"E a outro disse Jesus: Segue-me. E ele lhe disse: Senhor, permite-me que vá eu primeiro enterrar meu pai. E Jesus lhe respondeu: Deixa que os mortos enterrem os seus mortos, e tu vai e anuncia o Reino de Deus. (Lucas, IX: 59-60)."


No Evangelho Segundo o Espiritismo, capítulo 23, itens 7 e 8 Kardec explica de maneira fácil o que isso poderia significar dizendo que a verdadeira vida é a vida espiritual e não a material dando à entender que quem vive na matéria está morto. Também Emmanuel no livro Fonte Viva capítulo 143 nos traz outras explicações sobre o ensinamento dizendo que: "O cadáver é carne sem vida, enquanto que um morto é alguém que se ausenta da vida".

De qualquer maneira, parece mesmo que estamos mortos, pois ainda estamos presos à matéria. Portanto, seríamos nós os mortos que enterram os seus mortos, lembrando que, ainda que "vivendo" numa colônia espiritual, ou extra-física, não estaremos na vida espiritual, pois que nesse plano ainda é matéria, mesmo que em outra dimensão. Somente viveremos a vida espiritual real, quando nos libertarmos de toda a matéria que nos envolve e nos tornamos puros espíritos. Então somos nós, os mortos que enterram os seus mortos, porque, paradoxalmente, estamos vivendo a morte, a morte do espírito na matéria.

Exibições: 8473

Responder esta

Respostas a este tópico

Em muitos ensinamentos no pentateuco, Kardec e os espíritos fazem referência a essa vida espiritual, mas muitos de nós, espíritas, ainda não conseguimos captar a sutileza desse ensinamento, porque, principalmente, após as leituras das obras de André Luiz, erroneamente, nós confundimos plano espiritual com plano extrafísico.  O plano extrafísico imediato à terra citado por André Luiz em suas obras, também pertence ao mundo físico, ao mundo material, embora posicionado numa dimensão imediata à essa nossa que é mais material, mais pesada.

No livro "Nosso Lar", do mesmo autor, capítulo 9, conta-se de uma verdadeira luta de 30 anos para que os habitantes da colônia modificassem sua maneira de alimentar tornando-a menos grosseira e mais sutil em relação aos costumes da crosta planetária. Percebe-se, então, quão material é ainda esse mundo "espiritual" vizinho à terra, ou à matéria. Em qualquer dimensão à qual estivermos vinculados que esteja presa ao tempo, espaço, energia e matéria significará que ainda estaremos longe da verdadeira dimensão da vida: a espiritual.

Como disse Jesus, "O reino de Deus não vem com aparência exterior; nem dirão: Ei-lo aqui! ou Ei-lo ali! pois o reino de Deus está dentro de vós. (Lucas 17:20,21)", portanto o Reino dos Céus é o reino do espírito e não da matéria. Este reino não vem com aparência exterior, ou seja, não está preso às injunções do tempo e do espaço, nem tampouco amarrado ao transformismo da energia/matéria.

Além disso Jesus também ensinou: "E eis que, aproximando-se dele um jovem, disse-lhe: Bom Mestre, que bem farei para conseguir a vida eterna? E ele disse-lhe: Por que me chamas bom? Não há bom senão um só, que é Deus. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos
Mateus 19:17"

Os grifos são meus. Mas se Jesus nos convida à "entrar na vida" é porque não estamos nela. E se não estamos na vida só podemos estar na morte. Portanto, estamos, nesse momento, vivendo a morte, a morte do espírito na matéria. Somos nós os mortos que devem enterrar os seus mortos. Estamos, portanto, vivendo uma ilusão acreditando que evoluir a matéria nos levará a vida, mas não é assim. Não será possível atingir uma tecnologia exuberante e uma matéria cada vez mais linda com um espírito exuberante também. Para que o espírita viva é necessário que a matéria morra. Não significa isso, de maneira alguma, buscar o suicídio, que seria uma outra maneira de morrer mais ainda, mas, tão somente, nos desmaterializar cada vez mais para o que o espírito cresça em nós e a matéria desapareça, pois quem insistir em ganhar a sua vida, vai morrer. Mas quem insistir em morrer vai viver(Lucas 9:24, Mateus 16:25).

Deixai os mortos enterrarem seus mortos parece-me com outra passagem onde Jesus disse: "Dai a Cesar o que é de Cesar e a Deus o que é de Deus". Porém tem uma diferença. Pagar impostos é uma imposição do mundo material. Enterrar o Pai também. Como Jesus pode se contradizer?  Já ouviste falar dos Evangelhos Apócrifos? Então. Se desenterrássemos um destes evangelhos e estivesse escrito a seguinte situação. "Então o jovem disse: Jesus Eu tenho que preparar uma refeição para nos alimentarmos mais tarde, pois a caminhada é longa. E Jesus disse:"Não precisamos comer. Deixai os mortos alimentarem os mortos".

 

     ‘Segue-me e deixe que os mortos enterrem seus mortos... ’, isto é, dedica-te ao mais importante, isto é, à busca da verdade, do auto-conhecimento; já estás despertando, abrindo os olhos, começando a perceber, a compreender; por isso deixa que os que ainda dormem, que ainda estão mortos para a verdade, continuem em seu sono e não sejam obstáculo em teu caminho nessa busca.

.

Amigo Luis.

Eu estava, justamente, me perguntando se eu seguiria Jesus tendo tantas responsabilidades com os bens materiais, minha empresa e com a minha família. Minha família iria tentar me resgatar como tentaram fazer com o próprio Jesus. Pelo menos é o que está escrito no cap 14 de O Evangelho Segundo o Espiritismo Item 5, da Edição Besourobox. "Quando Jesus chegou em casa, lá reuniu-se uma multidão tao grande de pessoas que nem mesmo puderam completar sua refeição. Ao saberem disso, seus parentes saíram para prendê-lo, pois diziam: "Ele perdeu o Espírito".

Bah! a sua família carnal, ao invés de o segui-lo, tentaram prendê-lo!!!! Será que entendi direito?

Sem dúvida que ainda me prendem, sob certos aspectos, mas muito pouco. Cada um já seguiu seu caminho e estou hoje mais livre do que antes, inclusive profissionalmente.

Mas hoje, amigo Luis, não precisa largar tudo para seguir Jesus. Eu, somente, me imaginei naquela época. Hoje tem a internet. os livros, a casa espírita, ou outras instituições religiosas que pregam os seus ensinamentos. E Jesus tinha esta missão. Ele não casou, Ele não abriu empresa. Então eu me imaginei, na situação que estou hoje, na época que Jesus falou com este jovem. Este jovem não seguiu o sublime peregrino porque ele tinha que resgatar com sua família....

Nem antes, nem agora, é preciso "largar tudo para seguir Jesus"; o que é preciso, segundo o conselho desse Mestre, é que "busquemos, em primeiro lugar, o Reino de Deus!; ou seja: em primeiro lugar, seguir Jesus.

......... 

Quem crê na palavra do Cristo sabe que não existe morte, a morte é apenas uma passagem. Os mortos neste trecho é justamente aqueles que não acreditam nessa promessa, que não seguem a palavra. 

Concordo com a Cristina.

Não Cristina. Os que não acreditam são apenas descrentes. O termo "mortos" usado por Jesus, define algo de mais profundo. Não tem sentido acreditar que a vida está na matéria, mas sim no espírito. Por isso, na matéria, estamos mortos, pois que a matéria é o oposto do espírito configurando assim o dualismo universal.

 Marco. Mas foi exatamente isso que quis dizer só que em outras palavras. Na realidade ele dá várias dicas dessa realidade, uma delas é quando diz: " Meu reino, não é desse mundo", "A muitas moradas na casa do meu pai".

Cristina,

      A ideia central é que se não estamos na vida, considerando a vida verdadeira com sendo a do espírito, onde não estaremos presos às cadeias do tempo e enrodilhados nas malhas do espaço, energia e matéria, estamos então na morte.

Paradoxalmente estamos, aqui na matéria, vivendo a morte. Quando digo matéria, estou incluindo as colônias extrafísicas como "Nosso Lar" e outras.

Responder à discussão

RSS

APLICATIVO RAETV

Nosso aplicativo para download gratuito no Google Play

COLABORE COM A RAE

PRÓXIMOS EVENTOS AO VIVO

Artigos Espíritas

A convivência familiar na pandemia.

A convivência familiar na pandemia.

 

A impermanência das situações existenciais necessita estar em  nossas reflexões .

Por quê?

Simples, porque as mudanças são uma realidade tão palpável quanto a morte.

De um momento para o outro, por exemplo, podemos ter as nossas rotinas capturadas pelos mais variados motivos.

E o ano de 2020 escancarou…

HÁ AMOR NO QUE VOCÊ FAZ? - Nelson Xavier

HÁ AMOR NO QUE VOCÊ FAZ?

“Quanto mais eu escrevo, mais as palavras aparecem. Quanto mais eu vivo, mais a vida me esquece.

Quanto mais eu choro, mais as lágrimas descem. Quanto mais eu amo,…

Reflexões sobre as Leis Naturais.

Reflexões sobre as Leis Naturais.

 

Quando se inicia o estudo da Lei Divina ou Natural, que consta em O Livro dos Espíritos, percebe-se que Kardec, na elaboração das perguntas aos Espíritos, objetiva eliminar as contradições…

E quando o desequilíbrio da saúde mental destrói o futuro... (Artigo de Jane Maiolo)

E quando o desequilíbrio da saúde mental destrói o futuro...

 por Jane Maiolo

Por que estamos nós…

Por que nos sentimos mal em determinados ambientes?

Por que nos sentimos mal em determinados ambientes?

 

Wellington Balbo – Salvador BA

 

Você já esteve em ambientes em que se sentiu mal, constrangido, pouco à…

Últimas atividades

LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Médiuns. 171. de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
"Federação Espírita de Porto Rico Imortalidade da Alma. Mediunidade com Jesus.   https://www.facebook.com/FEPuertorriquena/posts/10158340660170999?notif_id=1597451599247563&notif_t=story_reshare"
10 horas atrás
Margarida Maria Madruga comentou a postagem no blog Na Escola Terrestre - (Mensagem psicografada por Wagner Paixão, em 18 abril de 2020) de Amigo Espírita
"Belíssima mensagem de Yvonne. Obrigada."
11 horas atrás
Robério Gomes do Nascimento entrou no grupo de Nelson Peixoto de Souza Filho
Miniatura

Estudando o Livro dos Espíritos

Grupo para estudo e discussão do "Livro dos Espíritos".Sejam bem vindos!Os temas são livres.Ver mais...
15 horas atrás
Robério Gomes do Nascimento curtiram o evento Estudando o Livro dos Espíritos de Nelson Peixoto de Souza Filho
15 horas atrás
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA respondeu à discussão VIROSES - Conheça a melhor terapia para vencê-las por Divaldo Franco de Amigo Espírita no grupo Joanna de Ângelis e Divaldo Franco
"“PsicoImunologia”.  Soluções Mágicas e Problemas Psicológicos https://juli.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=7032117"
terça-feira
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA entrou no grupo de Amigo Espírita
Miniatura

Joanna de Ângelis e Divaldo Franco

Grandes Ensinamentos que iluminam e esclarecem.Grupo destinado aos ensinamentos do médium Divaldo Franco e da Benfeitora Joanna de Angelis. Ver mais...
terça-feira
Posts no blog por PATRIZIA GARDONA

Então, chega para lá

Certa feita há muitos anos, conversávamos com uma das grandes figuras femininas do movimento espírita da cidade de São…Ver mais...
terça-feira
Hilton Cesar respondeu à discussão Mediunidade - dom ou castigo? de Bárbara Martins de Castro
"Médiuns somente os são, os que possuem a faculdade de sentir a influência do mundo espiritual, de forma nítida e ostensiva. O Livro dos Médiuns » Segunda parte - Das manifestações…"
segunda-feira
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Os “bons” são tímidos (LE q. 932) até na Universidade de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
"Quando o bom não é tímido pode ser reprovado, mas constrói o passado para ser lembrado com profundo respeito. Parabéns Brasílio Marcondes Machado. A tese de Machado foi apresentada no dia 29 de agosto de…"
segunda-feira
Luciano Franco Ramos entrou no grupo de Amigo Espírita
Miniatura

Joanna de Ângelis e Divaldo Franco

Grandes Ensinamentos que iluminam e esclarecem.Grupo destinado aos ensinamentos do médium Divaldo Franco e da Benfeitora Joanna de Angelis. Ver mais...
segunda-feira
MARIO FONTES respondeu à discussão FACULDADE DE FILOSOFIA ESPÍRITA de MARIO FONTES
"Excelente descrição João Nodari"
9 Ago
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Médiuns. 171. de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
"“Sandálias Douradas”.  Credibilidade é fundamental. Alguns médiuns ganham credibilidade, mas são infectados pelo orgulho e/ou vaidade. Fator complicador - obsessão. A entidade passa a exercer…"
8 Ago

Regras de uso e de publicação

 

 

© 2020   Criado por Amigo Espírita.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço