcal. Esse primeiro vocativo já nos faz pensar, segundo a Doutrina Espírita: Quem é Deus? Qual a sua natureza?

É compreensível que na época de Jesus Ele falava a um povo endurecido, que tinha no patriarcalismo o fundamento de sua sociedade, então Deus tinha que ser apresentado como tal, mas e hoje, em nossa cultura e nível de conhecimento, ainda precisamos desta visão da divindade?

E quanto ao livrai-nos do mal, amém; de fato, é contraditório tendo em vista a função pedagógica tanto do 'bem' quanto do 'mal'.

Responder à discussão

RSS

APLICATIVO RAETV

Nosso aplicativo para download gratuito no Google Play

COLABORE COM A RAE

PRÓXIMOS EVENTOS AO VIVO

Artigos Espíritas

A convivência familiar na pandemia.

A convivência familiar na pandemia.

 

A impermanência das situações existenciais necessita estar em  nossas reflexões .

Por quê?

Simples, porque as mudanças são uma realidade tão palpável quanto a morte.

De um momento para o outro, por exemplo, podemos ter as nossas rotinas capturadas pelos mais variados motivos.

E o ano de 2020 escancarou…

HÁ AMOR NO QUE VOCÊ FAZ? - Nelson Xavier

HÁ AMOR NO QUE VOCÊ FAZ?

“Quanto mais eu escrevo, mais as palavras aparecem. Quanto mais eu vivo, mais a vida me esquece.

Quanto mais eu choro, mais as lágrimas descem. Quanto mais eu amo,…

Reflexões sobre as Leis Naturais.

Reflexões sobre as Leis Naturais.

 

Quando se inicia o estudo da Lei Divina ou Natural, que consta em O Livro dos Espíritos, percebe-se que Kardec, na elaboração das perguntas aos Espíritos, objetiva eliminar as contradições…

E quando o desequilíbrio da saúde mental destrói o futuro... (Artigo de Jane Maiolo)

E quando o desequilíbrio da saúde mental destrói o futuro...

 por Jane Maiolo

Por que estamos nós…

Por que nos sentimos mal em determinados ambientes?

Por que nos sentimos mal em determinados ambientes?

 

Wellington Balbo – Salvador BA

 

Você já esteve em ambientes em que se sentiu mal, constrangido, pouco à…

Últimas atividades

augusta curtiu a postagem no blog Amor antigo - Alma afim. de Nilton Cardoso
ontem
augusta curtiram o perfil de Nadia Rosangela
ontem
ANDREA REGINA DE SA curtiram a discussão FACULDADE DE FILOSOFIA ESPÍRITA de MARIO FONTES
ontem
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Os “bons” são tímidos (LE q. 932) até na Universidade de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
"Ao tentar processar o Porta dos Fundos, por retratar Jesus como um gay, igreja teve um prejuízo de R$ 82…"
sábado
Madelon Fonseca curtiram a discussão Reflexões sobre as Leis Naturais. de Wellington Balbo
sexta-feira
Joao Iudes Nodari respondeu à discussão FACULDADE DE FILOSOFIA ESPÍRITA de MARIO FONTES
"A Marlene apresentou uma realidade constatada diariamente no processo de palestras ministradas nos centros e unidades espíritas. Está-se chegando numa fase onde a ênfase oratória pergaminha atitudes emocionais e…"
sexta-feira
Ligia Maria Matutino Bastos entrou no grupo de Amigo Espírita
Miniatura

Espiritismo e Evangelho

Grupo destinado a estudos do Evangelho a Luz da Doutrina EspíritaVer mais...
sexta-feira
Ligia Maria Matutino Bastos entrou no grupo de Amigo Espírita
Miniatura

Estudo: "Amor e Sabedoria de Emmanuel"

Estudo Interativo da Série: "Amor e Sabedoria de Emmanuel"Áudios  e vídeos da Sala de Conferência Estudando EspiritismoAo vivo semanalmente as 20h00 pelo link…Ver mais...
sexta-feira
MARIO FONTES respondeu à discussão FACULDADE DE FILOSOFIA ESPÍRITA de MARIO FONTES
"Marlene, Grato pelo seu comentário. Deus a abençoes . Precisando de qualquer informação estamos a disposição.."
sexta-feira
MARIO FONTES curtiram o perfil de Marlene Matias da Silva
sexta-feira
Raimundo Luís Godinho Costa entrou no grupo de Acacia Maria Picoli
Miniatura

Meimei - Espirito de Luz

Grupo criado com o objetivo de divulgar as lindas mensagens e preces de MeimeiVer mais...
sexta-feira
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Os “bons” são tímidos (LE q. 932) até na Universidade de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
sexta-feira

Regras de uso e de publicação

 

 

© 2020   Criado por Amigo Espírita.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço