Uma psicóloga norte-americana foi procurada para atender um adolescente, portador de problema singular.

Desde a infância, o garoto trazia uma fobia com relação ao bater das asas dos pássaros, mas foi na adolescência que o problema se intensificou e os pais buscaram a ajuda de um profissional.

Quando percebia um pássaro pousando, o movimento das asas lhe causava crises terríveis culminando em desmaio.

A psicóloga buscou, com todos os recursos de que dispunha, uma forma de ajudá-lo.

Provocou, por inúmeras vezes, a regressão de memória até ao útero materno e não conseguia descobrir as origens do desequilíbrio.

Materialista convicta, a profissional só admitia uma única existência e buscava a resposta a partir da vida no ventre materno.

Mas, como os anos rolaram sem que pudesse resolver a questão, e porque o desafio se tornasse cada vez maior, numa das sessões de regressão resolveu deixar que o jovem fosse mais além.

Embora não acreditasse na teoria da preexistência do Espírito, foi nesse universo desconhecido que encontrou a origem do trauma.

O jovem, então com 21 anos, mergulhou no seu passado e se viu como soldado, lutando na Segunda Guerra Mundial.

Descrevia seu drama com detalhes. Estava em meio a uma batalha, juntamente com os demais soldados, quando houve uma grande explosão e todos foram atingidos.

Ele também fora atingido pelos estilhaços da bomba mas não morrera de imediato, ficando apenas semiconsciente.

Após baixar a poeira, vieram os tratores e juntaram os inúmeros corpos em monturos, deixando-os para serem enterrados em covas coletivas mais tarde.

Nessa ocasião, ele, que estava agonizante mas não morto, fora arrastado para o monturo com os demais cadáveres, ficando sobre os demais.

E porque demorassem para soterrar os corpos, os abutres buscaram neles o seu alimento.

Quando os abutres sentavam sobre seu corpo, ele percebia o bater das asas e sentia suas carnes sendo dilaceradas com violência.

Essa cena se repetiu por muitas horas, até que a morte física se consumasse.

Embora rompidos os laços do corpo físico, aquele Espírito ficou impregnado das sensações horríveis dos últimos momentos, a ponto de trazer o desequilíbrio para a nova existência, em forma de fobia.

Não é preciso dizer que a doutora materialista rendeu-se aos fatos e mudou seu pensamento a respeito da vida.

* * *

Muitos medos e traumas cujas causas não estão na presente existência têm suas raízes em um passado mais ou menos distante, em existências anteriores.

O Espírito recebe um novo corpo em cada nova existência, mas traz consigo os problemas não resolvidos de outros tempos.

Por esse motivo é importante que olhemos para as pessoas como Espíritos milenares, mesmo que estejam albergados temporariamente num corpo infantil.

Percebendo a vida sob esse ponto de vista, teremos mais e melhores possibilidades de ajudar as criaturas que trazem dificuldades, começando por nós mesmos.

 

Redação do Momento Espírita

Em 22.12.2009.

Exibições: 123

Comentar

Você precisa ser um membro de RAE para adicionar comentários!

Entrar em RAE

APLICATIVO RAETV

Nosso aplicativo para download gratuito no Google Play

ASSOCIE-SE E COLABORE

Artigos Espíritas

Por que estudar O livro dos médiuns? por Simoni Privato Goidanich

Por que estudar O livro dos médiuns?

Simoni Privato Goidanich

Artigo publicado na Revista A senda (nov-dez 2019), da Federação Espírita do Estado do…

Kardec sofre...

Kardec sofre...

 

Wellington Balbo – Salvador BA

 

Não tenho dúvidas que Allan Kardec sofre ao verificar como as coisas andam no seio do movimento espírita atual com brigas, discussões…

Aprendemos com o Espiritismo a ter relações mais leves.

Aprendemos com o Espiritismo a ter relações mais leves.

 

Marcelo Henrique – Florianópolis SC

Wellington Balbo – Salvador BA

 

O Espiritismo nos fornece uma visão bem legal da…

Ao orar por alguém eu atraio seus obsessores?

Ao orar por alguém eu atraio seus obsessores?

 

Há, para uma boa parcela de gente, até para aqueles que conhecem um pouco mais os Espíritos e a sua natureza, uma espécie de medo do que eles – os Espíritos – podem fazer…

Por que apenas em setembro?

Por que apenas em setembro? 

 

O tema suicídio sempre me chamou atenção, tanto que, no ano de 2011, junto com dois amigos…

Últimas atividades

Cesar Fontes Gerhard curtiram o perfil de Cesar Fontes Gerhard
1 hora atrás
Cesar Fontes Gerhard curtiram o perfil de Ana Paula D Aquino
1 hora atrás
Cesar Fontes Gerhard curtiram o perfil de José Maria Ramalho Pinto Júnior
1 hora atrás
Cesar Fontes Gerhard curtiram o perfil de katia maria brinco
1 hora atrás
Cesar Fontes Gerhard curtiram o perfil de Robson Carlos Rocha Chicarino
1 hora atrás
Cesar Fontes Gerhard curtiram o perfil de Carmen Angela Guimarães Leal
1 hora atrás
Cesar Fontes Gerhard curtiram o perfil de Marcelo Myrrha
1 hora atrás
Cesar Fontes Gerhard curtiram o perfil de Neldalia Silva Fort Bastos
1 hora atrás
Cesar Fontes Gerhard curtiram o perfil de Elisangela Vargas da Silveira
1 hora atrás
Cesar Fontes Gerhard curtiram o perfil de Maria Helena
1 hora atrás
Cesar Fontes Gerhard curtiram o perfil de Olimpia Maria dos Santos
1 hora atrás
Cesar Fontes Gerhard curtiram o perfil de Conceição A. Fernandes dos Anjos
1 hora atrás
Cesar Fontes Gerhard curtiram o perfil de Ane Elise de Freitas Farias
1 hora atrás
Cesar Fontes Gerhard curtiram o perfil de Leticia C
1 hora atrás
Cesar Fontes Gerhard curtiram o perfil de lucimar ribeiro
1 hora atrás
Cesar Fontes Gerhard curtiram o perfil de lucimar ribeiro
1 hora atrás
Cesar Fontes Gerhard curtiram o perfil de Cecilia Chaves Duque
1 hora atrás
Cesar Fontes Gerhard curtiram o perfil de Eleonora Ruggeri
1 hora atrás
Cesar Fontes Gerhard curtiram o perfil de Ana Scalco
1 hora atrás
Cesar Fontes Gerhard curtiram o perfil de Sueli Aquino
1 hora atrás

Regras de uso e de publicação

 

 

© 2019   Criado por Amigo Espírita.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço