Também é assim no mundo da matéria. Quando estamos numa empresa, numa sala de aula ou mesmo num grupo de amigos, há períodos em que essas coletividades passam por transformações e, nem por isso, somos obrigados a nos transformar também. Empresas adquirem novas tecnologias, adotam novos paradigmas, modificam sua visão de mundo; uma sala de aula passa por provas e exames após os quais abrem-se a novas etapas, a estágios superiores de aprendizado; mesmo um grupo de amigos vive ciclos de casamento, de filhos, por exemplo, nos quais um solteirão isola-se e afasta-se.

Quantas vezes tivemos contato com a mensagem cristã nesses últimos dois mil anos? É verdade, é muito provável que já tivéssemos contato indireto com ela antes da encarnação do Cristo, pois os grandes mestres e profetas que o antecederam na Terra foram seus mensageiros, mas pensemos apenas na Vida depois da Vinda: por quantas encarnações tivemos contato com igrejas, organizações, almas de conduta exemplar e situações de vida que, vistas na perspectiva da eternidade, foram claras oportunidades para percebermos que o sentido da vida é desenvolvermos um Amor puro, sem apego e desinteressado por toda a Criação, atingindo o mais profundo das criaturas, lá onde reside o Criador? Nesse momento, não temos como saber quantas oportunidades já desperdiçamos.

Sabemos, no entanto, que ninguém vem à Terra à passeio, mas em missão ou resgate, e todos nós que tivermos clara consciência de não estarmos no estágio espiritual do Missionário, teremos que deduzir que viemos em resgate. A verdade, que surge assim límpida, é que somos alunos multirrepetentes  de uma escola tão generosa que, mesmo depois de tantos fracassos motivados por nosso desprezo aos professores, por nossas fugas das aulas , por nossas reiteradas opções pela satisfação imediata e egoísta, ainda assim nos oferece mais uma chance.

Nesses nossos tempos, todos os membros de todas as religiões sabem da transição planetária. Todos aqueles que são desligados de quaisquer instituições religiosas também vem sendo, há muito, informados das mudanças geológicas, climáticas e magnéticas por que passa nosso planeta. Absolutamente todos nós fomos exaustivamente preparados antes dessa encarnação, e vimos sendo sistematicamente acompanhados em nossas crises e angústias de forma a nos tornarmos capazes, pelo menos nessa última tentativa, de aprender os rudimentos necessários ao novo estágio do planeta, expressos, tais aprendizados, com clareza plena nas bem-aventuranças do Sermão da Montanha, magnífico roteiro para nossa evolução.    

Na primeira bem-aventurança (em Mateus, 5), Jesus deixou claro, como Sócrates já evidenciara, que sem a humildade inabilitamo-nos a qualquer processo educativo. De posse desse reconhecimento mínimo de nossa insuficiência, adquirimos condição de, atendendo à segunda bem-aventurança, não nos fixar nas dores da vida habilitando-nos a extrair delas as lições das quais são portadoras. A terceira bem-aventurança deixa claro que, entre as inúmeras conquistas às quais somos convidados por nossas dores, a fundamental para a entrada no mundo de regeneração é a auto-pacificação: “Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra”, promete o Cristo.  Inacreditavelmente, vivemos ainda entre multidões inconscientes que apenas travam a luta por sua própria vida, como os animais, ou pior, como se sua vida só fosse possível com a opressão dos seus semelhantes, como só os piores humanos são capazes.

Mesmo entre aqueles que acreditamos no grave momento de transição que atravessamos, alguns absurdamente se atêm aos fenômenos físicos, paralisando-se no debate sobre quais catástrofes enfrentaremos, que efeitos causarão, em quanto tempo e onde ocorrerão, repetindo equívocos – nossos equívocos! – , de, buscando nossos interesses políticos e econômicos não enxergarmos o Messias Espiritual, de, ansiando pela exaltação de nosso conhecimento e senso crítico, não ouvirmos o Mestre para muito além do produtor de milagres. Erros que, repetidos, nos trouxeram até aqui e que, agora, nos ameaçam incompatibilizar com a Terra.

Reverberando palidamente o chamamento em grandes brados que nos vem do Alto, concitemo-nos às lições de Humildade, ao Bem-sofrer (Evangelho Segundo o Espíritismo, Cap. V, 18) e à Auto-pacificação contidas em romances, leituras doutrinárias, filmes, observações da vida e, muito especialmente, nos desafios mais dolorosos que enfrentamos, pois que colocados pela Pedagogia Divina no momento e na intensidade exatos que nossas almas necessitam. 

Exibições: 425

Respostas a este tópico

Muito bem colocado. Gostaria de contribuir indicando o podcast PodSER #16 – Mundo de Regeneração, postado no Portal Ser.

Tomei conhecimento agora sobre esse grupo de discussão sobre um tema tão atual. Excelente texto.

A Doutrina Espírita realmente está buscando informar sobre esse assunto de uma forma profunda e perfeitamente subsidiada no evangelho de Jesus e na codificação espírita de Kardec. 

Há na Internet vários sitios sobre a Transição Planetária, várias correntes religiosas tem se posicionado conforme suas linhas ideológicas, mas, há um consenso de que esse processo fundamenta-se no movimento interno dos indivíduos, de encontrar o cristo interno, buscá-lo, no autoconhecimento, ter predisposição para melhorar moralmente e espiritualmente.

No meu entender, estamos vivenciando uma grande oportunidade, a chance de darmos um salto evolutivo, o ambiente terreno nos testando diariamente, obrigando-nos a tomarmos posições lúcidas frente aos desafios constantes, exercitarmos o que temos de melhor dentro de nós, é um grande chamado.

Não podemos esquecer de colocar o "azeite" em nossas lamparinas, não podemos deixar de participar das bodas por esquecimento, omissão e desleixo com os nossos compromissos e responsabilidades na construção do reino de Deus, perdermos a hora e termos as portas cerradas a nossa frente, não participarmos do festim.

Somos os trabalhadores da última hora, a responsabilidade e os trabalhos são imensos, temos que contribuir e nos estimular a acender uma luzinha de amor, caridade e justiça nos nossos corações aqui na Terra. Um trabalho incansável de dedicação, de amor ao próximo, aos nossos irmãos de jornada, porém, o movimento e aceitação para a construção do reino de Deus é de cada um, intransferível. Brilhe a nossa luz!

RSS

APLICATIVO RAETV

Nosso aplicativo para download gratuito no Google Play

COLABORE COM A RAE

ASSISTA AO VIVO

Artigos Espíritas

Por que nos sentimos mal em determinados ambientes?

Por que nos sentimos mal em determinados ambientes?

 

Wellington Balbo – Salvador BA

 

Você já esteve em ambientes em que se sentiu mal, constrangido, pouco à…

Por que estudar O livro dos médiuns? por Simoni Privato Goidanich

Por que estudar O livro dos médiuns?

Simoni Privato Goidanich

Artigo publicado na Revista A senda (nov-dez 2019), da Federação Espírita do Estado do…

Kardec sofre...

Kardec sofre...

 

Wellington Balbo – Salvador BA

 

Não tenho dúvidas que Allan Kardec sofre ao verificar como as coisas andam no seio do movimento espírita atual com brigas, discussões…

Aprendemos com o Espiritismo a ter relações mais leves.

Aprendemos com o Espiritismo a ter relações mais leves.

 

Marcelo Henrique – Florianópolis SC

Wellington Balbo – Salvador BA

 

O Espiritismo nos fornece uma visão bem legal da…

Ao orar por alguém eu atraio seus obsessores?

Ao orar por alguém eu atraio seus obsessores?

 

Há, para uma boa parcela de gente, até para aqueles que conhecem um pouco mais os Espíritos e a sua natureza, uma espécie de medo do que eles – os Espíritos – podem fazer…

Últimas atividades

LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Os “bons” são tímidos (LE q. 932) até na Universidade de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
"Jesus e Humanidade. Os bons são tímidos. Clique nos títulos Sônia Formiga, JESUS e Humanidade   https://juli.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=6853186 FORMIGA, “testemunho de fé…"
1 hora atrás
Amauri A. L. Silva curtiu a postagem no blog Espíritos de Pessoas Vivas: Uma História de Reconciliação de PATRIZIA GARDONA
13 horas atrás
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Os “bons” são tímidos (LE q. 932) até na Universidade de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
" Evolução da Inteligência. Neuroplasticidade, https://www.facebook.com/groups/1499993836709886/permalink/2747572258618698/"
ontem
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Os “bons” são tímidos (LE q. 932) até na Universidade de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
"  SENADO FEDERAL. Sessão para homenagear Allan Kardec. https://www25.senado.leg.br/web/atividade/notas-taquigraficas/-/not... Então, com a palavra, Haroldo Dutra Dias. Muita honra e alegria passar a palavra para V. Exa.…"
ontem
Ícone do perfilRafael Fernandes Clementino, Veronica M. dos Santos Teixeira, ANTONIO LUCIO DE O. CORREIA e mais 4 pessoas entraram em RAE
ontem
Marco Túlio Ferreira Silva respondeu à discussão Questão 124 de "O Livro dos Espíritos" de Marco Túlio Ferreira Silva
"Não o bicho homem, mas todo esse universo. A criação Divina está antes desse universo. O homem, o animal, o tempo, o espaço, a energia, enfim , a matéria é criação da criatura que negou…"
segunda-feira
Euripedes Mariano da Cunha respondeu à discussão Questão 124 de "O Livro dos Espíritos" de Marco Túlio Ferreira Silva
"Se o bicho homem não é criação de Deus, então existe outra Inteligencia superior a Deus que contraria a vontade de Deus e cria por sua conta própria, ou sjea, Deus já não é mais a causa…"
domingo
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA respondeu à discussão SUICÍDIOS E TIRANOS DISFARÇADOS de Amigo Espírita no grupo Artigos Espíritas
"O Ator Carlos Vereza comentou que é preciso deixar de olhar o mundo através de viseiras…"
domingo
Luiz Claudio Macedo de Oliveira curtiu a postagem no blog Os “bons” são tímidos (LE q. 932) até na Universidade de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
domingo
Luiz Claudio Macedo de Oliveira curtiram o perfil de Nadia Rosangela
domingo
Luiz Claudio Macedo de Oliveira curtiram a página Bate-Papo de Amigo Espírita
domingo
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Os “bons” são tímidos (LE q. 932) até na Universidade de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
"Afastemo-nos, das nossas inibições e aprendamos com o Cristo a “sair para semear”. Fonte Viva, 64. Emmanuel/Chico Xavier http://bibliadocaminho.com/ocaminho/txavieriano/livros/Fv/Fv64.htm"
domingo
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Os “bons” são tímidos (LE q. 932) até na Universidade de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
" Nós temos uma missão nesta Terra, nesta vida, temos que cumpri-la e fazer com que esses ensinamentos possam ser cada vez mais divulgados e propagados nas nossas atividades para a nossa sociedade como um todo. Homenageio aqui…"
domingo
Carlos Pretti - SCEE postou um evento
Miniatura

“O que fazer quando não há mais nada a fazer?”, com Dr. Aldeniz Leite em Sociedade Colatinense de Estudos Espíritas

26 janeiro 2020 de 9 a 10:15
“O que fazer quando não há mais nada a fazer?”, este será o tema da palestra do psiquiatra, pesquisador e escritor Dr. Aldeniz Leite de São Paulo-SP, no próximo domingo 26 de janeiro de 2020, de 09 às 10h. da manhã na Sociedade Colatinense de Estudos Espíritas. Dr. Aldeniz Leite da Silva Júnior nasceu em Belém do Pará, formou-se médico em sua cidade natal e transferiu-se…Ver mais...
sábado
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Os “bons” são tímidos (LE q. 932) até na Universidade de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
"Eusébio, “No Mundo Maior”. André Luiz/Chico Xavier, cap.2. Sejamos instrumentos do bem, acima de expectantes da graça. A tarefa demanda coragem e suprema devoção a Deus. Sem que nos convertamos em luz,…"
sábado
LENICE AGEMIRO SILVEIRA curtiram o evento Estreia no teatro A História Nunca Contada de Allan Kardec, O Cientista do Infinito de Erika Silvira
sábado

Regras de uso e de publicação

 

 

© 2020   Criado por Amigo Espírita.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço