O TRABALHO VOLUNTÁRIO

Este novo conceito de solidariedade e fraternidade tem ditado no mundo um novo modelo de vida.

Registros mostram que o voluntariado ganha força, duplica possibilidades de sucesso de instituições, aumentando o volume e melhorando a qualidade dos serviços prestados. No trabalho remunerado, na grande maioria das vezes, a motivação é o salário direto ou indireto pago pelo serviço prestado. No voluntariado são inúmeras as vantagens, seja a satisfação íntima, pessoa, quase indescritível, o sorriso de quem é servido, a gratidão, as amizades que se formam e o elevado nível das relações que se estabelecem.

Há muito a se aprender com o trabalho voluntário. As mais belas conquistas sociais e educacionais estão todas sustentadas pelo amor que os seus construtores lhes dedicaram e grande parte delas, foram realizadas pelo voluntariado. Por voluntário, não entendamos aquela pessoa que faz algo durante o tempo que lhe sobra, como desencargo de consciência ou motivado por fato que lhe chame a atenção.

Voluntário é aquela pessoa que percebeu que pode fazer um pouco mais, que saiu do universo da indiferença e da apatia e se disponibiliza a fazer algo metódico e sistemático, dentro de uma programação pessoal ou institucional.
Deparo-me muitas vezes com pessoas que se dizem voluntárias porque decidiram, por livre arbítrio, a fazer algo em favor de alguém. Foram livres para decidir fazer e agora são livres para decidir quando parar. Argumentam que se somos voluntários para disponibilizar nossa vontade, somos igualmente livres para parar de fazer o trabalho quando quisermos. Claro que podem se afastar quando quiserem. Há, contudo, reflexões a ser feitas a cada decisão que tomamos. Uma coisa é afastar-se do trabalho voluntário e outra é abandonar o trabalho.

Esta visão é míope e desrespeitosa para com o trabalho realizado, a realizar, para com a equipe, para com os beneficiários do trabalho que ficam na expectativa e com o planejamento da instituição. Mesmo nas empresas onde o trabalho é remunerado, a substituição de pessoas é regulada por mecanismos de modo a que a tarefa não seja prejudicada.

Ninguém é insubstituível, dizem alguns, mas será preciso encontrar quem ocupar a vaga daquele que sai e se o voluntário ama mesmo o trabalho e o resultado dele, se ama a instituição, deve agir com grandeza de esperar que se encontre o substituto e até auxiliar a encontrá-lo.

O amor ao trabalho e ao bem deve ser ampliado além do resultado visto. O trabalho nunca está dissociado da equipe, dos beneficiários e da instituição. Por isto, cumpre a aquele se oferece ao trabalho voluntário estar ciente das suas responsabilidades. Até oferecer-se, nenhuma responsabilidade tem. Mas depois de assumir o compromisso precisa estar atento para não prejudicar o trabalho, do que prestará contas. Diz o Evangelho Segundo o Espiritismo, no capitulo 20, item 5:

"Trabalhemos juntos e unamos os nossos esforços, a fim de que o Senhor, ao chegar, encontre acabada a obra", porquanto o Senhor lhes dirá: "Vinde a mim, vós que sois bons servidores, vós que soubestes impor silêncio aos vossos ciúmes e às vossas discórdias, a fim de que daí não viesse dano para a obra!" Mas, ai daqueles que, por efeito das suas dissensões, houverem retardado a hora da colheita, pois a tempestade virá e eles serão levados no turbilhão! Clamarão: "Graça! graça!" O Senhor, porém, lhes dirá: "Como implorais graças, vós que não tivestes piedade dos vossos irmãos e que vos negastes a estender-lhes as mãos, que esmagastes o fraco, em vez de o amparardes? Como suplicais graças, vós que buscastes a vossa recompensa nos gozos da Terra e na satisfação do vosso orgulho? Já recebestes a vossa recompensa, tal qual a quisestes. Nada mais vos cabe pedir; as recompensas celestes são para os que não tenham buscado as recompensas da Terra”.

Em qualquer trabalho que executamos haverá divergências. Elas são salutares, importantes e necessárias. É do conflito de ideias que nascem as melhorias. Chega a ser entediante trabalhar num local onde ninguém oferece opiniões ou sugestões para melhorias. Não haverá progresso. Outra coisa, contudo, são as discórdias. Estas desagregam, minam o trabalho, desanimam os menos encorajados e abrem portas para influências externas.

Deploráveis são as atitudes de atribuir a quem fica trabalhando as responsabilidades pelo afastamento. Todo trabalhador que gosta do trabalho que faz, que ama o grupo que o recebeu, que respeita a liderança que o acolheu e considera como irmãos as pessoas que esperam sua atenção e cuidado deve primeiro avaliar-se. O grupo também deve avaliar-se, através das avaliações que resultam das reuniões periódicas. O resultado do trabalho é fruto de todas as ações de uma equipe.

Se há sucesso, toda equipe trabalhou. Se há fracasso, que se corrijam para prosseguir, porque o trabalho é constante, permanente e nossa evolução o exige. Ninguém progride sem trabalhar. Colocar culpas nos outros fica muito bem quando apresentamos as mãos calosas do trabalho, dentro dele. Quem sai, perde o direito de falar do trabalho e deve se ocupar da nova tarefa que vai executar, porque, certamente, terá muito que aprender nela também.

José Carlos Fiorido

Exibições: 1523

APLICATIVO RAETV

Nosso aplicativo para download gratuito no Google Play

ASSOCIE-SE E COLABORE

Últimas atividades

Elisabete Torres Correia Guerrie curtiu a postagem no blog A ANSIEDADE - Mensagem por Joanna de Ângelis de ANA MARIA TEODORO MASSUCI
29 minutos atrás
Ícone do perfil via Twitter
Você tem medo de morrer? - 96ª Assistência Espiritual Joanna de Angelis https://t.co/keJN5a19wU
Twitter36 minutos atrás · Responder · Retweet
Posts no blog por ANA MARIA TEODORO MASSUCI
1 hora atrás
Ícone do perfil via Twitter
Você tem medo de morrer? - 96ª Assistência Espiritual Joanna de Angelis https://t.co/4CXXAMwpQ4
Twitter1 hora atrás · Responder · Retweet
Ícone do perfil via Twitter
Parábola do Bom Pastor - 36º Parábolas de Jesus com Jussara Goretti e Rafael Papa https://t.co/9V6MsIELyf
Twitter2 horas atrás · Responder · Retweet
Gislene Divina Rabelo Rosa curtiu a postagem no blog O maior conselho de Chico Xavier de ANA MARIA TEODORO MASSUCI
2 horas atrás
Ori Pombal Franco curtiu a postagem no blog OS 5 MAIORES INIMIGOS: O MEDO, A CÓLERA, A DUREZA, A VAIDADE E A MALEDICÊNCIA de ANA MARIA TEODORO MASSUCI
2 horas atrás
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog MEDIUNIDADE. FATALIDADE EVOLUTIVA (*) de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
3 horas atrás
Ícone do perfilCARMEN CABRAL DE JESUS, marcos vaz da silva, Rauria Goode e mais 1 pessoas entraram em RAE
3 horas atrás
Ícone do perfil via Twitter
"O maior conselho de Chico Xavier" : https://t.co/xYij9iSDb9
Twitter3 horas atrás · Responder · Retweet
Antonio Carlos Navarro curtiram a discussão Vaidade ou inveja? (Por Vladimir Alexei) de Amigo Espírita
3 horas atrás
Ícone do perfil via Twitter
"OS 5 MAIORES INIMIGOS: O MEDO, A CÓLERA, A DUREZA, A VAIDADE E A MALEDICÊNCIA": https://t.co/WmY7KTVh3y
Twitter5 horas atrás · Responder · Retweet
CARMEN CABRAL DE JESUS compartilhou o grupo de Amigo Espírita em Facebook
6 horas atrás
CARMEN CABRAL DE JESUS curtiram o evento Dr.Bezerra de Menezes de Amigo Espírita
6 horas atrás
Elciene Maria Tigre Galindo curtiram a discussão Vaidade ou inveja? (Por Vladimir Alexei) de Amigo Espírita
6 horas atrás
Conceição Valadares curtiram a discussão Vaidade ou inveja? (Por Vladimir Alexei) de Amigo Espírita
6 horas atrás
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog MEDIUNIDADE. FATALIDADE EVOLUTIVA (*) de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
6 horas atrás
Ícone do perfil via Twitter
Hoje as 20h ao vivo e respondendo perguntas do chat https://t.co/FpSfpIdLad Você tem medo de morrer? - 96ª Assistên… https://t.co/pcIMyQMBlb
Twitter6 horas atrás · Responder · Retweet
luis conforti junior respondeu à discussão Quando indagado sobre sua religião, o que você responde? O que você considera seja o Espiritismo? de Jandyra Helena
6 horas atrás
Codificador do Paracleto curtiu a postagem no blog Internet , redes sociais e os pseudomédiuns , ambiciosos e mistificadores (Jorge Hessen) de os pae
7 horas atrás

Regras de uso e de publicação

 

 

Badge

Carregando...

© 2019   Criado por Amigo Espírita.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço