Paulo, o apóstolo dos gentios, foi um dos personagens mais marcantes na história do Cristianismo. Deixou-nos de herança, além de belos exemplos de vida, de conversão e de luta incessante na divulgação da mensagem do Cristo, escritos profundos, nas suas famosas cartas, cujos trechos inspiraram músicas e mensagens mediúnicas.

Uma delas, em especial, a primeira carta aos Coríntios (habitantes de Corinto, na Grécia), no capítulo 6, versículo 12, apresenta uma de suas insignes sentenças: “Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém”.

Nessa singela frase, Paulo apresenta a liberdade de proceder do ser humano, Espírito encarnado e cocriador. Contudo, aponta também as limitações da Lei divina, do convívio com o próximo, onde essa liberdade é cerceada pela questão da conveniência e da oportunidade. Apresenta aí a justificativa perene que nós temos em nossas reflexões, cotidianamente, diante de uma decisão a ser tomada.

Em relação à juventude, essa máxima se reveste de um significado especial. Afinal, no processo de desenvolvimento do Espírito encarnado, é na juventude que ampliamos a nossa autonomia, a nossa possibilidade de exercer a vontade. Entretanto, ao mesmo tempo, nesse período nos vemos no processo de construção do nosso juízo, representado folcloricamente pelo nascimento dos dentes denominados “cisos”, mas que se trata sim da questão de nos sabermos capazes de algo, mas que ainda assim ele não deve ser feito. Um passo marcante da conquista da maturidade.

Podemos exemplificar essa assertiva de Paulo de Tarso em três dimensões interligadas, aplicadas à vivência da juventude. A do QUERER, a do PODER e a do DEVER. Uma divisão didática de três fases da vida do jovem, no exercício de sua liberdade e na construção de sua responsabilidade, a capacidade de responder por.

O querer é o indicativo da opção. É dentre os diversos caminhos, escolher algo por si só, longe do direcionamento aplicado costumeiramente à criança. Obviamente, nenhuma escolha é totalmente livre nesse contexto e o querer do jovem, diferente da criança, na maioria dos casos não sofre grande influência da família e sim do seu grupo de referência, que pode ser da escola, do esporte ou da prática religiosa, ainda que o jovem acredite decidir apartado de influências.

A dimensão do poder é onde o jovem possui não só a vontade, mas a possibilidade de fazer algo. É o momento onde ele adquire a capacidade de tornar realidade o que ele escolheu, residindo aí os maiores riscos, das escolhas e caminhos errados, onde a inconsequência na busca por loucuras desenfreadas pode afetar seriamente a sua encarnação.

Por fim, a questão do dever é onde o jovem busca a sua consciência e avalia se aquilo que ele quer e pode fazer é realmente pertinente. É o desenvolvimento da capacidade de avaliar situações a si apresentadas e que postura deve adotar. A rebeldia natural da juventude, o desejo de transgressão na busca de afirmação de personalidade interferem nessa questão, inibindo essa capacidade de julgar o certo e o errado, pelo desejo de se fazer o que não se deve, pautado por outras motivações.

Essa sequência de QUERO-DEVO-POSSO é fundamental para a reflexão do Espírito encarnado, para o seu processo evolutivo, em especial no período da juventude, onde aumenta o leque de escolhas e a capacidade de escolher e fazer, ainda que tenha incipiente a noção de julgar o que deve ser feito, ou não. É uma época de diversões, de sensações, de cantos de sereia e bifurcações no caminho, em lutas necessárias, mas que devem nos trazer como dividendos as lições aprendidas. Errar sem aprender é extremamente danoso... Melhor aprender sem errar.

Por isso, cabe aos pais e educadores trabalhar com os jovens esse processo de construção de sua autonomia de saber o que quer-deve-pode e não aprisioná-los em uma redoma, longe do mundo, privando-o do exercício dessa tríade tão necessária, ainda que às vezes se faça por processos dolorosos.

A lição de Paulo de Tarso de que devemos sopesar a conveniência diante das possibilidades é um farol na nossa caminhada no mundo, e aos jovens, saindo da proteção do núcleo familiar para enfrentar as agruras e alegrias da vida adulta, se apresenta a sentença como basilar, para que saibam estes o que querem, até onde alcançam e se aquela atitude é a que o Cristo espera de nós, relembrando outra importante frase de Paulo, na sua conversão à porta de Damasco, quando pergunta ao Cristo: “Senhor, o que queres que eu faça?”

 

Ano 5 - N° 233 - 30 de Outubro de 2011

MARCUS VINICIUS DE AZEVEDO BRAGA
acervobraga@gmail.com
Brasília, DF (Brasil)

Exibições: 2045

Respostas a este tópico

Excelente texto. Todos os jovens que leram se sentirão tocados, com certeza.

Obrigada.

Alguém sabe explicar o que quis dizer Paulo com "É o Senhor que opera em nós o pensar, o querer e o fazer"?

RSS

ASSOCIE-SE E COLABORE

Últimas atividades

Ícone do perfil via Twitter
Adicionei um vídeo a uma playlist @YouTube https://t.co/ACjPgLdwK6 Paradigmas 07: Introdução III - 3ª parte (por
Twitter6 horas atrás · Responder · Retweet
Ícone do perfil via Twitter
Nada resiste ao trabalho - Roosevelt Tiago (Mês Espírita do Seara de Luz): https://t.co/qivpOME5iX via @YouTube
Twitter6 horas atrás · Responder · Retweet
Ícone do perfil via Twitter
Caridade Material e Moral - Adriana Sarmento: https://t.co/FOREU3iFDF via @YouTube
Twitter7 horas atrás · Responder · Retweet
Nadia Rosangela e Lenice Agemiro Silveira agora são amigos
7 horas atrás
Ícone do perfil via Twitter
Conselho Amigo - O Evangelho & Nós com Rosangela Pires: https://t.co/cZbx1UiXgh via @YouTube
Twitter7 horas atrás · Responder · Retweet
Ícone do perfil via Twitter
Comecei uma transmissão ao vivo em @YouTube: https://t.co/w1oAA9LION
Twitter8 horas atrás · Responder · Retweet
Ícone do perfil via Twitter
Estudo Impermanência e Imortalidade #11º - Cap. 4 - Mente e doenças 3ª parte - Mauro Guimarães: https://t.co/r86lvSkHQU via
Twitter9 horas atrás · Responder · Retweet
Ícone do perfil via Twitter
Comecei uma transmissão ao vivo em @YouTube: https://t.co/3cKeOF6yZO
Twitter9 horas atrás · Responder · Retweet
Ana Oliveira curtiram a discussão BONS E MAUS PENSAMENTOS de Ari Carrasco Silveira
10 horas atrás
Ícone do perfil via Twitter
Reconstruindo Paradigmas 07: Introdução III - 3ª parte (por André Sobreiro): https://t.co/J2xpta1Po2 via @YouTube
Twitter11 horas atrás · Responder · Retweet
Conceição Valadares curtiram o evento “Antídoto à Obsessão”, com Alisson Guedes Pessoa ao vivo pela Rede Amigo Espírita de Carlos Pretti - SCEE
12 horas atrás
Ícone do perfilMyrian de Oliveira Gonçalves, Alda Teixeira, Jorgina de Sousa Ferraz e mais 4 pessoas entraram em REDE AMIGO ESPÍRITA
12 horas atrás
Maria Luiza Furtado Rocha curtiram a discussão Nos momentos difíceis: Trabalho, solidariedade e tolerância de Feeak Minas
13 horas atrás
Maria Luiza Furtado Rocha curtiram a discussão Nos momentos difíceis: Trabalho, solidariedade e tolerância de Feeak Minas
13 horas atrás
Ícone do perfil via Twitter
Adicionei um vídeo a uma playlist @YouTube https://t.co/3cKeOF6yZO"Os Obsessores: Gente como a Gente" - Pedro Camilo
Twitter13 horas atrás · Responder · Retweet
Maria Luiza Furtado Rocha curtiu a postagem no blog OS ESPÍRITOS INFERIORES - por Léon Denis. de ANA MARIA TEODORO MASSUCI
13 horas atrás
Ícone do perfil via Twitter
"Desencarne (que consideramos) Prematuro" : https://t.co/KS6XqBtQr2
Twitter13 horas atrás · Responder · Retweet
Maria Luiza Furtado Rocha curtiu a postagem no blog “NOSSOS FILHOS SÃO ESPÍRITOS- COMO LIDAR COM ELES. ” de ANA MARIA TEODORO MASSUCI
14 horas atrás
Posts no blog por PATRIZIA GARDONA
14 horas atrás
Ícone do perfil via Twitter
Programa: O Espírita no Mundo com Yasmim Madeira: https://t.co/XWLkKydcW1 via @YouTube
Twitter15 horas atrás · Responder · Retweet

Regras de uso e de publicação

 

 

© 2018   Criado por Amigo Espírita.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço