Se não fosse por mais nada, a parábola do Festim das Bodas (Mateus 22) já mereceria muito de nossa atenção apenas por preparar-nos para a Transição Planetária como para uma fabulosa festa. Evidente que se trata de um momento importantíssimo para nossas existências individuais e coletivas, mas ele foi anunciado por tantas formas, em culturas tão diversas, que parte da humanidade, sempre obcecada pelo aspecto material das lições, alarmam-se com as catástrofes, planejam apenas a minimização dos efeitos físicos, buscando a sobrevivência do corpo, entre o terror e o alarme, preocupadíssimos, mas unicamente em salvar suas efêmeras vidas materiais.

 

Aqui o convite de Jesus – como o foram os convites de todos os profetas, gurus e iluminados de todos os tempos - é a olharmos a vida para muito além de sua expressão material. Efetivamente, aquele que olha a Transição Planetária sob o ponto de vista espiritual verá nesses tempos em que vivemos a supremacia total do espírito, os tempos em que os valores desenvolvidos, acumulados e consolidados, expressos em intenções e atitudes, apontará finalmente a supremacia do desenvolvimento moral sobre o material. Como nos exames escolares, nos concursos públicos, e em todas as provas humanas, aqueles que se distraíram, pegos de surpresa, deixar-se-ão tomar pelo medo e pela fuga, enquanto que aqueles que se prepararam profundamente só poderão alegrar-se e aliviar-se por finalmente haver chegado o tempo da expressão dos conhecimentos longamente maturados.

 

Diz-nos a parábola que, realizadas todas as preparações, os convidados recusaram o convite e fugiram atraídos pelo lazer (“um para a casa de campo”) ou pela luta pela ambição material (“outro para seu negócio”), ultrajando e depois matando os servos do Senhor que os vieram avisar. A conseqüência de tão grande descaso, de tão renitente teimosia no erro, no entanto, não foi e jamais será a desistência do Senhor. Ele nos tem trazido e ainda muito nos trará a morte não como punição, mas como mecanismo fundamental para a condução dos paralisados, petrificados em seu próprio passado de erros, a escolas mais rígidas, portadoras dos métodos necessários àqueles que demonstraram não saberem utilizar a liberdade concedida pelo Pai.

 

Desatendido por aqueles que foram longamente preparados para o momento crítico – nada mais nada menos que o orgulhoso e prepotente mundo autoproclamado cristão – , o Senhor passou então, como está passando exatamente agora, a chamar todos aqueles que foram encontrados pelos caminhos. Como anunciado, a porta estreita do amor vem sendo anunciada por toda a terra, convidando e trazendo povos que, embora até agora ignorantes dos perigos do momento e dos caminhos especiais para sua superação, mostram-se sensíveis e atenderam ao chamado (“a sala das bodas se encheu de pessoas que se puseram à mesa”). Sensíveis ao chamado, alguns, no entanto, demonstraram não haver assimilado a fraternidade verdadeira, procedendo a um atendimento do convite apenas como fruto de uma conveniência interesseira e esses, é claro não puderam ficar.

 

Aqui estão anunciadas as atitudes das quais nos devemos afastar nesse momento crítico. Primeiramente, a de não nos atentarmos para os convites feitos a nós com tão grande antecedência por acharmos, como disse o Mestre em outro momento, que o Senhor “demora a vir”. Depois, não atendermos ainda à confirmação dos convites, entorpecidos pelas distrações do mundo, agrupadas, de um lado, pelas forjadas alegrias do alegórico lazer e prazer dos sentidos, de outro, pelas falsas forças do ilusório poder do mundo. Por fim, precisaremos nos afastar também da atitude daqueles que aceitam o convite indo à festa, atendendo ao chamamento através do cumprimento das obrigações religiosas externas, mas na verdade sem estar preparado, em espírito, para uma apresentação à altura do convite feito.

 

Não nos iludamos. O Cristo nos deixa claro que nenhuma prerrogativa histórica, étnica, ou institucional – não por sermos os que sabem das verdades há mais tempo, por estarmos entre os povos primeiramente chamados, nem por julgarmo-nos cristãos, comido e bebido com o Mestre mas permanecendo na iniqüidade – nos garantirá um lugar à mesa do Mundo de Regeneração. Apenas, exclusivamente, se vinculados aos valores do espírito e do coração.

Exibições: 276

APLICATIVO RAETV

Nosso aplicativo para download gratuito no Google Play

COLABORE COM A RAE

ASSISTA AO VIVO

Artigos Espíritas

Por que nos sentimos mal em determinados ambientes?

Por que nos sentimos mal em determinados ambientes?

 

Wellington Balbo – Salvador BA

 

Você já esteve em ambientes em que se sentiu mal, constrangido, pouco à…

Por que estudar O livro dos médiuns? por Simoni Privato Goidanich

Por que estudar O livro dos médiuns?

Simoni Privato Goidanich

Artigo publicado na Revista A senda (nov-dez 2019), da Federação Espírita do Estado do…

Kardec sofre...

Kardec sofre...

 

Wellington Balbo – Salvador BA

 

Não tenho dúvidas que Allan Kardec sofre ao verificar como as coisas andam no seio do movimento espírita atual com brigas, discussões…

Aprendemos com o Espiritismo a ter relações mais leves.

Aprendemos com o Espiritismo a ter relações mais leves.

 

Marcelo Henrique – Florianópolis SC

Wellington Balbo – Salvador BA

 

O Espiritismo nos fornece uma visão bem legal da…

Ao orar por alguém eu atraio seus obsessores?

Ao orar por alguém eu atraio seus obsessores?

 

Há, para uma boa parcela de gente, até para aqueles que conhecem um pouco mais os Espíritos e a sua natureza, uma espécie de medo do que eles – os Espíritos – podem fazer…

Últimas atividades

LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Os “bons” são tímidos (LE q. 932) até na Universidade de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
"Jesus e Humanidade. Os bons são tímidos. Clique nos títulos Sônia Formiga, JESUS e Humanidade   https://juli.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=6853186 FORMIGA, “testemunho de fé…"
1 hora atrás
Amauri A. L. Silva curtiu a postagem no blog Espíritos de Pessoas Vivas: Uma História de Reconciliação de PATRIZIA GARDONA
13 horas atrás
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Os “bons” são tímidos (LE q. 932) até na Universidade de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
" Evolução da Inteligência. Neuroplasticidade, https://www.facebook.com/groups/1499993836709886/permalink/2747572258618698/"
ontem
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Os “bons” são tímidos (LE q. 932) até na Universidade de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
"  SENADO FEDERAL. Sessão para homenagear Allan Kardec. https://www25.senado.leg.br/web/atividade/notas-taquigraficas/-/not... Então, com a palavra, Haroldo Dutra Dias. Muita honra e alegria passar a palavra para V. Exa.…"
ontem
Ícone do perfilRafael Fernandes Clementino, Veronica M. dos Santos Teixeira, ANTONIO LUCIO DE O. CORREIA e mais 4 pessoas entraram em RAE
ontem
Marco Túlio Ferreira Silva respondeu à discussão Questão 124 de "O Livro dos Espíritos" de Marco Túlio Ferreira Silva
"Não o bicho homem, mas todo esse universo. A criação Divina está antes desse universo. O homem, o animal, o tempo, o espaço, a energia, enfim , a matéria é criação da criatura que negou…"
segunda-feira
Euripedes Mariano da Cunha respondeu à discussão Questão 124 de "O Livro dos Espíritos" de Marco Túlio Ferreira Silva
"Se o bicho homem não é criação de Deus, então existe outra Inteligencia superior a Deus que contraria a vontade de Deus e cria por sua conta própria, ou sjea, Deus já não é mais a causa…"
domingo
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA respondeu à discussão SUICÍDIOS E TIRANOS DISFARÇADOS de Amigo Espírita no grupo Artigos Espíritas
"O Ator Carlos Vereza comentou que é preciso deixar de olhar o mundo através de viseiras…"
domingo
Luiz Claudio Macedo de Oliveira curtiu a postagem no blog Os “bons” são tímidos (LE q. 932) até na Universidade de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
domingo
Luiz Claudio Macedo de Oliveira curtiram o perfil de Nadia Rosangela
domingo
Luiz Claudio Macedo de Oliveira curtiram a página Bate-Papo de Amigo Espírita
domingo
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Os “bons” são tímidos (LE q. 932) até na Universidade de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
"Afastemo-nos, das nossas inibições e aprendamos com o Cristo a “sair para semear”. Fonte Viva, 64. Emmanuel/Chico Xavier http://bibliadocaminho.com/ocaminho/txavieriano/livros/Fv/Fv64.htm"
domingo
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Os “bons” são tímidos (LE q. 932) até na Universidade de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
" Nós temos uma missão nesta Terra, nesta vida, temos que cumpri-la e fazer com que esses ensinamentos possam ser cada vez mais divulgados e propagados nas nossas atividades para a nossa sociedade como um todo. Homenageio aqui…"
domingo
Carlos Pretti - SCEE postou um evento
Miniatura

“O que fazer quando não há mais nada a fazer?”, com Dr. Aldeniz Leite em Sociedade Colatinense de Estudos Espíritas

26 janeiro 2020 de 9 a 10:15
“O que fazer quando não há mais nada a fazer?”, este será o tema da palestra do psiquiatra, pesquisador e escritor Dr. Aldeniz Leite de São Paulo-SP, no próximo domingo 26 de janeiro de 2020, de 09 às 10h. da manhã na Sociedade Colatinense de Estudos Espíritas. Dr. Aldeniz Leite da Silva Júnior nasceu em Belém do Pará, formou-se médico em sua cidade natal e transferiu-se…Ver mais...
sábado
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Os “bons” são tímidos (LE q. 932) até na Universidade de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
"Eusébio, “No Mundo Maior”. André Luiz/Chico Xavier, cap.2. Sejamos instrumentos do bem, acima de expectantes da graça. A tarefa demanda coragem e suprema devoção a Deus. Sem que nos convertamos em luz,…"
sábado
LENICE AGEMIRO SILVEIRA curtiram o evento Estreia no teatro A História Nunca Contada de Allan Kardec, O Cientista do Infinito de Erika Silvira
sábado

Regras de uso e de publicação

 

 

© 2020   Criado por Amigo Espírita.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço