A Doutrina Espírita como fiel reveladora dos Ensinos de Jesus, a orientar e iluminar consciências para a vivência evangélica em sua pureza, vem-nos soerguendo de maneira vigorosa, da ignorância para a lucidez, através da saturação de valores que já não encontram ressonâncias em nosso mundo íntimo.

Nesse sentido, quando mais uma vez a humanidade se levanta para rememorar os fatos que  levaram á crucificação de Jesus, gostaríamos de resgatar uma pérola da literatura espírita, da autoria de Humberto de Campos, pela psicografia de Chico Xavier, cuja mensagem intitulada “O Discípulo Ambicioso”, inserida no livro Lázaro, vem trazer-nos em detalhes, a trama envolvida e articulada pelos representantes do sinédrio, notadamente Caifás envolvendo Judas, o discípulo invigilante.

Segundo Humberto de Campos, resgatando registros do mundo espiritual, Judas, embora obcecado pela ambição amava Jesus e queria apressar a fundação de seu Reino entre os homens. A metodologia do Mestre, estribada na concórdia, na tolerância, na paciência e na esperança não efetuaria as reformas necessárias, segundo o discípulo, ainda escravizado ás ilusões do poder temporário dos homens.

Buscando resolver os problemas do Senhor, Judas irrefletidamente busca Caifás, sumo-sacerdote do Templo, objetivando acionar as forças políticas do seu tempo, através da influência prestigiosa dos sacerdotes e ali estabelecem um acordo para salvar o Messias Nazareno.

Cabe destacar que, em outra mensagem, neste mesmo livro, Humberto de Campos descreve com detalhes sobre a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, nos dias que antecedem a páscoa.

A cidade já O conhecia e o povo Judeu suspirava por um Messias que o libertasse dos opressores.

Na entrada gloriosa da cidade, alinharam-se fileiras de populares, para saudar o Messias e seus discípulos. Os judeus mais destacados, patriarcas, faziam sinais a Pedro, Filipe ou a João e discretamente perguntavam quando o Jesus iria se manifestar e mostrar seu plano de libertação do povo Judeu. E os discípulos respondiam com atitude orgulhosa que brevemente o Messias mostraria o plano de suas reivindicações.

Jesus recebia com olhar melancólico as manifestações, ao contrário dos apóstolos que se sentiam embriagados pelo efêmero triunfo.

Reunindo intimamente com os discípulos, Jesus estabelece seu plano divino que naturalmente era diametralmente oposto ao plano dos sacerdotes do templo. Fora do cenáculo, onde se encontrava Jesus o povo aguardava informações do colégio apostólico.

Após a reunião, seis discípulos, mostrando desapontamento em suas fisionomias, procuram os intelectualistas de Jerusalém que os indagam sobre o plano de Jesus. E, a medida que os discípulos apresentavam as respostas aos vaidosos filhos de Jerusalém, informando que o plano de Jesus era cumprir, acima de tudo, a Vontade de Deus, longe de qualquer disputa com os homens, surgiram risos e protestos e retraíram-se desapontados.

A partir deste instante, a perseguição do Sinédrio tomou vulto e foi exatamente neste clima que Judas, de maneira invigilante, busca os sacerdotes, na pessoa de Caifás, que habilmente o iludiu quanto á tomada do poder por Jesus.

Resgata-nos Humberto de Campos:

“ E o discípulo, em atitude de homem escravizado á ilusão, aguardava Caifás, que não se fez esperar muito tempo. Na sala enorme, iniciaram discreta conversação. O sumo-sacerdote, após abraçá-lo com fingida simpatia, observou, em tom cordial:

– Com que então o Templo tem a felicidade de contar com a sua valiosa colaboração!

– Ah! sim, é verdade – exclamou o leviano aprendiz, sentindo-se envaidecido.

Caifás, consciente da própria importância na administrarão de Jerusalém, voltou a dizer:

– Precisávamos de alguém, com bastante coragem, para salvar o Messias Nazareno.

– Oh! sim – disse Judas, contente –, compreendo a situação.

– De fato – prosseguiu o chefe do Templo – necessitamos de um rei que nos restaure a liberdade política e, em boa hora, os galileus nos oferecem tal oportunidade. Aliás, tenho muito prazer em tratar com a sua pessoa, homem providencial na realização, que não perde tempo com palavras ociosas. Tentei abordar indiretamente outros homem daqueles que acompanham o Nazareno, porém, todos eles, ao que me pareceu, são esquivos e indecisos.

Creia, no entanto – e elevou muito o diapasão de voz, impressionando o interlocutor pela, segurança verbal –, creia, porém, que o seu gesto, anuindo aos nossos propósitos, apressará a vitória do Messias, conferindo elevados títulos aos seus companheiros. Terão eles destacada posição de domínio e sentar-se-ão na assembléia mais alta do povo escolhido. É tempo de libertação e, certo, Jesus é o rei que Jeová nos envia.

Judas não cabia em si mesmo, tal o contentamento que lhe tornava o coração. Preocupado, no entanto, com a situação do Profeta, a quem tanto devia, perguntou, humilde:

– E o Mestre?

Dissimulou Caifás os sentimentos sinistros que lhe vagavam na alma e respondeu em voz

quase doce:

– Compreenderá, certamente, a necessidade das medidas aparentemente rigorosas. O Mestre, por exemplo, segundo o plano estabelecido, será preso, por uma questão de segurança pessoal. Será detido, a fim de que se coloque a salvo de qualquer incidente desagradável, enquanto nos valeremos da grande aglomeração de patriotas na cidade para proclamar a nossa independência. Liquidada a vitória inicial, com a submissão das autoridades romanas, coroaremos o Messias, que ostentará o cetro do poder.

O discípulo exultava. Conhecedor antigo dos efeitos da lisonja nos corações indisciplinados e invigilantes, Caifás continuou:

– O meu prestimoso amigo, até que se resolva a situação em definitivo, chefiará os companheiros e receberá as homenagens que lhe são devidas. Tornará o lugar do Messias, provisoriamente, e ditará ordens, até que êle próprio, com a garantia desejável, possa assumir o poder.

Satisfeitíssimo, o visitante indagou :

– E que devo fazer inicialmente?

O sacerdote perspicaz respondeu com naturalidade :

– Não temos tempo a perder. Formaremos a documentação necessária.

– Como devo fazer? – perguntou ainda o aprendiz enganado.

– Chamarei as testemunhas – esclareceu o sumo-sacerdote – e, perante nós, responderá afirmativa ente a todas as interrogações que lhe forem dirigidas. Não precisará informar-se quanto á particularidade alguma. Bastará responder “sim” a todas as perguntas formuladas.

Posso dispor de sua lealdade?

Judas não hesitou. Estava decidido a seguir as instruções, de modo incondicional. Mais alguns minutos e organizou-se pequena assembléia, com juízes e testemunhas. Dois escribas perfilaram-se para fixar as declarações. Formada a reunião, o sumo-sacerdote chamou o denunciante e iniciou o interrogatório:

– É discípulo de Jesus, o Nazareno? Confiante, Judas respondeu:

– Sim.

– Vem fazer declarações ao Sinédrio, como judeu convicto da santidade da lei?

– Sim.

– Afirma que o Messias Nazareno pretende ser o rei de Israel?

– Sim.

– Assegura que ele promete a revolução contra o poder de César e a autoridade de Ântipas?

– Sim.

– É verdade que ele odeia os romanos? – Sim.

– Deseja, de fato, aproveitar a Páscoa, para começar a rebelião?

– Sim.

– Declarará a emancipação política de Israel, imediatamente?

Sim.

– Promete lutar contra quaisquer obstáculos para derrubar as combinações políticas existentes entre Roma e esta província, no sentido de coroar-se rei?

– Sim.

De posse das declarações comprometedoras, Caifás interrompeu o inquérito, mandou que Judas esperasse na ante-sala e iniciou providências junto de romanos e judeus, para que Jesus fosse preso, imediatamente, como agitador político e explorador da confiança pública. Em breves horas, um grupo de soldados postava-se nas vizinhanças do Templo, à espera da ordem final, e Caifás, compensando Judas com algum dinheiro, fez sentir a necessidade de sua orientação na prisão inicial do Messias, assegurando que, em breve tempo, se cumpriria a redenção de Israel.

O discípulo invigilante foi à frente de todos e encaminhou a triste ocorrência.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

E, quando os fatos marcharam noutro rumo, debalde o Iscariote procurou avistar-se com as autoridades, tão pródigas em promessas de poderes fascinantes. Findo o processo de humilhações, encarceramento, martírio e condenação de Jesus, o aprendiz infiel conseguiu encontrar o sumo-sacerdote e alguns intérpretes da lei antiga, em animada conversação no Sinédrio. Em lagrimas, Judas rogou que fosse interrompida a tragédia angustiosa da cruz, e sentindo, tarde embora, que fora vítima da própria ambição, devolveu as moedas de prata, exclamando, de joelhos:

– Socorrei-me! Cometi um crime, traindo o sangue inocente!... A vaidade perdeu-me, tende compaixão de mim!...

Os interpelados, porém, como velhos representantes da ironia humana, responderam simplesmente :

– Que nos importa? Isso é contigo...”

 

Humberto de Campos – Psicografia de Chico Xavier – extraído do livro Lázaro Redivivo – FEB.

Eurípedes Mariano.

Exibições: 4175

Comentar

Você precisa ser um membro de RAE para adicionar comentários!

Entrar em RAE

Comentário de DEDÉ E ELISANGELA. em 6 abril 2013 às 9:57

.....beleza.O EXERCÍCIO DA LEITURA PARA UM BOM ENTENDIMENTO.SÓ HÁ UM APROFUNDAMENTO DOUTRINÁRIO COM LEITURA E MÍDIAS DIVERSAS.OBRIGADO A NOS SUGERIR.FAZ MISTER A SUA DEDICAÇÃO.COMO É BELO O BENFAJEZO.DEUS,BRIGADO PELA.JESUS NOS GUIE E ILUMINE, O MESTRE POR EXCELÊNCIA.......DEDÉ/FORT-CE

APLICATIVO RAETV

Nosso aplicativo para download gratuito no Google Play

ASSOCIE-SE E COLABORE

ASSISTA AO VIVO

Artigos Espíritas

Por que ideias não espíritas são ensinadas nos centros espíritas?

Pode ser que ao ler o título deste texto você imagine que se trata de uma espécie de censura ou proibição a alguma ideia veiculada no centro espírita. Por isso, faço o convite para que prossiga na leitura, pois, adianto, não se trata de censura ou proibição de qualquer…

Ridículo silêncio

                                                             RIDÍCULO SILÊNCIO

Há muitas espécies de provação para a dignidade pessoal e numerosos gêneros de defesa.
Há feridas que atingem a honorabilidade de família, golpes que vibram sobre a realização individual, calúnias que envolvem o nome, acusações gratuitas, comentários desairosos à…

É sempre tempo de receber visitas (por Jane Maiolo)

É sempre tempo de receber visitas

Por Jane Maiolo

Pois, se nem ainda podeis as coisas mínimas, por que estais ansiosos pelas outras?” (1) Lucas 12:26

 …

Em geral o Espiritismo não trabalha com datas predefinidas para acontecimentos.

Em geral o Espiritismo não trabalha com datas predefinidas para acontecimentos.

 

Wellington Balbo – Salvador BA

 

Desde que o mundo é mundo o homem busca, por meio das previsões, antecipar-se…

Reflexões sobre ações e críticas

            Você já se perguntou o que é a verdade? Jesus ao ser indagado por P Pilatos, na descrição do Evangelho segundo João, capítulo XVIII, respondeu com o maior silêncio que a humanidade já ouviu. Tenho me perguntado por que Ele adotou tal postura?   

            Neste…

Últimas atividades

Posts no blog por ANA MARIA TEODORO MASSUCI

TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

1 – Enfatiza-se no meio espírita o fato de que estamos em plena transição na sociedade planetária, de Mundo de Provas e Expiações para Mundo de Regeneração. É isso mesmo?Depende do ponto de vista. Imaginemos que façamos uma viagem de São Paulo ao Rio de Janeiro como andarilhos. Desde a saída estaremos em trânsito a caminho do Rio, mas ainda longe de nosso destino. Imagino que o fato de estarmos em transição para o Mundo de Regeneração não significa que estejamos às suas portas.2 – No que você…Ver mais...
13 horas atrás
Erika Silvira postou um evento
Miniatura

Workshop Controle da Mente- Desperte o Poder da sua Consciência em Local: Hotel Braston

28 setembro 2019 de 9 a 16:30
Diante de tantos desafios diários quais são os passos para ter uma mente mais saudável? Como podemos evitar síndromes da mente ?Todas essas respostas estarão no Workshop Controle da Mente - Desperte o Poder da sua Consciência.O encontro contará com um time de palestrantes especialistas de destaque na área da saúde mental, unindo medicina e espiritualidade.Participação: Dr. Sérgio Felipe de Oliveira, Dr. João Lourenço Navajas, Marcelo Bispo e Raquel BacchiegaGaranta já seu ingresso ligando para…Ver mais...
14 horas atrás
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Anália Franco-"A Grande Dama da Educação Brasileira". de Liudmila Carla Pinheiro
"Anália Franco. Gratidão O lar Anália Franco, Rio de Janeiro (1, 2) foi fundado em 22 de outubro de 1922. Em 2017 a direção programou o Seminário Anália Franco, o Evangelho Aplicado à…"
ontem
Armando Jorge Pereira Carvalho curtiram o perfil de Georgia
ontem
Sergio Bini curtiram a discussão Chorando para realizar de Maria Luci Sales Marques
ontem
Sergio Bini curtiram a discussão DIAS DE SOMBRA - JOANNA DE ÂNGELIS E DIVALDO PEREIRA FRANCO de Maria Luci Sales Marques
ontem
Ícone do perfilAna Mafalda Candy, Shirley Cristiane Amaral, Augusto Cesar Sousa e mais 3 pessoas entraram em RAE
domingo
Shirley Cristiane Amaral curtiu a postagem no blog SABER SOFRER - Richard Simonetti ::: de ANA MARIA TEODORO MASSUCI
domingo
Shirley Cristiane Amaral curtiu a postagem no blog SABER SOFRER - Richard Simonetti ::: de ANA MARIA TEODORO MASSUCI
domingo
Posts no blog por LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA

“Dia dos Pais”

Alguns podem pensar e admitir que a lei  é exageradamente generosa. (1) Tremembé, São Paulo, possui pais famosos. (2) Mesmo condenado pela Justiça após ter matado uma filha, o detento paradoxalmente poderá deixar a Penitenciária devido ao “benefício da saída temporária de Dias dos Pais”.“No projeto de lei anticrime, consta a vedação de saídas temporárias da prisão para condenados por crimes hediondos”. (3) O texto final poderá apresentar alterações advindas da Câmara dos deputados e do…Ver mais...
domingo
Elmira Vaz Malheiros comentou a página Colabore com a Rede Amigo Espírita de Amigo Espírita
"CANCELAR MEU NOME IMEDIATAMENTE. DESISTO DO RAE. obrigada !"
domingo
Fernanda de Moraes Cippiciani entrou no grupo de Amigo Espírita
Miniatura

Joanna de Ângelis e Divaldo Franco

Grandes Ensinamentos que iluminam e esclarecem.Grupo destinado aos ensinamentos do médium Divaldo Franco e da Benfeitora Joanna de Angelis. Ver mais...
domingo
Fernanda de Moraes Cippiciani curtiram o evento Joanna de Ângelis e Divaldo Franco de Amigo Espírita
domingo
Fernanda de Moraes Cippiciani curtiram o perfil de Fernanda de Moraes Cippiciani
domingo
Fernanda de Moraes Cippiciani curtiram o perfil de Fernanda de Moraes Cippiciani
domingo
Posts no blog por PATRIZIA GARDONA

Ondas do Pensamento

A questão de número oitenta e oito de O Livro dos Espíritos nos esclarece que o Espírito pode ser comparado a um clarão, uma fagulha, uma centelha etérea.Na questão seguinte, oitenta e oito “a”, o Emérito Codificador da Doutrina Espírita, Allan Kardec, pergunta se o espírito tem cor, e a resposta dos Orientadores Espirituais diz que sim, e que essa cor pode variar do escuro…Ver mais...
domingo
Ori Pombal Franco curtiu a postagem no blog O aforismo “Fora da caridade não há salvação” de ANA MARIA TEODORO MASSUCI
sábado
Posts no blog por ANA MARIA TEODORO MASSUCI
sábado
Ori Pombal Franco curtiu a postagem no blog SAIR PELA MESMA PORTA. SUPERSTIÇÕES. de Nilton Cardoso Moreira
sexta-feira
Ori Pombal Franco curtiu a postagem no blog LUZ PARA TODOS de ANA MARIA TEODORO MASSUCI
sexta-feira

Regras de uso e de publicação

 

 

© 2019   Criado por Amigo Espírita.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço