Teoria da abiogêneses e biogêneses.

Boa tarde. Sou iniciante no mundo espiritual e comecei a ler o livro ''O livro dos espíritos'' e deparei com algumas questões, uma delas foi a pergunta numero ''46'' sobre geração espontânea.

Como os espiritas veem  ao se deparar que esta questão foi refutada pela teoria de biogêneses em 1861 por Louis Pasteur. O que me deixou confuso foi a afirmação dos espíritos  que sim ,ainda existe geração espontânea. Como funciona isso, como vocês espiritas lidão com esta questão?

  • para cima

    Blog LGBT Espírita

    Olá Thiago. Em Espiritismo é necessário estar-se sempre abertx para revisão de conceitos. Espiritismo jamais é dogmatismo e não defende 'verdades' absolutas. Um de seus postulados é revisar suas afirmações conforme avance o conhecimento da humanidade. Isso é afirmação do próprio codificador Allan Kardec.

    O livro dos Espíritos foi escrito em 1857. No ano de 1861 a Ciência refuta uma de suas afirmações. Segundo orientações do próprio codificador a nova informação deve ser incorporada pelos espíritas. 

    O mesmo acontece conosco. Os textos da literatura espírita que dizem sobre a homossexualidade e transgeneridades ainda tem como fundamento a ciência psiquiátrica antiga, que considerava tudo isso patologia e desvio moral. Hoje o pensamento avançou no meio científico, pautando para a variabilidade natural das identidades e sexualidades humanas, e buscamos levar esses novos conceitos ao Movimento Espírita.

  • para cima

    LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA

    “Não fiquem maravilhados diante do novo nem assustados pelo que ontem vos era desconhecido. Não recuem diante do mistério, mas procurem enfrenta-lo e desvendá-lo… Não se considerem os únicos donos da verdade e do conhecimento, pois o diploma não faz o cientista.” Pasteur.

    https://blogdobrunotavares.wordpress.com/2017/06/13/louis-pasteur-v...

    Diante da Ciência paramos para pensar.

    Boa contribuição pode dar a “Ciência Espírita”.

    Exemplo. Questões.

    1. O indivíduo se identifica como pertencente ao sexo oposto e experimenta grande frustração ao tentar se expressar através do contexto do seu sexo genético?
    2. É fácil distinguir convicções transexuais de ilusões psicóticas?
    3. O transexualismo seria uma forma não-específica de psicopatologia, porque mesmo não sendo psicose, apresenta as duas fases características da psicose, ou seja, saída da realidade (do próprio sexo) e criação de uma nova realidade (troca do sexo corporal e do papel sexual)?

    Parece fácil responder, “senso comum”, a questão: O transexualismo é uma anomalia da identidade sexual?