REDE AMIGO ESPÍRITA

Divulgando, Instruindo e Unificando!!!

Tem coisas que até mesmo a doutrina não nos explicou e isso ficou claro na codificação, principalmente no capítulo 3 de "A gênese segundo o espiritismo" tópico 21, 3º parágrafo quando nos fala da lei de destruição: 

"Objetar-se-á: não podia Deus chegar ao mesmo resultado por outros meios, sem constranger os seres vivos a se entre destruírem? Bem atrevido aquele que pretendesse penetrar os desígnios de Deus! Desde que na sua obra tudo é sabedoria, devemos supor que esta não existirá mais num ponto do que noutros; se não o compreendemos assim, devemos atribuí-lo à nossa falta de adiantamento. Contudo, devemos tentar buscar-lhe a razão, tomando por bússola este princípio: Deus há de ser infinitamente justo e sábio. Procuremos, portanto, em tudo, a sua justiça e a sua sabedoria"

Ou seja, esta questão não está definida na sua origem. Kardec nos deu uma posição para compreendermos este fato, mas não ficou definido o porque. No entanto, os fatos aí estão. Por exemplo: malformações congênitas, (eu já vi uma vaca com duas cabeças) , câncer nos animais,  animais que sofrem uma vida difícil e outros tem vida de príncipe. 

A justiça divina funciona para todo o universo. Se os animais não têm livre arbítiro qual o determinante para aquele animal, justamente aquele, passar por determinados sofrimentos?

Por favor, não venham me dizer que a causa é a dor evolução, já conhecida no meio espírita. Aqui estamos perguntando sobre a origem, a causa , o motivo daquela dor especificamente naquele determinado ser. 

Exibições: 6491

Responder esta

Respostas a este tópico

Muito bem Laís,

       Esta também foi uma das mais torturantes incógnitas para mim durante muitos anos e eu não conseguia sair deste labirinto me perdendo em conjecturas quais as que você levantou no seu texto. Não quero criar polêmica, mas nessa busca frenética, quase febril em obter a resposta que eu não achava no pentateuco Kardequiano e nem nas obras de André Luiz e Emmanuel, consegui uma resposta que até o momento tem me satisfeito a sede de conhecimento nesse assunto. Entretanto, não é uma resposta simples de aceitar e assimilar, mas lendo o livro "Ícaro Redimido" do Gilson Freire eu começei a caminhar por uma caminho novo e no livro seguinte, continuação da mesma obra, aí sim, é que eu me deparei com algo totalmente inusitado e forte do ponto de vista doutrinário. Entretanto, nada achei no contexto doutrinário que, por enquanto, contra diga, o que a revelação do livro "Tabernáculo Eterno" nos traz. Dá uma conferida nesta revelação e veja se ela não responde totalmente esta questão do animais. Qualquer dúvida, vamos discutir o assunto para que possamos chegar à uma conclusão séria e racional. 


Paulo, dizer que no universo não existe "DESTRUIÇÃO e SOFRIMENTO" é fechar os olhos para a realidade. Por que não dizer que no universo existe "DESTRUIÇÃO E SOFRIMENTO" e também existe "MUDANÇA E APRENDIZADO". Até porque a destruição e o sofrimento sempre nos ensinam a mudar aprendendo e aprender mudando. Você já ouviu falar em trombadas de galáxias? E como diria Antoine Lavoisier  : "Na natureza nada se perde, nada se cria tudo se transforma". Mas essa transformação não é gratuita, certo?!

Como eu havia citado no início do tópico o capítulo 3 de "A gênese segundo o espiritismo" número 21, 3º parágrafo, não será necessário repetir que na doutrina espírita, a lei de destruição é algo reconhecido no contexto doutrinário. Apenas não foi identificado por que tem que ser assim. Poderia ser diferente? Esta é uma questão relevante.

Agora! Que há sofrimento nos animais, isso acredito que ninguém duvida. Inclusive sofrimento moral. Sim. Quantos de nós já não presenciou ao vivo ou através de programas de televisão a mãe aflita pelo bem de seus filhotes? Quantos de nós não foi testemunha daquele cachorro que entrou num espécie de depressão depois que seu dono de anos e anos foi embora e ele não sabe mais encontrá-lo? Todos nós nos recordamos do livro "Missionários da Luz" e do sofrimento das vacas-mãe sendo apartadas de seus bezerros indo em direção ao matadouro para o seu fim inevitavelmente trágico.

A justiça divina, meu caro, existe para toda a criação. Não vamos colocar o sofrimento nos animais numa situação cômoda para nosso pensamento, entendendo que isso seja algo normal, que eles podem e devem suportar. Não. Isso não. Não vamos endurecer o nosso coração com o racionalismo frio de quem apenas tenta calcular para não sentir. Vamos raciocinar, mas vamos sentir também, afinal, o câncer nos animais e nas plantas não encontra resposta satisfatória apenas no simplório raciocínio de que tem que ser assim mesmo.

Realmente Laís. Se deixarmos o frio racionalismo imperar na nossa filosofia de vida daqui a pouco estaremos considerando ser "normal" a lei do mais forte existir como mecanismo de evolução aqui em nosso Orbe, quiça, no universo. Vai saber...

Mas exatamente por que essa arquitetura evolucionista, que é no mínimo selvagem, é permitida em nosso mundo? Se me fosse permitir indagar a Jesus, nosso mestre e também governador da Terra, portanto, arquiteto maior, o motivo da adoção dessa maneira de evoluir, no qual um ser encarnado entredevora o outro, num espetáculo de horror e medo, dor e desespero, em que o mais fraco é simplesmente estraçalhado e destruído, numa flagrante contradição com a misericórdia infinita e o infinito amor Daquele que é todo bondade e justiça?

Talvez, a resposta, seja, que o Pai de amor infinito apenas permita esta incongruência no seio da criação, mas isto, talvez, não faça parte da idéia Divina original, do projeto Divino, ou seja: Isto não é normal no arquitetura divina.

Isto talvez, seja uma criação nossa que a sabedoria Divina apenas permite, mas não aprova. E permite, porque
no estágio em que nos encontramos, de egoísmo exacerbado, de personalismo violento, do "Eu" em sempre primeiro lugar não haja outra possibilidade. Mas particularmente, cada um de nós poderá renunciar à estas práticas e eu creio que num futuro remoto, quando o amor Divino imperar em nossos corações, isto será definitivamente banido do nosso planeta e de outros, talvez. Portanto, se somos obrigados a assistir estes terríveis espetáculos de selvageria é porque estamos vinculados a eles, de alguma forma.

Dura é a ascensão espiritual. Terrível é a luta contra a materialização do espírito. Ingente é o esforço que deveremos fazer para não aceitar em nós mesmos tais mecanismos cruéis de evolução e outros mais. Façamos, portanto, cada um, a sua parte, pois como nos diz Emmanuel : "Ninguém espera que apagues sozinho o incêndio da maldade. 

Dá o teu copo de água fria".

Marco, eu nao tenho como achar esse livro aqui no exterior. A literature e muito escassa e essa explicacao que te ajudou a entender seria muito bem vinda se voce pudesse divider comigo e muitos outros tambem.

 

Voce se importa de cita-la aqui? Ou mandar para meu email?

nartilanogueira@gmail.com

 

Obrigada
 
Marco Túlio Ferreira Silva disse:

Muito bem Laís,

       Esta também foi uma das mais torturantes incógnitas para mim durante muitos anos e eu não conseguia sair deste labirinto me perdendo em conjecturas quais as que você levantou no seu texto. Não quero criar polêmica, mas nessa busca frenética, quase febril em obter a resposta que eu não achava no pentateuco Kardequiano e nem nas obras de André Luiz e Emmanuel, consegui uma resposta que até o momento tem me satisfeito a sede de conhecimento nesse assunto. Entretanto, não é uma resposta simples de aceitar e assimilar, mas lendo o livro "Ícaro Redimido" do Gilson Freire eu começei a caminhar por uma caminho novo e no livro seguinte, continuação da mesma obra, aí sim, é que eu me deparei com algo totalmente inusitado e forte do ponto de vista doutrinário. Entretanto, nada achei no contexto doutrinário que, por enquanto, contra diga, o que a revelação do livro "Tabernáculo Eterno" nos traz. Dá uma conferida nesta revelação e veja se ela não responde totalmente esta questão do animais. Qualquer dúvida, vamos discutir o assunto para que possamos chegar à uma conclusão séria e racional. 

Tranquilo Nartila. Vou te responder no teu email, pois, por enquanto, não quero colocar isso de maneira evidente, pois como eu havia dito, não é algo simples de entender e aceitar, mas é profundo e consolador caso a aceitemos. No email vou em mais detalhes.

Ok Paulo, mas aceitando este ponto de vista, estaríamos afirmando que Deus precisa dessa fase grosseira e selvagem para promover a ascensão espiritual, ou seja, Deus precisaria do mal para gerar o bem e de maneira eterna. 

Isto não me parece compatível com os atributos divinos de infinita bondade e justiça.

Mais acima você citou:

 " Vendo no SOFRIMENTO o mal, pergunta-se porque então Deus não fez logo os homens perfeitos e lhes evitou uma fase tão dolorosa e difícil como a que nos encontramos." 

Esta seria uma pergunta pertinente e assaz pertubadora, mas ainda assim é uma pergunta. 

O mal existe. Não há como duvidar disso. Kardec questionou isso na Gênese no capítulo por mim citado. Isto também o incomodava. Há um capítulo inteiro dedicado ao tema "A origem do mal e do bem". Ora, a ausência do amor já é um mal, e não vemos amor na lei de destruição, embora ela seja necessária. Se tudo na criação é somente o bem então vou me permitir repetir Kardec: Não haveria outra maneira, outro modelo, para se promover a evolução? Não responda imediatamente dizendo que tem coisas que nós não compreendemos ainda por não possuirmos capacidade evolutiva. Todos nós, espíritas, sabemos disso. Se estamos no limiar das perguntas é porque nossa sede de saber já atingiu o insuportável.

Por mais que divaguemos com resposta evasivas e superficiais esta questão ainda continuará sem resposta, pois estamos presos ao relativismo do universo em que vivemos e não temos certezas absolutas.

Mais acima, eu citei 2 livros que estão me ajudando a entender estas coisa. Experimente lê-los Paulo e depois me diga o que você conclui. O primeiro é o Ícaro Redimido do Gilson Freire e o segundo é o Tabernáculo Eterno do mesmo autor, que na verdade são um introdução para algo muito maior.

No Ícaro Redimido teremos oportunidade de aprender muito mais sobre a dinâmica perispiritual identificando a causa de várias doenças, como o câncer, a depressão  e muitas outras como tendo sua origem na alteração cíclica desta mesma dinâmica.

É muito interessante e inovador entender os movimentos de contração e expansão que regem o corpo espiritual e o universo como um todo sendo isto o princípio desses males. E no Tabernáculo Eterno, depois de entendida esta ciclagem perispiritual, uma causa maior é introduzida como fonte causadora deste, se não de todos os males do nosso universo. Vale a pena conferir.

   Concordo com você Paulo. Aliás, a Doutrina Espírita concorda também. Como você disse:

"tenho por princípio absoluto a perfeição de Deus, e por isso vejo mesmo a destruição não como algo maléfico, mas como transformação, e o sofrimento não como lei universal, mas como inerente à imperfeição humana, sendo esse um sentimento de aspecto psicológico (não dor física, por exemplo) e fadado a desaparecer com a evolução e aperfeiçoamento humanos"

Nós espíritas, temos adotamos este princípio e sabemos que mesmo do mal Deus suscita o bem. Concordamos também que a dor e sofrimento desaparecerão com a evolução. Tudo isso nós concordamos e abraçamos.

Já que você se declarou não tão espírita, confira depois também, o livro "A Gênese - Segundo o espiritismo" principalmente nos capítulos "Deus" e "A origem do bem e do mal".

Mas agora ficou fácil entender porque essa discussão vai longe. Para facilitar, desde o começo da discussão eu estou considerando que, assim como nós os animais também têm um perispírito e é desse ponto, dessa base de conhecimento que eu recomendo estudarmos as causas do sofrimento nos animais e não do psicológico.

Então se entendermos perfeitamente a dinâmica perispiritual, tenho certeza chegaremos num consenso. 

Caro amigo. Sou apaixonada por todos os animais e tb gostaria de saber respostas, inclusive por que alguns nos servem de alimento. Saudações fraternas.

 

Sim Sandra. Esta é uma questão de difícil resposta e muitas vezes nos traz agonia ao sentimento ao assistirmos tantas crueldades com eles, os animais. 

Me desculpem, leitores do fórum, se não sou mais direto nesta resposta, é que eu a estou estudando também, mas posso adiantar que, ainda não encontrei melhor explicação para este paradoxo, do que nas teorias de Pietro Ubaldi. São teses de difícil assimilação mas o nosso irmão Gilson Freire tem se ocupado com a tarefa de nos facilitar o entendimento das elevadas concepções encontradas nas teses de Ubaldi através de seus livros, principalmente, "Icaro Redimido" e "Tabernáculo Eterno".

Também no  Site do Gilson encontraremos, no menu "Artigos Ubaldianos" importantes esclarecimentos à cerca dos fundamentos desta realidade.

Do que pude alcançar até agora, isto não faria parte da proposta Divina como um modelo primário de vida. É algo que nosso Pai o permite em função do nível consciencial no qual estagiamos mas não seria uma ideia originária dos Planos Divinos, que é somente amor, sendo responsabilidade nossa a criação deste sistema de vida.

Sendo assim, cabe a nós, todos nós, contribuirmos para a mudança deste cenário de vampirização das vísceras de nossos irmãos animais. Entretanto, ainda restam muitas questões. Por exemplo: O câncer nos animais. Neste ponto se faz necessário um maior entendimento da dinâmica perispiritual e dos ciclos perispiríticos que servirá como resposta para o câncer nos homens também. Para introdução deste assunto sugiro a leitura do livro "Ícaro Redimido" principalmente os capítulos 6, 20,21,22 e 23, que também trata da origem da depressão.

E você está certa Laís. A tua postura demonstra o teu nível de despertamento consciencial, evolutivo.

Não é necessário se aprofundar para pensar e sentir dessa maneira. Entretanto, me dói ver que isso não depende apenas de nós. A própria natureza nos choca com espetáculos de carnificina que são incompatíveis com a bondade infinita do Criador. Questão que até mesmo Kardec insistiu na codificação, mas naquela, época não haveria possibilidade de um mais largo entendimento sobre o assunto, então, isto passou e assim ficou. Hoje, e o teu pensamento e o de muitos outros confirma esta ideia, já não aceitamos essa arquitetura de vida onde um tem que entredevorar o outro para sobreviver, como sendo algo que partiu do pensamento Divino, pois, que isto se torna um paradoxo na criação. Se dependesse apenas de nós, eu não levantaria esta questão num fórum espírita, mas não. A própria natureza ensina a selvageria aos animais.  Por quê?! Por quê , Deus que é somente amor, necessitaria de tamanha crueldade para promover a evolução?!

Esta é a pergunta que não quer calar.

Amigos e membros da rede, A Doutrina Espírita nos favoreceu com vários conhecimentos. Muitas perguntas ainda estão sem resposta e essa é uma delas. Se aceitarmos como explicação apenas "a dor evolução" a pergunta fica meio explicada, mas muita coisa ainda fica faltando, pois que a "dor evolução" explica os casos gerais mas não os casos particulares. Além disso, a "dor evolução" nos remete à outras perguntas, como por exemplo: por quê precisamos evoluir? A evolução existe em função de uma causa ainda inexplorada por nós espíritas. Não é possível admitir que a evolução exista de per si. Assim como a sombra, que só existe em função da luz, a evolução existe em função de um primeiro processo. Admitir que Deus usa da evolução para fazer os espíritos alcançarem a perfeição seria admitir que Deus criou o imperfeito para depois aperfeiçoa-lo. Seria admitir que Deus primeiro cria o caos para depois ordena-lo. Isto representa um grande paradoxo. Todos nós, invariavelmente todos, somos filhos de Deus, ou seja, filhos da perfeição. A formiguinha que está agora debaixo dos seus pés, o mosquitinho da dengue, o beija-flor, a onça, as criaturas marinhas que jazem desconhecidas nas profundezas dos oceanos, as células do nosso corpo, os homens deste planeta, os habitantes de qualquer outro planeta, todos nós possuímos a centelha divina dada à nós por Deus. Essa centelha existem no íntimo de cada um com a mesma qualidade. Deus deu à cada um a mesma porção de divindade. Não fez distinções entre nós e a formiga. No entanto a diferença é visivelmente gigantesca do ponto de vista da consciência. Portanto, a consciência é o diferencial.

Responder à discussão

RSS

ASSOCIE-SE E COLABORE

Últimas atividades

stela ramos compartilhou o post do blog de ANA MARIA TEODORO MASSUCI em Facebook
4 minutos atrás
Ícone do perfil via Twitter
Adicionei um vídeo a uma playlist @YouTube https://t.co/WTqfON0rf8 Vida é Minha!? - O Evangelho & Nós com Rosangela Pires
Twitter9 minutos atrás · Responder · Retweet
Ícone do perfil via Twitter
"CUIDADO COM O NOSSO VEÍCULO (corpo)" A mente invigilante pode instalar doenças no organismo?… https://t.co/sCZuwHdqNQ
Twitter2 horas atrás · Responder · Retweet
Posts no blog por ANA MARIA TEODORO MASSUCI
2 horas atrás
Luís Paulo Sirvinskas compartilhou o vídeo de Dercio Conceicao em Facebook
2 horas atrás
Luís Paulo Sirvinskas curtiu o vídeo de Dercio Conceicao
2 horas atrás
Ori Pombal Franco curtiu a postagem no blog GÊMEOS NA ÓTICA ESPÍRITA de ANA MARIA TEODORO MASSUCI
2 horas atrás
Ori Pombal Franco curtiu a postagem no blog HOMEOPATIA AGE NO PERISPÍRITO? de ANA MARIA TEODORO MASSUCI
2 horas atrás
Ori Pombal Franco curtiu a postagem no blog Simpatia e bondade de ANA MARIA TEODORO MASSUCI
2 horas atrás
Ori Pombal Franco curtiu a postagem no blog PERTUBAÇÃO ESPIRITUAL DEPOIS DA MORTE de ANA MARIA TEODORO MASSUCI
2 horas atrás
Ori Pombal Franco curtiu a postagem no blog Paulo e a ética cristã de Grupo de Est. Esp. Chico Xavier
2 horas atrás
Ícone do perfilRosangela Alves, Clarianne Luiza Santos do Nascim, Danila Grininger e mais 3 pessoas entraram em REDE AMIGO ESPÍRITA
3 horas atrás
Ícone do perfil via Twitter
Comecei uma transmissão ao vivo em @YouTube: https://t.co/csFFFBgXRl
Twitter4 horas atrás · Responder · Retweet
Ícone do perfil via Twitter
Comecei uma transmissão ao vivo em @YouTube: https://t.co/aVy0qTBjto
Twitter4 horas atrás · Responder · Retweet
Helena Padilha de Meneses curtiu o vídeo de Feeak Minas
4 horas atrás
Margarida Maria Madruga e SIMONE SILVA agora são amigos
5 horas atrás
Maria Fernanda Franco A.Pessanha curtiu o vídeo de Amigo Espírita
6 horas atrás
Josimar Cordeiro curtiu a postagem no blog Transformação Interior e o Mundo de Regeneração de ANA MARIA TEODORO MASSUCI
6 horas atrás
Clarianne Luiza Santos do Nascim curtiram o evento "Justiça Divina: perdoa ou condena?", com Anete Guimarães ao vivo pela Rede Amigo Espírita de Carlos Pretti - SCEE
8 horas atrás
Rosangela Araujo Pereira respondeu à discussão FACULDADE DE FILOSOFIA ESPÍRITA de MARIO FONTES
11 horas atrás

Regras de uso e de publicação

 

 

© 2017   Criado por Amigo Espírita.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço