REDE AMIGO ESPÍRITA

Divulgando, Instruindo e Unificando!!!

Neste ponto podemos fazer uma breve pausa para rememorarmos algumas questões.

O Universo se expressa em uma Lei de Unidade onde em tudo há grande sabedoria. O evolucionismo está presente em todos os passos como sendo o processo restaurador de toda criação. Nada é criado pronto, há uma constante mutação em que a obra é aperfeiçoada a todo instante.

Tudo está encadeado, do átomo ao anjo. Não há como se encaminhar através da evolução sozinho, há a necessidade do grupo.

A Lei foi feita de tal modo que é imprescindível sempre a colaboração. Tudo que recebemos de certo modo pesa, o que doamos alivia; a instrução recebida responsabiliza, metabolizar a instrução através da vivência tranquiliza, regenera, cura.

A evolução dos sentidos se dá do seguinte modo:

  1. Tato

  2. Olfato e paladar

  3. Visão e audição

Após o sexto dia vêm os sentidos que transcendem a matéria: sentimento, intuição, sensibilidade mediúnica, etc. Ao sétimo dia muda-se de estágio. O perispírito é formado como resultado do corpo mental. Com o homem surge o raciocínio lógico, o ato de pensar melhor se expressa e o perispírito com este desenvolvimento mental aperfeiçoa-se.

O falar expressa e fortalece o pensamento, o agir dá autoridade ao falar.

Assim, o agir no bem sublima o perispírito.

(…) o ser viaja no rumo da elevada destinação que lhe foi traçada do Plano Superior, tecendo com os fios da experiência a túnica da própria exteriorização, segundo o molde mental que traz consigo, dentro das leis de ação, reação e renovação em que mecaniza as próprias aquisições (…)”1

E viu Deus que era muito bom, é o ciclo que se completa.

Assim, os céus, e a terra, e todo o seu exército foram acabados.

Céus e terra expressando completude, conforme já comentado, no sentido de, planos de manifestação da vida, espiritual e físico.

No campo pessoal podemos ver também como nossas projeções mentais [céus] e o plano de concretude das realizações [terra] através das quais alcançamos pontos de maior segurança na evolução.

E todo seu exército; exército, em hebraico tsaba, é palavra que pode significar também estrelas, como pode dar a ideia de um exército de anjos, os Espíritos colaboradores de Deus2. No capítulo 32 de Gênesis, Jacó se depara com os “anjos de Deus”, e diz: “este é o exército de Deus”3.

Fazemos parte do exército de Deus cada um na sua área de atuação, cada um na posição que está na atualidade. Daí concluímos, como consequência moral que todos devemos fazer, onde estivermos, o melhor ao nosso alcance, pois somos sempre instrumentos do Senhor para a realização de Sua obra.

Em vários momentos para que esta obra se concretize temos que realmente empreender lutas e esforços que são verdadeiras guerras [íntimas] onde como participantes do “Exército do Pai” devemos dar testemunho de ajuste ao Seu Plano Operacional. Só realizando deste modo, naqueles que são os “seis dias” da criação, representando trabalho e realizações reeducativas, podemos completar o ciclo, conforme as palavras foram acabados, atingindo assim o descanso da consciência que fez o melhor que podia na hora devida.

Lembrando sempre que a obra de Deus nunca termina, pois sempre há serviço a realizar - meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também4 -, concluímos assim, que a expressão foram acabados refere-se ao fim de uma fase que nos projetará numa nova dimensão a outras oportunidades de crescimento através do serviço realizado confirmando a máxima kardequiana de que fora da caridade não há salvação.5

E havendo Deus acabado no dia sétimo a obra que fizera, descansou no sétimo dia de toda a sua obra, que tinha feito.

O sétimo dia é assim, consequência dos anteriores, e havendo Deus acabado…, descansou. Quando terminamos um serviço dentro do melhor que podemos o descanso é algo natural, podemos dizer inclusive, que faz parte da Lei do Trabalho.

Como dissemos a obra de Deus nunca termina, portanto, este acabado deve ser compreendido como aquele momento que fecha um ciclo. É importante sua colocação no texto a mostrar-nos que Deus, em seu aspecto Lei realiza sempre o melhor, dando perfeito acabamento a tudo que é feito. Assim, se algo nos acontece sem que tenha sido fruto de nossa intervenção direta, devemos analisar melhor as circunstâncias, pois são elas fruto da Vontade do Pai a nosso favor.

O Sétimo dia é, deste modo,dever cumprido, e quando este se cumpre iniciam-se os fundamentos do amor. O amor transcende a tudo, a toda experiência no campo material; agir no sétimo dia é também buscar as questões espirituais. Nos seis primeiros se trabalha fundamentado na lei, no dever, na imposição de fora para dentro, no sétimo temos o amor, a espontaneidade, a atitude de dentro para fora.

A aquisição da virtude é complementada, fixa-se o valor como conquista do Espírito. Fazer o Bem deixa de ser uma preocupação da criatura, pois o Ser tornou-se Bom, e quem assim é, faz o Bem de forma natural.

Destarte, este descanso no dia sétimo não significa ociosidade como podemos supor, mas trabalho estruturado numa conquista realizada. Não existe ociosidade na criação divina, não há a mínima chance de encontrarmos Deus ocioso em momento algum.

O descanso do Criador é como a “paz do Cristo”. Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá…6 Dizendo assim, Jesus mostra-nos que a idéia que fazemos das coisas no mundo em que vivemos é invertida; “o essencial é invisível aos olhos”.

Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus…7

Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens…8;

Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.9

Outra colocação importante é a do pronome sua antes de obra, a definir que o descanso é relativo à obra de cada um, não há transferência de responsabilidade na criação:

a cada um segundo as suas obras.10

E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra que Deus criara e fizera.

E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; a santificação do dia representa assim, esta conquista do Espírito conforme descrevemos nos comentários anteriores.

O “descanso de Deus” passa a ser entendido, desta maneira, como a oportunidade para o Espírito realizar. Importa aqui considerar que Deus Cria; Ele é assim, Fonte Irradiadora, o Espírito é quem realiza.

Portanto, esta santificação, que é a bênção de Deus, é o momento em que a obra criada está madura para o co-criar, assim santificando ao Pai. É o fim da tutela de Deus.

O Espírito se capacita a, em conexão com a Fonte, fazer luz.

resplandeça a vossa luz diante dos homens11

porque nele descansou de toda a sua obra que Deus criara e fizera. Pouco podemos comentar deste trecho por ser ele a repetição do que já fora dito.

Cabe aqui apenas confirmar a questão do descanso estar diretamente ligado à obra de cada um, pois as palavras são claras e preciosas, nele descansou, dizendo que o descanso se deu no dia sétimo, que também é trabalho. Entretanto um trabalho diferente, pois dirigido a atender não mais aos interesses pessoais, mas ao do semelhante de um modo geral.

Nosso querido Honório Abreu sempre nos lembrava: “O trabalho voltado para si cansa, o trabalho do Espírito não cansa”. É este na realidade, o descanso da alma.

Repara Jesus e perceberás que o nosso problema não é de ganhar para fazer, mas de fazer para ganhar.12

Estas são as origens dos céus e da terra, quando foram criados; no dia em que o SENHOR Deus fez a terra e os céus

Os estudiosos do livro Gênesis nos apontam para uma origem trina deste livro. Ou seja, teve ele três fontes: uma sacerdotal, uma javista e uma eloísta.

Não são, como pode parecer, três narrativas distintas, são documentos complementares que se encaixam muito bem.

Neste quarto versículo deste segundo capítulo encontramos um dos encaixes. A narrativa sacerdotal vai de Gênesis, 1: 1 a 2: 4a [seria o versículo 4 até a palavra “criados”]. No versículo 4b [no dia em que o Senhor…] inicia a narrativa javista que vai até o fim do quarto capítulo. Vejamos que o quinto inicia exatamente onde 2: 4a termina:

2: 4a: Estas são as origens dos céus e da terra, quando foram criados…

5: 1: Eis o livro da descendência de Adão: No dia em que Deus criou Adão, ele o fez à semelhança de Deus.

5: 2: Homem e mulher ele os criou, abençoou-os e lhes deu o nome de Homem no dia em que foram criados.

Podemos notar neste versículo que na primeira parte, a sacerdotal, temos uma ordem: Estas são as origens dos céus e da terra, quando foram criados… Na origem da criação divina, primeiro veio os céus, conforme já comentamos, representando a criação espiritual de Deus. Deus é Espírito, então ele cria na dimensão espiritual: Espíritos e mundo espiritual.

Em 4b, na narrativa javista, temos a origem do homem como o fator central, aí temos a ordem inversa: no dia em que o SENHOR Deus fez a terra e os céus… Aqui a terra veio antes de céus.

No primeiro movimento tivemos o verbo “criar” que é atributo de Deus, no segundo “fazer” que é atributo dos Espíritos.

Na origem Deus cria… quando a ordem foi invertida temos terra antes de céu porque esta é a sequência evolutiva. Primeiro o Espírito tem de passar pela terra - representando aqui a vida física – que é seu campo operacional, para chegar ao céu, que é a sua plena realização espiritual, a volta às origens. Tudo começa no céu e fatalmente nele terminará.

Foi importante repetir aqui o que já tínhamos dito não só para fixar o conteúdo do livro, se assim não fizermos vamos ler, ler, e não aprender nada, mas também para mostrarmos como os textos bíblicos se completam. Mesmo sendo de tradições diferentes, de autores diversos, temos um encaixe perfeito. O que demonstra a presença do Espírito de Verdade inspirando, em todos os séculos, a organização das revelações, é como numa peça de crochê, apesar das manifestações diversas, uma só é a linha construindo o todo.

1 (XAVIER F. C. / Waldo Vieira / André Luiz [Espírito], 1993), cap. 3, 1ª parte

2 Cf. Deuteronômio, 4: 19; Isaías, 40: 26.

3 Gênesis, 32, : 1 e 2 (em algumas versões, Gênesis, 32: 2 e 3)

4 João, 5: 17

5 (KARDEC 1991), cap. XV

6 João, 14: 27

7 I Coríntios, 3: 19

8 Ib, 1: 25

9 Ibidem, 2: 14

10 Mateus, 16: 27

11 Mateus, 5: 16

12 XAVIER, Francisco C. /Emmanuel (Espírito). Palavras de Vida Eterna, 34ª ed., Uberaba, Comunidade Espírita Cristã, 2007. Cap. 64

Exibições: 145

ASSOCIE-SE E COLABORE

Últimas atividades

Rosangela Araujo Pereira respondeu à discussão FACULDADE DE FILOSOFIA ESPÍRITA de MARIO FONTES
16 minutos atrás
Ícone do perfilVanda dos reis duarte, Jesus Nogueira Cardoso, Lucimar da Silva Ottoboni Finott e mais 8 pessoas entraram em REDE AMIGO ESPÍRITA
25 minutos atrás
Eliane Assis Quintão curtiu o vídeo de Canal Amigos da Luz
2 horas atrás
Rosangela Araujo Pereira respondeu à discussão Questão 124 de "O Livro dos Espíritos" de Marco Túlio Ferreira Silva
3 horas atrás
Gelson Garcia de Carvalho postou um vídeo

Gelson - Depressão, Ansiedade e Suicídio - Como você pode se ajudar?

Espiritismo e Homeopatia Homeopatia: tratamento para o espírito e para o corpo Reflexões com Jesus - Coletânea de súplicas A fé é a nossa força, a oração é a...
4 horas atrás
Carlos Pretti - SCEE postou um vídeo

"As Doenças podem ser evitadas?", com Alda Maria

Palestra no domingo dia 26 de março de 2017, de 09 às 10h. da manhã na Sociedade Colatinense de Estudos Espíritas, com a pesquisadora e médium Alda Maria de Belo Horizonte-MG. Ela abordou o tema "As Doenças podem ser evitadas?". Alda faz parte do…
4 horas atrás
Adelmar Oliveira postou um vídeo

Fernando Ben explica sobre as Cartas de Fátima em Belo Horizonte

Filmagem e edição em Belo Horizonte: David Silva. Site das Cartas de Fátima: www.cartasdefatima.com.br
4 horas atrás
Vicente de Paula Cardoso postou um vídeo

Nova Era 13 Março 2017

3º Programa Nova Era, realização AME Aliança Municipal Espírita de Divinópolis, MG Brasil.
4 horas atrás
Feeak Minas postou vídeos
4 horas atrás
The Spiritist Psychological Soci postou um vídeo
4 horas atrás
ROBERTO JOSÉ DAMASCENO postou um vídeo

HÉLIO TINOCO REIS - " TRABALHADORES DA ÚLTIMA HORA " - 21/03/2017 - Irmão Tomé - Vitória/ES

Palestra de HÉLIO TINOCO REIS, em 21/03/2017, na Sociedade de Estudos Espíritas Irmão Tomé. em Vitória/ES.
4 horas atrás
Ícone do perfilRede Amigo Espírita via Facebook
Facebook4 horas atrás · Responder
Lygia dos Santos R.Brusselmans curtiram o evento Mensagens Mediúnicas - Psicografias e Psicofônias de Amigo Espírita
4 horas atrás
MARIO FONTES respondeu à discussão FACULDADE DE FILOSOFIA ESPÍRITA de MARIO FONTES
5 horas atrás
Ícone do perfilCristiane de Paula Magaldi e Walfrido Joaquim Monteiro Franco estão participando do evento de Carlos Pretti - SCEE
Miniatura

“Bem Aventurados os Brandos e Pacíficos”, com Luiz Pretti Leal ao vivo no Canal 4 em Sociedade Colatinense de Estudos Espíritas

2 abril 2017 de 9 a 10:15
6 horas atrás
Carlos Pretti - SCEE curtiram o perfil de Ruy Ermelindo Nogueira Barbosa
7 horas atrás
Carlos Pretti - SCEE curtiram o perfil de TANIA REGINA SANTOS GARCIA
7 horas atrás
Carlos Pretti - SCEE curtiram o perfil de Vitor Bellini
7 horas atrás
Marcelo Fernandes respondeu à discussão Questão 124 de "O Livro dos Espíritos" de Marco Túlio Ferreira Silva
12 horas atrás
Marcelo Fernandes respondeu à discussão Quando indagado sobre sua religião, o que você responde? O que você considera seja o Espiritismo? de Jandyra Helena
12 horas atrás

Regras de uso e de publicação

 

 

© 2017   Criado por Amigo Espírita.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço