Nas fileiras da assistência espírita, temos tido a oportunidade de conviver com um casal que nos causa admiração. Ambos são moradores de rua, e arriscaríamos dizer que se encontram por volta dos quarenta anos de idade.

Ela, da raça negra, é muito conhecida de boa parte da cidade, por conta de seu comportamento. Completamente desequilibrada, com provável presença de espíritos desajustados, vivia pelas ruas andando seminua e portando-se como uma criança, inclusive com chupeta na boca.

Eventualmente aparecia em nosso Centro Espírita, sempre pedindo algo ou algum trocado. Entrava em todas as dependências que lhe fosse possível, intempestivamente, chegando mesmo a tentar pegar o que achava pela frente, interrompendo palestras e estudos, e da mesma forma que entrava saía. Nunca dava ouvido a quem quer que seja.

Ele, da raça branca, com barba e cabelo fartos e desalinhados, eventualmente aparecia, mas quando o fazia sempre se comportava com aparente normalidade, embora com aparência de algum desajuste psíquico-social.

Notava-se nele sempre uma preocupação em relação a ela, tentando protegê-la e ampará-la, o que nos chamava a atenção.

Uma noite, ao sairmos do Centro após as atividades doutrinárias para retornarmos ao lar, encontramos, não muito distante, uma movimentação provocada por um atropelamento. Paramos, na tentativa de sermos úteis, e verificamos que a vítima era a nossa conhecida. Com inúmeras escoriações e fraturas, principalmente nos membros inferiores, foi socorrida e começou então uma longa peregrinação por hospitais, incluindo o Hospital Adolfo Bezerra de Menezes.

Sempre recebíamos notícias dela quando o encontrávamos nos semáforos próximos ao Centro, ou quando o recebíamos para se alimentar com a sopa do Centro.

Um dia nos surpreenderam ao chegarem juntos ao Centro para a sopa. Ela andando com andador, e ele todo cuidados para ajudá-la, tratando-a com um carinho e respeito enternecedor.

Desde então, com frequência retornam, e nos chamou a atenção o “novo” comportamento dela. Calma, educada, com olhar manso, e uma certa simpatia jovial, sempre recebendo muito bem a atenção que ele lhe dedica. Parece que o acidente a acordou para uma nova realidade.

Chama a atenção, não só a mudança comportamental dela em função das dores provocadas pelo corpo machucado, mas principalmente na forma com que se tratam.

Por se tratar de moradores de rua, não há valores materiais em jogo, assim como não há predicados físicos padronizados pela cultura social em que vivemos. Ao contrário, falta-lhes até a higiene pessoal e roupa limpa, e mesmo com a falta de tudo, aceitam-se e se completam mutuamente, dedicando-se um às necessidades do outro, pouco importando o que está à volta.

Poderíamos até imaginar neles uma condição de “almas gêmeas”.

Por fim, é inevitável a comparação. Será que em nós, que temos alguma cultura, conhecimento do Evangelho e da Doutrina Espírita, que temos muito mais do que o necessário, em todos os aspectos, já se reconhece o amor que constatamos naquele casal? Já somos também reconhecidos pela nossa dedicação aos que conosco convivem, ou, ao contrário, ainda estamos exigindo condições ideais, materiais e humanas, para amar e servir?

Pensemos nisso.

Antonio Carlos Navarro

Exibições: 45

Comentar

Você precisa ser um membro de RAE para adicionar comentários!

Entrar em RAE

APLICATIVO RAETV

Nosso aplicativo para download gratuito no Google Play

COLABORE COM A RAE

Artigos Espíritas

E quando o desequilíbrio da saúde mental destrói o futuro... (Artigo de Jane Maiolo)

E quando o desequilíbrio da saúde mental destrói o futuro...

 por Jane Maiolo

Por que estamos nós…

Por que nos sentimos mal em determinados ambientes?

Por que nos sentimos mal em determinados ambientes?

 

Wellington Balbo – Salvador BA

 

Você já esteve em ambientes em que se sentiu mal, constrangido, pouco à…

Por que estudar O livro dos médiuns? por Simoni Privato Goidanich

Por que estudar O livro dos médiuns?

Simoni Privato Goidanich

Artigo publicado na Revista A senda (nov-dez 2019), da Federação Espírita do Estado do…

Kardec sofre...

Kardec sofre...

 

Wellington Balbo – Salvador BA

 

Não tenho dúvidas que Allan Kardec sofre ao verificar como as coisas andam no seio do movimento espírita atual com brigas, discussões…

Aprendemos com o Espiritismo a ter relações mais leves.

Aprendemos com o Espiritismo a ter relações mais leves.

 

Marcelo Henrique – Florianópolis SC

Wellington Balbo – Salvador BA

 

O Espiritismo nos fornece uma visão bem legal da…

Últimas atividades

LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog AMAS O BASTANTE/ de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
"“Meus discípulos serão reconhecidos por se amarem”. O amor é capaz de resumir toda a Doutrina de Jesus. O apelo ao coração de Pedro é significativo. O Mestre não recomenda medidas…"
4 horas atrás
Posts no blog por PATRIZIA GARDONA

Valiosas respostas – Orson Peter Carrara

Relaciono ao leitor respostas de Divaldo Franco, em transcrição parcial, de correspondência enviada ao Presidente da FEB em agosto de 1982, respondendo ao questionário que lhe foi proposto. O texto completo pode ser pesquisado no google com o título: Importância da Evangelização Infantil – Seara Espírita Infantil.Face à importância das oportunas…Ver mais...
13 horas atrás
Carlos Pretti - SCEE postou um evento
Miniatura

“Alegria de Viver”, com Rogério Alencar em Sociedade Colatinense de Estudos Espíritas

23 fevereiro 2020 de 9 a 10:15
“Alegria de Viver”, este será o tema da palestra do pesquisador e orador Rogério Alencar de Colatina-ES, no próximo domingo 23 de fevereiro de 2020, na Sociedade Colatinense de Estudos Espíritas. Rogério é natural de Petrópolis-RJ, radicado a muitos anos em Colatina, está como dirigente do Centro Espírita Vicente de Paulo, localizado no Bairro São Vicente em Colatina e…Ver mais...
13 horas atrás
Posts no blog por LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA

AMAS O BASTANTE/

¿AMAS LÓ SUFICIENTE?  Com esse título, o autor comenta uma passagem do Evangelho, onde Jesus pergunta três vezes: “Simão, filho de Jonas, amas-me?“ (João, 21:17)Espera é resposta de Abgail no livro “Paulo e Estevão” de Emmanuel . Esperar foi o que fez a mãe de Gregório no livro “Libertação”, de André luiz. Ambos psicografados por Francisco Cândido Xavier.Paciência parece ser fundamental para se conseguir chegar ao objetivo específico. Pode ser necessário esperar, em alguns casos, a mudança do…Ver mais...
13 horas atrás
os pae curtiu a postagem no blog Falsas cartas mediúnicas na era de Facebook (Jorge Hessen) de Codificador do Paracleto
14 horas atrás
Maria da Glória Ferreira Ragazzi curtiu a postagem no blog Carnaval - não há outra disposição que não seja o da abstinência espontânea do folguedo (Jorge Hessen) de os pae
15 horas atrás
Carlus Martel curtiu a postagem no blog Falsas cartas mediúnicas na era de Facebook (Jorge Hessen) de Codificador do Paracleto
17 horas atrás
Amauri A. L. Silva curtiu a postagem no blog Comparação de PATRIZIA GARDONA
19 horas atrás
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Suicídio. Quando ... de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
"Por que não cometeu suicídio? Outros o fazem depois de aborrecimentos ligeiros. Diante das dores pessoas religiosas e/ou espiritualizadas parecem possuir vantagens, como Jerônimo Mendonça. Foi um gigante…"
20 horas atrás
Carlus Martel curtiu a postagem no blog Falsas cartas mediúnicas na era de Facebook (Jorge Hessen) de Codificador do Paracleto
ontem
Rafael Fernandes Clementino entrou no grupo de Amigo Espírita
Miniatura

Artigos Espíritas

Grupo destinado a divulgação de ARTIGOS da DOUTRINA ESPÍRITA através dos nossos articulistas. Não são aceitas postagens de trechos de livros e outros textos.."Material postado nessa pagina tem autorização de seus autores para publicação na REDE AMIGO ESPÍRITA, a reprodução total ou parcial dos dados aqui publicados em outros veículos de mídia podem ser interpretados como violação de direitos autorais, e seus autores agirem conforme informa a lei"Ver mais...
terça-feira
Posts no blog por Codificador do Paracleto
terça-feira
Rosana Andrade curtiram o perfil de Rosana Andrade
segunda-feira
Carlus Martel postou um evento
domingo
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA respondeu à discussão Teoria da abiogêneses e biogêneses. de Thiago Luiz Félix
"“Não fiquem maravilhados diante do novo nem assustados pelo que ontem vos era desconhecido. Não recuem diante do mistério, mas procurem enfrenta-lo e desvendá-lo… Não se considerem os únicos…"
domingo
Margarida Maria Madruga e Carolina Shank agora são amigos
domingo

Regras de uso e de publicação

 

 

© 2020   Criado por Amigo Espírita.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço