AMOR, ALIMENTO DAS ALMAS

 Felipe Estabile Moraes 

[estabile@uol.com.br]

 

            Muito refletimos sobre o que nos “alimenta”. Sobre o que nos proporciona bem-estar, sustentação.   

            Esta oportunidade nos foi ofertada pela União Espírita Mineira ao sermos convidados para apresentar este tema na Feira do Livro Espírita, em outubro de 2018.

            Recorremos, inicialmente, à comparação feita por Jesus entre a mesa que recebe o alimento material e também o alimento espiritual.  É o conhecido Capítulo “O Culto Cristão no Lar, do livro “Jesus no Lar”, de Neio Lúcio, quando Jesus afirma:

 

“O berço doméstico é a primeira escola e o primeiro templo da alma. A casa do homem é a legítima exportadora de caracteres para a vida comum.  Se o negociante seleciona a mercadoria, se o marceneiro não consegue fazer um barco sem afeiçoar a madeira aos seus propósitos, como esperar uma comunidade segura e tranquila sem que o lar se aperfeiçoe?  A paz do mundo começa sob as telhas a que nos acolhemos. Se não aprendemos a viver em paz, entre quatro paredes, como aguardar a harmonia das nações?  Se nos não habituamos a amar o irmão mais próximo, associado à nossa luta de cada dia, como respeitar o Eterno Pai que nos parece distante?

 

Jesus relanceou o olhar pela sala modesta, fez pequeno intervalo e continuou:

 

— Pedro, acendamos aqui, em torno de quantos nos procuram a assistência fraterna, uma claridade nova. A mesa de tua casa é o lar de teu pão. Nela, recebes do Senhor o alimento para cada dia. Porque não instalar, ao redor dela, a sementeira da felicidade e da paz na conversação e no pensamento? O Pai, que nos dá o trigo para o celeiro, através do solo, envia-nos a luz através do Céu. Se a claridade é a expansão dos raios que a constituem, a fartura começa no grão. Em razão disso, o Evangelho não foi iniciado sobre a multidão, mas, sim, no singelo domicílio dos pastores e dos animais.”

 

            Reflexão importante. Necessitamos do sustento, por meio da alimentação. No plano físico, o alimento material, o pão, que dará a necessária sustentação ao corpo físico. Espiritualmente necessitamos do sustento, para a alma. E o Mestre faz o convite a Pedro, e também a todos nós, da sementeira do Amor, da Caridade.

            Retomamos a conhecida pergunta de “O Livro dos Espíritos”, relativa à Caridade:

 

  1. 886. Qual o verdadeiro sentido da palavra caridade, como a entendia Jesus?

“Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições dos outros, perdão das ofensas.”

 

Allan Kardec, em seu comentário, nos auxilia no entendimento:

 

“O amor e a caridade são o complemento da lei de justiça, pois amar o próximo é fazer-lhe todo o bem que nos seja possível e que desejáramos nos fosse feito. Tal o sentido destas palavras de Jesus: Amai-vos uns aos outros como irmãos.”

 

            Desta forma procuramos entender melhor o significado do amor ao próximo, da fraternidade, que procuramos sentir em nossos corações.

            No Livro “Nosso Lar”, de André Luiz, temos um capítulo com o título “Amor, Alimento das Almas”. Em forma de diálogos, envolvido em ambiente de fraternal entendimento, vamos aprendendo um pouco mais sobre este interessante tema. Interessante, é que conversação se dá no lar de Dona Laura, a nos convidar para aproveitarmos este ambiente para nossa edificação espiritual, na forma do convite de Jesus a Pedro.

            Inicialmente, a conversa se dá em torno da necessidade de alimentação no plano espiritual. A senhora Laura comenta:

 

— Afinal, nossas refeições aqui são muito mais agradáveis que na Terra. Há residências, em “Nosso Lar” que as dispensam quase por completo; mas, nas zonas do Ministério do Auxílio, não podemos prescindir dos concentrados fluídicos, tendo em vista os serviços pesados que as circunstâncias impõem. Despendemos grande quantidade de energias. É necessário renovar provisões de força.

 

            Uma jovem que participa da conversação, complementa:

 

“Todos os Ministérios, inclusive o da União Divina, não os dispensam, diferindo apenas a feição substancial. Na Comunicação e no Esclarecimento há enorme dispêndio de frutos. Na Elevação o consumo de sucos e concentrados não é reduzido, e, na União Divina, os fenômenos de alimentação atingem o inimaginável.”

 

            A mãe de Lísias amplia o tema, incluindo o Amor como base de toda alimentação:

 

“— Nosso irmão talvez ainda ignore que o maior sustentáculo das criaturas é justamente o amor. De quando em quando, recebemos em “Nosso Lar” grandes comissões de instrutores, que ministram ensinamentos relativos à nutrição espiritual. Todo sistema de alimentação, nas variadas esferas da vida, tem no amor a base profunda. O alimento físico, mesmo aqui, propriamente considerado, é simples problema de materialidade transitória, como no caso dos veículos terrestres, necessitados de colaboração da graxa e do óleo. A alma, em si, apenas se nutre de amor. Quanto mais nos elevarmos no plano evolutivo da Criação, mais extensamente conheceremos essa verdade. Não lhe parece que o amor divino seja o cibo  do Universo?”

 

Lísias, complementa:

 

“— Tudo se equilibra no amor infinito de Deus, e, quanto mais evolvido o ser criado, mais sutil o processo de alimentação. O verme, no subsolo do planeta, nutre-se essencialmente de terra. O grande animal colhe na planta os elementos de manutenção, a exemplo da criança sugando o seio materno. O homem colhe o fruto do vegetal, transforma-o segundo a exigência do paladar que lhe é próprio, e serve-se dele à mesa do lar. Nós outros, criaturas desencarnadas, necessitamos de substâncias suculentas, tendentes à condição fluídica, e o processo será cada vez mais delicado, à medida que se intensifique a ascensão individual.”

 

            O Amai-vos uns aos outros passa, então, a ser melhor interpretada, pela expressão da senhora Laura:

 

“(...)Jesus não preceituou esses princípios objetivando tão somente os casos de caridade, nos quais todos aprenderemos, mais dia menos dia, que a prática do bem constitui simples dever. Aconselhava-nos, igualmente, a nos alimentarmos uns aos outros, no campo da fraternidade e da simpatia. O homem encarnado saberá, mais tarde, que a conversação amiga, o gesto afetuoso, a bondade recíproca, a confiança mútua, a luz da compreensão, o interesse fraternal — patrimônios que se derivam naturalmente do amor profundo — constituem sólidos alimentos para a vida em si. Reencarnados na Terra, experimentamos grandes limitações; voltando para cá, entretanto, reconhecemos que toda a estabilidade da alegria é problema de alimentação puramente espiritual. Formam-se lares, vilas, cidades e nações em obediência a imperativos tais.

 

            Vamos refletindo e aprendendo, desde já, o bem que nos faz uma boa conversação, a confiança entre amigos e irmãos. Já conseguimos sentir como isto é importante para nós, para a nossa vida. Como nos sentimos realmente alimentados, sustentados quando temos essas oportunidades de trocas singelas e sinceras de afeto, entre Espíritos imortais.

            Vamos entendendo que o alimento material tem origem no Amor Divino e nele estamos envolvidos. Em nossa jornada evolutiva, rumo à perfectibilidade, vamos encontrando Espíritos que amamos e que nos amam. Em contato com esses irmãos, vamos nos alimentando espiritualmente, colocando em prática a verdadeira Caridade, conforme entendia Jesus. A reciprocidade no Bem se torna, então, algo importante para nós;

            Na sequência da conversa em Nosso Lar, alguns participantes da agradável conversação vão se dirigir a uma excursão ao Campo da Música.  A senhora Laura, então, comenta:

Vão em busca do alimento a que nos referíamos. Os laços afetivos, aqui, são mais belos e mais fortes.”

            E termina, com uma frase que nos leva a profunda reflexão:

           

            “O amor, meu amigo, é o pão divino das almas, o pábulo(*) sublime dos corações.”

 

* Pábulo. Dic.virtual: substantivo masculino. Aquilo que mantém, que sustenta; alimento, sustento.

Exibições: 196

Respostas a este tópico

Felipe Estabile Moraes

Amigo Fê, sendo o amor o alimento da alma, onde conseguiremos obter esse alimento para ofertá-lo a quem dele necessite, se como fazer para ter amor, no coração, como fazer para amar, ninguém consegue ensinar e ninguém aprende nem com conselhos, nem com ensinamentos, nem com exemplos de quem quer q sejam?!

RSS

APLICATIVO RAETV

Nosso aplicativo para download gratuito no Google Play

ASSOCIE-SE E COLABORE

Artigos Espíritas

Chico Xavier - O servidor

Compartilhamos com os amigos da RAE este belo artigo.

Sds



Atribuem a Mark Twain a citação da seguinte frase: “Não gosto de elogios.
Nunca acho que falaram o…

O custo do abandono emocional (Jane Maiolo)

O custo do abandono emocional 

 

  

 

“Por isso não desfalecemos; mas, ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia”.…

Hipocrisia gourmet: os riscos de uma seita chamada Espiritismo.

Hipocrisia gourmet: os riscos de uma seita chamada Espiritismo.

 

 

E ele, respondendo, disse-lhes: Bem profetizou Isaías acerca de vós, hipócritas, como está escrito:Este povo honra-me com os lábios,Mas o seu coração está longe de mim;…

Pedagogia do silêncio ou talking cure?

Pedagogia do silêncio ou talking cure? 

 

 

 

E ele lhes disse: Que palavras são essas que, caminhando, trocais entre…

Vaidade ou inveja? (Por Vladimir Alexei)

Vaidade ou inveja?

Vladimir Alexei

Belo Horizonte das Minas Gerais,

15 de fevereiro de…

Últimas atividades

Virgilio Augusto Esteves curtiu o vídeo de Carlos Pretti - SCEE
10 horas atrás
Virgilio Augusto Esteves curtiu o vídeo de Carlos Pretti - SCEE
10 horas atrás
Virgilio Augusto Esteves curtiu o vídeo de Carlos Pretti - SCEE
10 horas atrás
Virgilio Augusto Esteves curtiu o vídeo de Carlos Pretti - SCEE
10 horas atrás
Nadia Rosangela e Gilvan Gomes da Silva agora são amigos
12 horas atrás
Posts no blog por Antonio Cesar Perri de Carvalho

A fraternidade no diálogo espiritual

A fraternidade no diálogo espiritual Antonio Cesar Perri de CarvalhoO Grupo Espírita Casa do Caminho, de São Paulo, tem promovido estudos continuados em que o seminário “papel dos esclarecedores nos grupos mediúnicos” tem sido repetido e aprofundado. Trata-se de tema que deve merecer muita atenção nesses grupos dos centros espíritas.O tema nos remete, de início, a Chico…Ver mais...
12 horas atrás
Ícone do perfilAline Z. Gomes, Vinícius dos Santos Costa, Angelita Elaine Ribeiro Alves e mais 6 pessoas entraram em RAE
14 horas atrás
daniele santos curtiram o evento Transição Planetária de Maurício de Araújo Zomignani
20 horas atrás
daniele santos entrou no grupo de Maurício de Araújo Zomignani
Miniatura

Transição Planetária

Grupo para quem quer se dedicar à reflexão sobre o momento de transição que vimos atravessando no mundo e dentro de nós mesmos. Ver mais...
20 horas atrás
Posts no blog por ANA MARIA TEODORO MASSUCI
21 horas atrás
Juliana Moncorvo curtiram o perfil de Davidson Geraldo Lopes Cardoso
ontem
daniele santos curtiram a discussão Decálogo para médiuns (André Luiz) de Rosemary Cler da Silva
ontem
daniele santos curtiu a postagem no blog Charlatanismo, redes sociais e a fake new do além (Jorge Hessen) de os pae
terça-feira
Ori Pombal Franco curtiram o evento "Inteligência Emocional no Perdão", com Ana Jaicy Guimarães de Carlos Pretti - SCEE
segunda-feira
Carlos Pretti - SCEE curtiram o evento "Inteligência Emocional no Perdão", com Ana Jaicy Guimarães de Carlos Pretti - SCEE
segunda-feira
Maria de Lourdes Rezende curtiu a postagem no blog PRECE DE ALEXANDRE de ANA MARIA TEODORO MASSUCI
segunda-feira
Virgilio Augusto Esteves curtiram a discussão Faça o bem (artigo de Valci Silva) de Amigo Espírita
segunda-feira
Virgilio Augusto Esteves curtiu o vídeo de Carlos Pretti - SCEE
segunda-feira
Virgilio Augusto Esteves curtiram a discussão Vaidade ou inveja? (Por Vladimir Alexei) de Amigo Espírita
segunda-feira
Virgilio Augusto Esteves curtiu o vídeo de Carlos Pretti - SCEE
segunda-feira

Regras de uso e de publicação

 

 

Badge

Carregando...

© 2019   Criado por Amigo Espírita.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço