Bem pessoa,

    Este é o meu primeiro post. A questão 124 ,acima proposta, sempre foi difícil pra mim por se tornar um paradoxo no meu entendimento. Ei-la : 

"124. Pois que há Espíritos que desde o princípio seguem o caminho do bem absoluto e outros o do mal absoluto, deve haver, sem dúvida, gradações entre esses dois extremos. Não?

“Sim, certamente, e os que se acham nos graus intermediários constituem a maioria.”

 Então, que princípio é este? Antes da evolução ou depois da evolução? 

Na questão 122, os espíritos dizem que só teremos livre-arbítrio após adquirirmos consciência de nós mesmos para que a escolha seja livre, e então, muitos escolheram o caminho do mal absoluto e outros o do bem absoluto conforme a 124.

Da maneira que está, dá a entender que na origem, antes de entrar na linha da evolução, o espírito adquire consciência de si mesmo e toma uma decisão influenciada por outros, que também já decidiram antes, e esta influência externa é de onde vem a causa da sua queda. 

Portanto, a pergunta que fica é esta:Será possível adquirir consciência de si mesmo sem passar pela linha da evolução? Por favor, não me venha falar que o espírito passa pelo mineral, vegetal e animal para depois chegar no homem e finalmente poder decidir, pois que, neste caso, já não estaríamos falando da origem e sim processo evolutivo.

Exibições: 6784

Responder esta

Respostas a este tópico

      Olá Marco, por estudar há décadas a doutrina, já concluí que essa resposta que vc me deu é apenas uma meia-resposta, como tantas outras q a doutrina dá. Pois veja, se a causa dos sofrimentos dos homens é o egoísmo, qual é a causa de o homem ser egoísta? Ele mesmo escolheu ser egoísta? Somos todos iguais e, depois, não se sabe pq, uns se tornam egoístas e outros não?! Como o amigo explicaria essa desigualdade surgida entre os homens q, de início perfeitamente iguais, vêm a se tornar gigantescamente desiguais?

      E, se Deus é somente amor, pq seu processo evolutivo está recheado de cruéis, desesperadores e insuportáveis sofrimentos para todos, sem exceção? E muitos a multiplicarem encarnações e a se estenderem por milhões de anos!

     Marco: Deus, que somente é amor, somente amor cria. O sofrimento não faz parte do projeto Divino para a criação. O feio não é gerado pela arte Divina. A dor não faz parte da pedagogia do Criador para ensinar seus filhos a se tornarem melhores.

      Conf: aqui, o amigo, me faz trazer três perguntas: primeira: Deus não é o ‘criador’ de todas as coisas, ou é o criador só de ‘parte’ das coisas? E alguma coisa pode acontecer, como os sofrimentos, o egoísmo, a maldade, a pedofilia, a exploração e humilhação do próximo, as dores e lágrimas etc etc, sem q Ele permita? Se a dor não faz parte da pedagogia para ensinar seus filhos melhores, pq é q o processo evolutivo tem como método mais eficiente o fazer sofrer, e tantas vezes de modo torturante, desesperador, insuportável, cheio de dores e lágrimas?

      Marco: Deus somente criou o Belo, o Bom e o Perfeito e nada diferente disso.

      Conf: se Deus cria somente o bom, o belo e o perfeito, quem nos criou e nos deu possibilidades, capacidades, aptidões, habilidades, disposição, e ampla liberdade, para nos transformarmos em seres os mais horrendos q existem, maus, injustos, exploradores dos demais e possuidores das mais monstruosas imperfeições? 

      Marco: Entretanto, devemos entender que Deus não nos criou autômatos e sim filhos livres para escolhermos, se quisermos, inclusive o mal(leia-se mal como viver intensamente o egoísmo). Nada obstante, devemos colher o resultado das nossas atitudes. Aqui estamos nós. Vivendo numa realidade às avessas daquela proposta por nosso amoroso Pai, aceitamos as consequências da opção pelo egoísmo, quais filhos pródigos, dormindo com porcos, passando fome e tudo mais.

      Conf: e, meu jovem, pq alguém, de sã consciência, quererá escolher viver intensamente o egoísmo ou o mal? Sem dúvida, só os dementados, desequilibrados mentais, masoquistas, só esses é que  podendo escolher não sofrer e ser felizes, escolherão ser infelizes, e sofrer de modo terrível, torturante, como vemos no mundo.

      Marco: Vamos sair disso? Vamos vencer este universo? Vamos vencer o mal e a dor? Só depende de nós.

      Conf: se só depende de nós, pq ainda vc não venceu o mal e a dor? Quem, ou oque, nos impediu, até hoje, e continua nos impedindo, talvez, segundo a doutrina, por milhões de anos e de “n” encarnações, de fazermos isso q, segundo vc, só depende de nós? Como já coloquei acima vc, eu, somos todos masoquistas? Pois se depende de nós evitar o mal e a dor, pq não os evitamos?

      Abç. (perdoe tantas perguntas; a intenção é tentar entender a doutrina e a vida do modo q a doutrina nos ensina q a vida é).



Marco Túlio Ferreira Silva disse:

Luis,

    A causa dos sofrimentos dos espíritos está no egoísmo. Deus, que somente é amor, somente amor cria. O sofrimento não faz parte do projeto Divino para a criação. O feio não é gerado pela arte Divina. A dor não faz parte da pedagogia do Criador para ensinar seus filhos a se tornarem melhores. Deus somente criou o Belo, o Bom e o Perfeito e nada diferente disso.

Entretanto, devemos entender que Deus não nos criou autômatos e sim filhos livres para escolhermos, se quisermos, inclusive o mal(leia-se mal como viver intensamente o egoísmo). Nada obstante, devemos colher o resultado das nossas atitudes. Aqui estamos nós. Vivendo numa realidade às avessas daquela proposta por nosso amoroso Pai, aceitamos as consequências da opção pelo egoísmo, quais filhos pródigos, dormindo com porcos, passando fome e tudo mais. 

Vamos sair disso? Vamos vencer este universo? Vamos vencer o mal e a dor? Só depende de nós. 

Luis,

    Vamos por partes:

    O egoísmo.

   "Pois veja, se a causa dos sofrimentos dos homens é o egoísmo, qual é a causa de o homem ser egoísta? Ele mesmo escolheu ser egoísta? Somos todos iguais e, depois, não se sabe pq, uns se tornam egoístas e outros não?! Como o amigo explicaria essa desigualdade surgida entre os homens q, de início perfeitamente iguais, vêm a se tornar gigantescamente desiguais?"

   Na tarefa do existir e dizer "eu sou" a criatura há que ter um ponto de referência para ter existência própria. Ela então é naturalmente egocentrista ou autocêntrica, mas não necessariamente deverá ser egoísta. Egocentrismo não quer dizer necessariamente egoísmo. Ocorre que para não se tornar egoísta ela deve equilibrar o seu egocentrismo no amor, de modo que ela possa centralizar para doar sempre e nunca acumular. O maior egocentrismo existente é o de Deus, que em si tudo centraliza para de si doar cada vez mais. 

Entretanto, neste exercício do existir, a criatura têm a liberdade de exagerar o seu egocentrismo preferindo, por isso, acumular somente para si. A liberdade incondicional está fortemente ligada à um amor sem limites, mas o exagero do uso dessa liberdade sem o equilíbrio do amor, pode desviá-la para o egoísmo. Se ela não tivesse essa liberdade os espíritos criados por Deus não viveriam num regime livre-arbítrio, de liberdade plena, mas de determinismo.

A Evolução

"E, se Deus é somente amor, pq seu processo evolutivo está recheado de cruéis, desesperadores e insuportáveis sofrimentos para todos, sem exceção? E muitos a multiplicarem encarnações e a se estenderem por milhões de anos!"

A evolução não faz parte da criação original de Deus. Se nós somos filhos de Deus, nós somos deuses também. Herdamos toda a perfeição do pai no grau absoluto, portanto, não precisamos de evolução nesta primeira criação. Ocorre que  ao exagerarmos o egocentrismo e nos tornando egoístas, houve uma contração máxima da consciência que nos fez ficar simples e ignorantes, invertendo, em todos os sentidos, os atributos divinos do espírito. Reduzidos agora à realidade atômica da matéria, que até então, inexistia, não há para nós, outro caminho de volta à casa do Pai a não ser pelo caminho pedregoso e sofrido da evolução. Evolução que tem por principal objetivo, restaurar a consciência caída, espiritualizando toda a matéria. Quanto tempo? Não sei dizer. Já passamos por várias fases de consciência.Hoje estamos na consciência hominal e vamos caminhando.

Origem do mal e da dor

" Deus não é o ‘criador’ de todas as coisas, ou é o criador só de ‘parte’ das coisas? E alguma coisa pode acontecer, como os sofrimentos, o egoísmo, a maldade, a pedofilia, a exploração e humilhação do próximo, as dores e lágrimas etc etc, sem q Ele permita? Se a dor não faz parte da pedagogia para ensinar seus filhos melhores, pq é q o processo evolutivo tem como método mais eficiente o fazer sofrer, e tantas vezes de modo torturante, desesperador, insuportável, cheio de dores e lágrimas?"

Deus é o criador somente do bem, do amor, do espírito, o resto é de nossa autoria. O reino dos céus, onde Deus vive, é o reino do espirito puro. Lá não tem tempo, espaço, matéria e energia. Deus vive no absoluto.

Nós,após a queda, vivemos no relativo. Na inversão de todos os valores. Aqui, no relativo, no palco do tempo e do espaço, matéria e energia, estamos pressos no dualismo universal. Escravos da instabilidade, alternamos constantemente entre bem e mal, felicidade e tristeza, dúvida e certeza, claro e escuro e etc. O amor aqui, no relativo, se transformou em feroz egoísmo. Estamos sujeitos à lei de destruição pois essa , agora, é nossa característica e por isso estarmos condenados aos ciclos de alternância sem fim do transformismo fenomênico. Em uma palavra: somos os filhos pródigos que saímos da casa do Pai e agora vivemos na imundície da matéria.

O belo e o bom

"se Deus cria somente o bom, o belo e o perfeito, quem nos criou e nos deu possibilidades, capacidades, aptidões, habilidades, disposição, e ampla liberdade, para nos transformarmos em seres os mais horrendos q existem, maus, injustos, exploradores dos demais e possuidores das mais monstruosas imperfeições? "

Nem todos se arrependeram ainda de ter saído da casa do Pai. Muitos mesmo, por acentuada rebeldia, preferem se chafurdar na matéria, na desarmonia, no desleixo, emfim , na desordem. Quantos existem que desfiguram seus belos corpos com tatuagens,piercing e outros recursos com que possam demonstram sua perene rebeldia contra qualquer tipo de organização e de harmonia. Aqui no relativo, eles se encontram no verdadeiro lar da desarmonia e da desordem. Numa palavra: da anarquia.

A ordem e a desordem

"e, meu jovem, pq alguém, de sã consciência, quererá escolher viver intensamente o egoísmo ou o mal? Sem dúvida, só os dementados, desequilibrados mentais, masoquistas, só esses é que  podendo escolher não sofrer e ser felizes, escolherão ser infelizes, e sofrer de modo terrível, torturante, como vemos no mundo"

Por um motivo muito simples Luis: Eles não querem se submeter à ordem, às leis estabelecidas pelo Pai para se viver no reino do espírito. Eles preferem ser livres para viver suas próprias leis. Tudo bem. É um direito que lhes cabe. Mas isso somente pode acontecer no relativo, nunca no absoluto, no reino do espírito. Aqui na matéria eles estão livres para expandir o egoísmo à vontade. Mas lembre-se. Existem leis. Mesmo para os anarquistas. A lei de evolução juntamente com a lei de causa e efeito irá alcançá-los no devido tempo. 

Pequena correção: Quando no texto acima eu digo "eles" entenda "eles", por "nós".

Vamos chegar lá

"se só depende de nós, pq ainda vc não venceu o mal e a dor? Quem, ou oque, nos impediu, até hoje, e continua nos impedindo, talvez, segundo a doutrina, por milhões de anos e de “n” encarnações, de fazermos isso q, segundo vc, só depende de nós? Como já coloquei acima vc, eu, somos todos masoquistas? Pois se depende de nós evitar o mal e a dor, pq não os evitamos?"

Eu não venci ainda o mal e a dor porque ainda muito me apraz viver o egoísmo. Mas todos vamos evoluir, seja pelo amor, seja pela dor. Podemos dar uma acelerada no processo na medida que freiarmos a expansão do egoísmo e vivermos a humildade. Para isso Jesus nos deu o exemplo.

Imagine a condição inicial (o princípio), onde se tem dois carros exatamente iguais, e no mesmo ponto de partida. Então, eles são iguais desde o princípio. Nesse ponto de partida tem dosi caminhos, por onde cada um segue o seu, diferente do outro. Imagine que um caminho é o do Bem absoluto e o outro é o do Mal absoluto... Alguma contrariedade ou impropriedade com a Doutrina que diz termos sido criados iguais uns aos outros no princípio? Os caminhos percorridos é que foram diferentes!

luis conforti junior disse:

      Amigos,

      Aí está uma questão q, no meu modo de ver, contraria alguns conceitos da própria doutrina pois, se a doutrina ensina q "no princípio" somos todos iguais, como é que uns "desde o princípio" seguem o caminho do bem absoluto, enquanto outros, também "desde o princípio", seguem o caminho do mal absoluto? 

...........

Nossa !!!, Parece que a discussão esta enveredando pelo caminho das opiniões e filosofias particulares.

É muito importante não nos perdermos em conceitos particulares, e buscar ao máximo nos utilizar    do

vasto material que temos a nossa disposição. Obras das quais ainda não apreendemos toda a sua  pro-

fundidade; tanto as básicas, quanto as complementares.

André Luis, nos informa que, o princípio inteligente estagiou nos reinos inferiores por 15 milhões de  se-

culos, até atingir o reino hominal. Até este ponto éra chamado de monada.

A partir da aquisição do pensamento contínuo,é que o princípio inteligente é chamado de homem e seu

corpo espiritual e chamado ¨perispírito¨.

Segundo André Luis, nesse período de evolução, quando os homens começam a ensaiar o desprendi-

mento do corpo físico, os Agentes Celestes se aproximam, trazendo a humanidade os conceitos e ensi-

namentos espirituais e morais. ( acredito que este seja o período da nossa mais pura inocência, apesar 
da nossa animalidade. )
Não podemos esquecer da chegada ao planeta dos exilados da Capela, e junto a eles, todos os vícios e 
defeitos daqueles que não tiveram condições de prosseguir na ¨evolução¨normal e natural de todas as 
criaturas humanas.
Recomendo o estudo do livro ¨evolução em dois mundos¨.
Um abraço a todos!!!

       Obrigado  thanatos ignis. Acho que é por aí mesmo. A sua resposta parece muito com pensamento de Roustaing sobre a 2ª queda.

       E antes de qualquer outro comentário à respeito da minha resposta já vou logo informando: Eu não sou Roustainguista, mas busco a verdade, sem preconceitos, onde ela estiver, seguindo um conselho de Jesus.

       

    

Ref resposta de Roberto Rezende em 17 junho 2015 at 16:47

      Como o amigo Roberto não disse a quem endereçou sua resposta, como ela está logo abaixo da minha, vou considerar que foi para mim e vou tentar responder; se não foi para mim, peço que o amigo me perdoe!

      Assim, pergunto ao amigo Roberto e aos demais amigos: há alguma coisa “absurda” no que escrevi? Por favor, se há peço que quem as encontrar as aponte para que, conforme o caso, possamos corrigi-las ou explicá-las melhor! Todas as perguntas que fiz, não merecem, pelo menos, um pouco de raciocínio? Não é a própria doutrina que aconselha que raciocinemos para entendê-la melhor?

      Rob disse:... Obras das quais ainda não apreendemos toda a sua profundidade; tanto as básicas, quanto as complementares.

      Luís: se até agora não apreendemos em sua profundidade as obras básicas, que já estão entre nós há mais de século e meio, como é que podemos entender a doutrina, que é ela mesma que manda que tenhamos uma “fé raciocinada”? Observem que a codificação não nos permite saber nem mesmo porq, se somos todos criados “perfeitamente iguais”, sem inclinação nem para o bem, nem para o mal, uns se tornam bons e outros se tornam maus!

      Rob: André Luis nos informa que... a partir da aquisição do pensamento contínuo, é que o princípio inteligente é chamado de homem.

      Luis: aqui tenho de fazer outra pergunta: o PI adquiriu mesmo o pensamento contínuo? O homem dispõe dessa aquisição? Afinal, para mim é estranho se dizer isso, pois os pensamentos não os “adquirimos”, já que nunca são verdadeiramente nossos; nenhum deles têm origem em nós, mas em ações ou eventos que ocorrem fora de nós e  que são captados por nossos canais de ligação com o mundo!

      E, se os Agentes Celestes trazem para a humanidade os conceitos e ensinamentos espirituais e morais, será q eles não possuem a capacidade de nos ensinar?! Pois vejam o mundo, que é, ainda, um abismo de egoístas e orgulhosos, perversidades e perversões, de desonestidade e corrupção, de ladrões e assassinos, de imperfeições e defeitos morais sem conta!!

      Rob:... (acredito que este seja o período da nossa mais pura inocência, apesar da nossa animalidade).

      Luis: mas porq, depois, perdemos a nossa inocência? Não somos mais inocentes? Como dizer isso se tudo o que fazemos de mal resulta dos ensinamentos da escola da vida, essa escola do bem e do mal?! Afinal, não é essa escola que nos ensina fazer ou o bem ou o mal, em cada situação em que vivemos?!

      Rob: Não podemos esquecer da chegada ao planeta dos exilados da Capela, e junto a eles, todos os vícios e defeitos daqueles que não tiveram condições de prosseguir na ¨evolução¨ normal e natural de todas as criaturas humanas.

      Luis: o que o amigo quer dizer com isso? Que foram eles que nos contaminaram com vícios e defeitos? Não entendi pois, se foram eles que nos contaminaram, porq temos de sofrer por isso?!

Concordo com o Luis. Não é justo sofrermos por contaminação de vícios e defeitos que vieram de Capela. Ademais, quem contaminou os de Capela?! E assim por diante...O fato é que a doutrina espírita nos ensina o processo evolutivo a partir da simplicidade e ignorância do ser criado nesta dimensão de espaço, tempo e matéria. Mas porque fomos criados simples e ignorantes se viemos da perfeição, que é Deus? Ora, a ignorância já é um mal e a simplicidade, neste caso, é a falta de poder nas possibilidades infinitas do amor Divino. Então estaríamos admitindo que Deus necessitaria do tempo e do espaço para criar , eternamente, na matéria os seres simples e ignorantes, o que não é admissível uma vez que Deus é perfeito e nada diferente disso sairia de Suas "Mãos". Portanto, nós também somos espíritos criados perfeitos e não simples e ignorantes. Nos tornamos assim, em função da contração da nossa consciência na matéria e não por que Deus nos criou assim. O mundo espiritual pré existe em relação ao mundo material e, este, nem mesmo precisaria existir conforme questão 85 de o livro dos espíritos. Entende-se aqui mundo espiritual como aquele que não é feito de matéria de qualquer natureza, por isso, não me refiro à colônias espirituais que ainda estão presas às cadeias do tempo, espaço e matéria. Isto representa bem a parábola do filho pródigo.

Ao amigo Marco Túlio Ferreira Silva.

      Marco disse: Concordo com o Luís. Não é justo sofrermos por contaminação de vícios e defeitos que vieram de Capela. Ademais, quem contaminou os de Capela?! E assim por diante... O fato é que a doutrina espírita nos ensina o processo evolutivo a partir da simplicidade e ignorância do ser criado nesta dimensão de espaço, tempo e matéria. Mas porque fomos criados simples e ignorantes se viemos da perfeição, que é Deus?

      Luís: Exatamente, amigo Marco. E essa pergunta que vc coloca é muito pertinente pois os chamados “filhos de Deus” bem amados por Ele, são exatamente o oposto do Pai: Ele é infinitos amor, justiça, sabedoria e perfeição; nós, ódio e perversão, extremamente injustos, ignorantes e carregados das mais monstruosas imperfeições! Como de Deus, que é infinita perfeição, pode proceder tão grande imperfeição?!!

      Marco: Ora, a ignorância já é um mal e a simplicidade, neste caso, é a falta de poder nas possibilidades infinitas do amor Divino. Então estaríamos admitindo que Deus necessitaria do tempo e do espaço para criar, eternamente, na matéria os seres simples e ignorantes, o que não é admissível uma vez que Deus é perfeito e nada diferente disso sairia de Suas "Mãos".

      Luís: concordo com vc, meu jovem. E mais ainda: segundo a doutrina, Deus nos cria porq de nós necessita para que O auxiliemos na “marcha do Universo”!! Aquele que é o próprio Todo Poder, criador de todas as coisas, sem cuja permissão nada acontece, necessita de quem O ajude?!!!!

      E, amigo, vc diz que “nos tornamos assim, em função da contração da nossa consciência na matéria”; então pergunto para quem souber responder: porq temos de sofrer devido nossa consciência ter-se apequenado no mundo material, onde Deus mesmo nos colocou? Onde está nisso a transgressão às leis divinas?!

     E se, conforme afirma a questão LE/85, a existência do mundo material nem mesmo é necessária, outras questões afirmam o contrário: que o mundo material é necessário, pois é para ele que Deus nos manda para nos aperfeiçoarmos moral e intelectualmente! 

Amigos..., não fomos criados perfeitos mas sim ¨perfectíveis¨ , o que é bem diferente.

Se fossemos criados perfeitos não precisaríamos evoluir, já nasceríamos ANJOS.

Conforme Emmanuel ( A caminho da luz ) e André Luis (evolução em dois mundos ), os espíritos degredados

da Capela, aprimorou os corpos da nossa civilização primitiva e acelerou o conhecimento das artes e indústria

( sempre considerando a época primitiva ).

Os exilados, sendo um povo muito mais inteligente que os filhos do planeta, nos dirigiram no bem e no mal,

principalmente até o período da construção das pirâmides, quando a maioria retornou a Capela.

-Luis Conforti escreveu: O pensamento esta fora de nós. Discordo!

O pensamento é um dos principais atributos do espirito ( encarnado ou não ).


Respondendo ao Luis Conforti Junior:

           Não foi Deus que nos colocou no mundo material. E nem mesmo foi Deus quem criou o mundo material. Fomos nós. O mundo material existe como uma inversão do mundo espiritual, como uma inversão do Sistema original por Deus criado. Digamos, um anti-sistema. Por isso, aqui, no mundo material tudo que existe representa o inverso do original. Por isso, aqui, o amor se inverteu no ódio, a paz, na guerra, o espírito na matéria, a verdade na ignorância, etc. Vivemos numa realidade que não é a Divina. Estamos distantes da Casa do Pai, mas por nossa própria decisão, assim como o filho pródigo da parábola. Nós criamos e estamos desenvolvendo a matéria. Deus têm nos ajudado a organizar o caos afim de diminuir o sofrimento do exílio aqui nas cadeias do espaço e do tempo, mas não para nos apegarmos a matéria e sim para que nos tornemos cada vez mais conscientes e possamos, através da evolução, retornar à casa do Pai, ou seja, à dimensão do espírito. Para isto é necessário morrer cada vez mais para o ego, e consequentemente para a matéria, afim de que possamos crescer em espírito, conforme os ensinamentos de Jesus. É necessário espiritualizar a matéria, pois que esta também é espírito, porém, na sua forma invertida.

Respondendo ao Roberto Rezende:

          A queda de humanidades em relação à Capela é algo que não discuto, pois que Emmanuel deixou isto muito bem explicado no seu livro "À Caminho da Luz". Entretanto, necessário se faz aprofundar um pouco mais o bisturi da pesquisa da verdade na busca da compreensão das nossas origens mais profundas. Como Havia dito anteriormente Deus, que é a perfeição infinita nada pode criar de imperfeito, portanto, os filhos de Deus, são deuses também, como já disse Jesus. E, de fato, a evolução só existe em função de uma involução. Não se justifica um sistema pedagógico evolutivo onde Deus nos criaria como sementes afim de percorremos um tremendo e terrível caminho evolutivo passando pela selvageria da fase animal aprendendo a matar, a roubar, a rasgar, enfim à desenvolvermos o egoísmo na sua plenitude para depois, na fase humana Deus nos pedir para abandonar todo este patrimônio inferior em favor do próximo, aprendendo o amor. Ora, dessa maneira, Deus teria nos teria adestrado no mal e na dor, propositadamente, para depois nos adestrar no bem e no amor. Por quê? Kardec, em seu senso apurado questionou isso no livro "A gênese, segundo o espiritismo, Capítulo 3, Destruição dos Seres Vivos uns pelos Outros,  item 21 :

"Objetar-se-á: não podia Deus chegar ao mesmo resultado por outros meios, sem constranger os seres vivos a se destruírem mutuamente? Desde que na sua obra tudo é sabedoria, devemos supor que esta sabedoria não existirá mais num ponto do que noutros; se não o compreendemos assim, devemos atribuí-lo à nossa falta de adiantamento. Contudo, podemos procurar a pesquisa da razão do que nos pareça defeituoso, tomando por bússola este princípio: Deus há de ser infinitamente justo e sábio. Procuremos, portanto, em tudo, a sua justiça e a sua sabedoria e curvemo-nos diante do que ultrapasse o nosso entendimento"

Ou seja, isto não foi compreendido na época. Kardec não compreendeu e não teve resposta. Mas podemos deduzir que  facilmente que isto não faz parte do amor. Ou seja, que  isto não é de Deus. 

Se Deus nos cria como sementes para evoluir e desabrochar podemos inferir que, assim como toda semente já foi um dia uma árvore, pois que toda a informação da árvore que surgirá está contida na semente, também nós já fomos anjos, agora contidos na semente do homem. Aliás, na questão 540 de "O livro dos espíritos" fica bem clara esta questão quando diz no seu final:

"

É assim que tudo serve, que tudo se encadeia na Natureza, desde o átomo primitivo até o arcanjo, que também começou por ser átomo. Admirável lei de harmonia, que o vosso acanhado espírito ainda não pode apreender em seu conjunto!”

Portanto, se o arcanjo começou por ser átomo, poderíamos dizer que cada átomo é um arcanjo contraído na estrutura atômica. Mas não aceitemos com isso, que esse esquema, essa pedagogia, cruel à ponto de encarcerar um ser perfeito, tal como o arcanjo, nos redemoinhos atômicos, seja de Deus. Não. Isto não é condizente com o mais perfeito amor, por consequência, com a mais perfeita liberdade. Amor e liberdade perfeitos andam juntos. Um anjo encarcerado na cadeia atômica já não goza de qualquer liberdade e nem consegue amar na sua plenitude. Ele se tornou simples e ignorante, preso dentro do átomo , pois todo o seu conhecimento está contido na esfera atômica. A evolução é o remédio para  o libertar das amarras do tempo e do espaço da cadeia atômica, mas ela só existe em função desse aprisionamento e não como uma criação originariamente Divina.

 

Ref resp de Roberto Rezende, de 29 12 15

      O amigo Roberto disse, como tb diz a doutrina, que não somos criados perfeitos, mas ¨perfectíveis¨... Que se fossemos criados perfeitos não precisaríamos evoluir, já nasceríamos Anjos; e que, conforme ensinam Emmanuel e André Luis, foram os espíritos banidos de Capela, que, sendo eles muito mais inteligente do que nós, nos dirigiram no bem e no mal...

      Luís: sendo assim, meu jovem, porq temos de sofrer qdo somos maldosos, se foram esses exilados que nos dirigiram para o mal?

      Roberto tb diz que discorda qdo digo que os pensamentos não são verdadeiramente nossos, pois, eu tb disse, que todos eles se originam de algo que está fora de nós, fora de nosso corpo espiritual (eventos, fenômenos, ações etc)!

      Luis: sendo assim, meu jovem, peço-lhe que faça um simples e pequeno experimento ou teste para comprovar se algum pensamento é verdadeiramente nosso ou não, pois que nenhum deles tem origem, ou nasce de nós e, muito menos, de nossa vontade!

      Não temos a capacidade ou o poder de controlá-los, nem de comandá-los; não temos poder sobre eles; são eles que nos comandam, que nos dominam, e deles somos obedientes e submissos escravos e, consequentemente, fazemos o bem ou o mal, conforme o que eles determinarem!

      Teste: tente, meu jovem, deixar que sua mente fique "totalmente vazia" de pensamentos, ou tente manter nela "um único" pensamento. Se vc conseguir fazer isso por 1 minuto só que seja, já será uma vitória! Ou tente mudar um pensamento mau, um pensamento de ódio, de vingança, de egoísmo, de vaidade, de orgulho, em um pensamento de amor, de perdão, de solidariedade, de humildade!

 

      Meu amigo, todos os pensamentos que estão em sua mente, todos eles apenas chegam, demoram pouco ou muito tempo e, depois se vão, independentemente de nossa vontade e muitas vezes contra ela, sejam eles agradáveis ou desagradáveis, tragam-nos alegrias ou tristezas, ou remorsos, ou o desejo de fazer o bem ou de fazer o mal!

Responder à discussão

RSS

APLICATIVO RAETV

Nosso aplicativo para download gratuito no Google Play

COLABORE COM A RAE

PRÓXIMOS EVENTOS AO VIVO

Artigos Espíritas

A convivência familiar na pandemia.

A convivência familiar na pandemia.

 

A impermanência das situações existenciais necessita estar em  nossas reflexões .

Por quê?

Simples, porque as mudanças são uma realidade tão palpável quanto a morte.

De um momento para o outro, por exemplo, podemos ter as nossas rotinas capturadas pelos mais variados motivos.

E o ano de 2020 escancarou…

HÁ AMOR NO QUE VOCÊ FAZ? - Nelson Xavier

HÁ AMOR NO QUE VOCÊ FAZ?

“Quanto mais eu escrevo, mais as palavras aparecem. Quanto mais eu vivo, mais a vida me esquece.

Quanto mais eu choro, mais as lágrimas descem. Quanto mais eu amo,…

Reflexões sobre as Leis Naturais.

Reflexões sobre as Leis Naturais.

 

Quando se inicia o estudo da Lei Divina ou Natural, que consta em O Livro dos Espíritos, percebe-se que Kardec, na elaboração das perguntas aos Espíritos, objetiva eliminar as contradições…

E quando o desequilíbrio da saúde mental destrói o futuro... (Artigo de Jane Maiolo)

E quando o desequilíbrio da saúde mental destrói o futuro...

 por Jane Maiolo

Por que estamos nós…

Por que nos sentimos mal em determinados ambientes?

Por que nos sentimos mal em determinados ambientes?

 

Wellington Balbo – Salvador BA

 

Você já esteve em ambientes em que se sentiu mal, constrangido, pouco à…

Últimas atividades

augusta curtiu a postagem no blog Amor antigo - Alma afim. de Nilton Cardoso
14 horas atrás
augusta curtiram o perfil de Nadia Rosangela
14 horas atrás
ANDREA REGINA DE SA curtiram a discussão FACULDADE DE FILOSOFIA ESPÍRITA de MARIO FONTES
ontem
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Os “bons” são tímidos (LE q. 932) até na Universidade de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
"Ao tentar processar o Porta dos Fundos, por retratar Jesus como um gay, igreja teve um prejuízo de R$ 82…"
sábado
Madelon Fonseca curtiram a discussão Reflexões sobre as Leis Naturais. de Wellington Balbo
sexta-feira
Joao Iudes Nodari respondeu à discussão FACULDADE DE FILOSOFIA ESPÍRITA de MARIO FONTES
"A Marlene apresentou uma realidade constatada diariamente no processo de palestras ministradas nos centros e unidades espíritas. Está-se chegando numa fase onde a ênfase oratória pergaminha atitudes emocionais e…"
sexta-feira
Ligia Maria Matutino Bastos entrou no grupo de Amigo Espírita
Miniatura

Espiritismo e Evangelho

Grupo destinado a estudos do Evangelho a Luz da Doutrina EspíritaVer mais...
sexta-feira
Ligia Maria Matutino Bastos entrou no grupo de Amigo Espírita
Miniatura

Estudo: "Amor e Sabedoria de Emmanuel"

Estudo Interativo da Série: "Amor e Sabedoria de Emmanuel"Áudios  e vídeos da Sala de Conferência Estudando EspiritismoAo vivo semanalmente as 20h00 pelo link…Ver mais...
sexta-feira
MARIO FONTES respondeu à discussão FACULDADE DE FILOSOFIA ESPÍRITA de MARIO FONTES
"Marlene, Grato pelo seu comentário. Deus a abençoes . Precisando de qualquer informação estamos a disposição.."
sexta-feira
MARIO FONTES curtiram o perfil de Marlene Matias da Silva
sexta-feira
Raimundo Luís Godinho Costa entrou no grupo de Acacia Maria Picoli
Miniatura

Meimei - Espirito de Luz

Grupo criado com o objetivo de divulgar as lindas mensagens e preces de MeimeiVer mais...
sexta-feira
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Os “bons” são tímidos (LE q. 932) até na Universidade de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
sexta-feira

Regras de uso e de publicação

 

 

© 2020   Criado por Amigo Espírita.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço