E viu Deus que era boa a luz; e fez Deus separação entre a luz e as trevas.

E viu Deus que era boa a luz; passa-se o tempo, neste passo já estamos a uma boa distância em termos de tempo do segundo versículo.

O Eclesiástico nos lembra:

Quando no princípio o Senhor criou as suas obras, assim que foram feitas atribuiu um lugar a cada uma.

Ordenou sempre a sua atividade e suas tarefas pelas gerações.

Elas não sentem fome nem cansaço e não abandonam suas atividades.

Nenhuma delas jamais se choca com a outra e jamais desobedecem à sua palavra.

Depois disso o Senhor olhou para a Terra e a encheu com os seus bens1

Não conseguimos alcançar toda grandeza da Criação Universal:

Tudo isso é o exterior das suas obras, e ouvimos apenas um suave eco. Quem compreenderá o estrondo do seu poder?2

Viu Deus que era boa a luz; a luz precisava de passar por um processo de adequação.

Importa que cada coisa venha a seu tempo. A verdade é como a luz: o homem precisa habituar-se a ela, pouco a pouco; do contrário, fica deslumbrado.3

A expressão viu Deus que era boa a luz, ou viu Deus que era bom, repete-se várias vezes no texto, designa também o plano de Qualidade Total na criação divina. Como também em Gênesis, 1: 31:

E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom…

Podemos aqui pensar em contradição já que a luz vinda de Deus só pode ser boa; entretanto, é bom compreendermos que estamos no relativo onde esta “boa” luz pode ser transformada em nós em trevas:

Se, portanto, a luz que em ti há são trevas, quão grandes serão tais trevas!4

Como? Se recebermos algo do Alto, e não o aplicarmos no desenvolvimento do Bem, se não damos um fim útil ao que detemos por extensão de misericórdia, estagnamos a luz, colocamos sobre ela algo que a impede de manifestar-se, a luz que há em ti são trevas…

e fez Deus separação entre a luz e as trevas. Luz e trevas são duas forças que estão presentes em toda realidade universal, são forças que mantêm o equilíbrio do universo em sua linha dinâmica.

É preciso caminhar com tranquilidade e segurança. Se isso compreendermos vamos desvinculando-nos das pressões, das crendices, pois luz e trevas fazem parte do andamento natural do universo, temos que realizar no âmbito do possível, sem, no entanto, deixar de usar de misericórdia.

Não podemos, deste modo, termos a pretensão de acabar com a treva, é preciso trabalhar com o que chega até nós, não vamos resolver todos os problemas do mundo, mas estaremos contribuindo se agirmos pelo Bem na faixa que nos diz respeito e com o que vem até nós.

Na criação original temos a unidade existente dentro do processo natural, aqui acontecem separações vibracionais, separações de matérias diferenciadas, plano físico e plano espiritual, componente físico e psíquico.

O despertar espiritual acontece com a luta entre as duas partes. É o conflito produzindo progresso.

Separou a luz das trevas havia a necessidade da busca.

A partir da luz toma-se consciência da treva.

Quando o conhecimento é desperto em nós passamos a visualizar a treva existente na fase anterior, que até então não era percebida. Só a partir deste momento separamos a luz das trevas, é a tomada de consciência.

Na ignorância estamos em treva, porém, devido à inconsciência não percebemos esta treva. Pelo processo de iluminação, isto é, quando surge a luz passamos a visualizar a treva em que estamos imersos. Percebemos a necessidade da busca da autoiluminação, passamos a selecionar, não mais aceitamos o que antes era para nós natural e até fonte de prazer.

Este é o momento em que o Deus imanente ou Cristo interior separa a luz das trevas, é o fechamento daquele ciclo, “dia primeiro”. Houve uma “tarde”, amadurecimento relativo à fase anterior, e uma manhã, uma nova proposta que se inicia.

1 Eclesiástico, 16: 24 a 29

2 Jó, 26: 14

3 (KARDEC, 1980) questão 628

4 Mateus, 6: 23

 

Autor: Claudio Fajardo de Castro (Juiz de Fora/MG)

 

Claudio Fajardo de Castro (Juiz de Fora/MG)

é membro da Rede Amigo Espírita

Cláudio Fajardo é bancário, escritor desde 1997, dedica-se ao estudo do Novo Testamento à luz da Doutrina. Coordenou curso de Espiritismo no Centro Espírita Amor e Caridade em Goiânia – GO, denominado de Curso de Espiritismo e Evangelho. A partir daí surgiram seus livros: O Sermão do Monte, Jesus Terapeuta I e II, O Sermão Profético e O Sermão do Cenáculo, todos publicados pela Editora Itapuã.

Blogs: http://espiritismoeevangelho.webnode.com/

e-mail: fajardo1960@gmail.com

Exibições: 2126

Respostas a este tópico

"A partir da luz toma-se consciência da treva."

A verdade vos libertará, e a conciencia da sombra nos indica o caminho para a busca da LUZ.

Muito bom,  estudei hj  os  4  , neste  4 entendi que  a luz é permanente em nós  mas com o nosso livre  arbitrio detemos a treva, mas  que  tambem  devemos  buscar com calma a luz para que ela não nos ofusque....Paz!

Obs; esse é uma vez por semana  as  quinta feira?

Ivone, obrigado pelos comentários.

A nossa ideia é publicar um texto por semana para que possa dar tempo de todos trabalharem o assunto com calma, pois trata-se de um tema complexo.

Quanto ao dia, pensamos que seja num dia próximo do fim de semana, dias em que habitualmente temos mais tempo para o estudo. Não podemos prometer sempre na quinta pois às vezes surgem problemas que dificultam, mas faremos o possível para manter a normalidade e a habitualidade.

IVONE DE JESUS disse:

Muito bom,  estudei hj  os  4  , neste  4 entendi que  a luz é permanente em nós  mas com o nosso livre  arbitrio detemos a treva, mas  que  tambem  devemos  buscar com calma a luz para que ela não nos ofusque....Paz!

Obs; esse é uma vez por semana  as  quinta feira?

RSS

ASSOCIE-SE E COLABORE

Últimas atividades

Posts no blog por ANA MARIA TEODORO MASSUCI
1 hora atrás
Ícone do perfilFranciele Santana Nascimento, Nélio Raimundo Brito do Carmo, MARIA RITA DA CUNHA e mais 2 pessoas entraram em REDE AMIGO ESPÍRITA
1 hora atrás
Codificador do Paracleto curtiu a postagem no blog Como enfrentar as “culpas” e desculpas?  (Jorge Hessen) de os pae
2 horas atrás
Ícone do perfil via Twitter
Comecei uma transmissão ao vivo em @YouTube: https://t.co/nkY38C6291
Twitter3 horas atrás · Responder · Retweet
Carlos Pointier curtiu a postagem no blog A legenda do  "povo ungido na terra da promissão” robustece a permanência de “núcleos” de domínio do movimento espírita brasileiro de os pae
3 horas atrás
Carlos Pointier curtiu a postagem no blog Como enfrentar as “culpas” e desculpas?  (Jorge Hessen) de os pae
3 horas atrás
Milena Karla da Justa Pinheiro curtiram a discussão Coleção Emmanuel - Livros para download de Amigo Espírita
3 horas atrás
Posts no blog por PATRIZIA GARDONA
4 horas atrás
Ana Rogéria Feitosa de Morais curtiu a postagem no blog A Prece Recompõe de ANA MARIA TEODORO MASSUCI
5 horas atrás
Ícone do perfil via Twitter
"A Prece Recompõe" : https://t.co/ELg4tBy0qu
Twitter5 horas atrás · Responder · Retweet
Alexandre Nunes curtiu a postagem no blog A legenda do  "povo ungido na terra da promissão” robustece a permanência de “núcleos” de domínio do movimento espírita brasileiro de os pae
5 horas atrás
Alexandre Nunes curtiu a postagem no blog Como enfrentar as “culpas” e desculpas?  (Jorge Hessen) de os pae
5 horas atrás
Márcia Morais Jung e Carlos Pretti - SCEE agora são amigos
6 horas atrás
Ícone do perfil via Twitter
Adicionei um vídeo a uma playlist @YouTube https://t.co/BlLRAn0G4g: O que é e como funciona - #8 Programa Elo Invisível
Twitter8 horas atrás · Responder · Retweet
Romulo de Magalhães entrou no grupo de Amigo Espírita
8 horas atrás
Romulo de Magalhães entrou no grupo de Amigo Espírita
8 horas atrás
Flávia e Marcílio Dias Henriques agora são amigos
9 horas atrás
Ícone do perfil via Twitter
Adicionei um vídeo a uma playlist @YouTube https://t.co/tYDiZTqJ2l com Anete Guimarães (Sociedade Espírita Redenção)
Twitter9 horas atrás · Responder · Retweet
Ícone do perfil via Twitter
Os sãos não precisam de médico - Evangelho na Rede com Elisabete Azevedo: https://t.co/LS7ZCn0wY8 via @YouTube
Twitter9 horas atrás · Responder · Retweet
Virgilio Augusto Esteves curtiu o vídeo de Carlos Pretti - SCEE
11 horas atrás

Regras de uso e de publicação

 

 

© 2018   Criado por Amigo Espírita.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço