Depressão - Tempo de colheita no campo do espírito

Parece uma pandemia o número sempre crescente de pessoas que sofrem o mal da depressão em diversos graus de manifestação da doença. Esta doença não escolhe suas vítimas por qualquer critério conhecido, nem tão pouco por classe econômica ou religiosa e mesmo faixa etária. Rotulada como "o mal do século" suas vítimas procuram, primeiramente, o amparo da medicina convencional e, não obtendo resultados, a espiritual.
O fato é que, muitas vezes, a medicina convencional não resolve a questão por trabalhar apenas na periferia dos efeitos intentando o combate com remédios que muitos vezes mais males causam do que bem. Mas também é fato que o tratamento espiritual, frequentemente, também não apresenta uma proposta e terapia que realmente resolvam o sofrimento de quem a busca.

Para entender o processo depressivo é necessário entender o funcionamento da vida como um todo, de maneira sintética e não simplesmente adentrar o labirinto da análise sem fim, onde nunca se chega a uma conclusão real.
É necessário compreendermos a mecânica do existir de modo a nos ajustarmos ao fluxo normal da existência e compreendermos em que momento nos desviamos do caminho a ponto de nos encarceramos no calabouço depressivo.
Ficar triste é normal quando para isso possuímos boas razões.É um direito, de quem passa por um trauma, ou uma desilusão, se recolher em si mesmo e meditar no acontecido, até que se esgote o impulso gerador do abatimento, inclusive chorar, seja homem ou mulher. Para isso disse Jesus: "Bem aventurados os que choram".
O que não é normal, é permanecer na tristeza e no recolhimento após o tempo relativamente suficiente para o esgotamento da fonte da tristeza. É aqui que entra a depressão.

Na mecânica da vida tudo se expressa de maneira dualística. Tudo, em nosso universo, é binário. Tudo sobe e desce. Todo começo tem fim. Claro e escuro. Vida e morte. Saúde e doença. Sim e não. Toda expressão de vida, em nosso universo, é resultado da dualidade universal. Dualidade compreendida como um ciclo de fases inversas e complementares formando, assim, uma onda, em qualquer aspecto de sua manifestação. Podemos, por exemplo, tomar como base o entendimento da manifestação energética. Toda energia é um enfeixamento de ondas numa expressão fenomênica de uma combinação de fatores. Isto também configura a vibração que nada mais é que a alternância de estados da onda.

Podemos enxergar isso na natureza a partir do princípio: "Na natureza nada se perde nada se cria, tudo se transforma", pois que, através dos ciclos ondulatórios, aquilo que é deixará de ser, se transformando e e vindo a ser novamente num ciclo sem fim.
Toda onda se expressa através de picos de subida e de descida de maneira que atingido o máximo pico de subida a onda não tem outro caminho a não ser iniciar a descida. E atingido o máximo pico de descida somente o caminho de subida lhe resta. Assim, ocorre também no campo animal, humano, financeiro, social, psicológico, existencial e emocional. Depois de se manifestar como semente, o ser humano numa categórica manifestação de subida da onda ou expansão, consegue, em incríveis nove meses, expandir as suas células e formar o seu corpo através do movimento anabólico, próprio da fisiologia da vida. Esta fase de expansão se refere à subida da onda que vai atingir o seu pico máximo pela metade da vida, quando então, o pulso predominante de subida, o anabolismo, cede lugar a outro, o catabolismo, o de descida, ou contração. A partir deste momento o metabolismo celular diminui e o corpo vai envelhecendo até atingir a morte. Morte que nunca é fim, mas impulso para nova fase de subida em outro corpo, em outra vida, através da reencarnação.

Portanto, no ciclo da onda, contração e expansão, são suas fases inversas e complementares que definem a existência e manifestação de qualquer fenômeno. Isto também se aplica no campo psicológico da manifestação mental. Na subida da onda, ou na expansão da consciência, nos manifestamos com euforia, com alegria, criatividade e positivismo nas expressões de nosso modo de ser. Obedecendo o ciclo da dualidade, na descida da onda, ou na contração da consciência nos apresentamos aquietados, emudecidos, macambúzios, introspectivos enquanto meditamos naquilo que aprendemos durante a expansão. Passada a fase de contração consciencial novamente nos expandimos para tornar a aprender mais, criar mais e descobrir mais para em seguida contrairmos novamente a consciência e refletirmos novamente e assim por diante.

Ocorre, porém, que, assim como uma mola que esticada além do limite tende a contrair abaixo do limite, funciona também a nossa consciência, pois que a lei é a mesma para todos e para tudo. Nos momentos de expansão é facultado a qualquer um, pela estrutura intrínseca do processo e pelo livre arbítrio, exagerar e ir além dos limites.Como consequência, experimentaremos o movimento oposto na mesma proporção e intensidade, descendo abaixo dos limites.
Em que momento eu sei que fui além do limite na expansão consciencial? Quando eu me achar melhor que o outro. Mais importante que o outro, com mais direitos que o outro. Enfim, no exercício da arrogância. Neste momento, eu estarei expandindo minha personalidade além dos limites da humildade e do bom senso, querendo ser o que eu não sou e querendo ser mais do que eu sou. É neste momento que a depressão tem início. Não é quando o doente está manifestando a retração consciencial através da tristeza ou da falta de vontade de viver. Não. Isso é consequência. A causa já aconteceu. Ela começou na inadequada expansão do ego, esticando a personalidade além dos limites. E, na mesma proporção de descontrole da arrogância, será também o impulso de contração. Nasce aqui a depressão.

Então, quer dizer que toda depressão começou na arrogância? Sim. Esta é a causa profunda da depressão. Uma inadequada contração da vontade, consequência de uma uma inadequada expansão do ego através da arrogância.
Mas eu conheço pessoas que, desde o nascimento, nunca se mostraram arrogantes e mesmo assim são depressivas. Como explicar isso? Ocorre que a onda, além de altura e depressão também tem amplitude. Existem ciclos minúsculos, pequenos, médios, grandes, enormes e gigantescos. Muitas vezes, o movimento inicial começou numa vida passada, mas naquele momento ainda predominava o pulso de expansão. Somente agora, nesta vida, depois de cessado o movimento de subida e iniciado o movimento de descida é que a consciência ultrapassou os limites para baixo. Ou seja, o movimento da onda começou numa vida e vai terminar em outra.

Portanto, é preciso evitar a depressão, mantendo-se nos limites da humildade e do bom senso. Uma vez disparados os inadequados impulsos somente o tempo, após o esgotamento do impulso contrário, vai resolver a questão. Os remédios, os passes, as orações ajudam e muito, mas enquanto o movimento de descida, o da contração, não se esgotar o sofrimento não encontrará o seu fim, pois conforme disse Jesus: "Todo aquele que se exaltar, será rebaixado".

Estes ensinamentos não são meus. Eu os colhi nas obras do nosso querido "Gilson Freire". Principalmente na obra: "Ícaro Redimido" capítulo 6,14 , 20, 21, 22 e 23.

Muita paz à todos.

 

Exibições: 2043

Comentar

Você precisa ser um membro de RAE para adicionar comentários!

Entrar em RAE

Comentário de Marco Túlio Ferreira Silva em 29 janeiro 2016 às 7:22

Obrigado Goliveira, pelos seus comentários e atenção.

Comentário de Goliveira Goncalves em 29 janeiro 2016 às 5:23

Interessante  o seu post, Marco. Talvez a expressão "segure a onda, você vai ter que ser forte" venha desses conceitos colocados por você. Ocorre que,normalmente, utilizamos essa expressão só em ocasiões desagradáveis. Pois, se uma pessoa obtém sucesso com um empreendimento muito aguardado não interpretará bem a frase: "segure a onda",... Pensando em nós mesmos, podemos e devemos frear o entusiasmo excessivo que pode nos fazer acreditar em uma falsa superioridade .Prevenindo, assim, o processo depressivo.

Marco, tive uma experiência com depressão em certo período da minha vida, acho que durou por 1 semana. A partir do momento que saí do meu foco, notei que a saúde começava a ser restabelecida. 

Abração!

Comentário de Marco Túlio Ferreira Silva em 28 janeiro 2016 às 7:54

Para quem estiver interessado em entender melhor estes conceitos sugiro que assista este vídeo, o qual contém uma explicação mais ampla do assunto aqui abordado.

APLICATIVO RAETV

Nosso aplicativo para download gratuito no Google Play

ASSOCIE-SE E COLABORE

Artigos Espíritas

Por que apenas em setembro?

Por que apenas em setembro? 

 

O tema suicídio sempre me chamou atenção, tanto que, no ano de 2011, junto com dois amigos…

Espíritos de pessoas vivas: uma história de reconciliação.

Espíritos de pessoas vivas: uma história de reconciliação.

 

Wellington Balbo – Salvador BA

 

Um tempo atrás, quando saía do centro espírita, um senhor me abordou para narrar curioso fato.

Aspas pra…

Por que ideias não espíritas são ensinadas nos centros espíritas?

Pode ser que ao ler o título deste texto você imagine que se trata de uma espécie de censura ou proibição a alguma ideia veiculada no centro espírita. Por isso, faço o convite para que prossiga na leitura, pois, adianto, não se trata de censura ou proibição de qualquer…

Ridículo silêncio

                                                             RIDÍCULO SILÊNCIO

Há muitas espécies de provação para a dignidade pessoal e numerosos gêneros de defesa.
Há feridas que atingem a honorabilidade de família, golpes que vibram sobre a realização individual, calúnias que envolvem o nome, acusações gratuitas, comentários desairosos à…

É sempre tempo de receber visitas (por Jane Maiolo)

É sempre tempo de receber visitas

Por Jane Maiolo

Pois, se nem ainda podeis as coisas mínimas, por que estais ansiosos pelas outras?” (1) Lucas 12:26

 …

Últimas atividades

os pae curtiu a postagem no blog Implicações da culpa (Jorge Hessen) de os pae
3 horas atrás
os pae compartilhou o post do blog deles em Facebook
3 horas atrás
Jacimara Vieira dos Santos curtiram a discussão Espíritos de pessoas vivas: uma história de reconciliação. de Wellington Balbo
6 horas atrás
Jacimara Vieira dos Santos curtiu a postagem no blog O MAU HUMOR MATINAL de ANA MARIA TEODORO MASSUCI
6 horas atrás
Ori Pombal Franco curtiram o evento “O Talento Perdido!”, com Rafael Brocco de Carlos Pretti - SCEE
10 horas atrás
Carlos Pretti - SCEE curtiram o evento “O Talento Perdido!”, com Rafael Brocco de Carlos Pretti - SCEE
10 horas atrás
Posts no blog por Nilton Cardoso Moreira

ENCONTRAMOS EXPLICAÇÕES

           É comum para todos os eventos que acontecem em nossa vida querermos achar explicações. É da natureza humana o ato investigativo, pois que todos nós temos anseios de querer saber o motivo pelo qual determinado fato aconteceu, mesmo que o evento tenha sido com outra pessoa.           Existem situações na vida que embora procuremos esclarecimentos a respeito, não…Ver mais...
17 horas atrás
os pae curtiu a postagem no blog Implicações da culpa (Jorge Hessen) de os pae
ontem
Posts no blog por PATRIZIA GARDONA

Postura Altamente Humanitária – Orson Peter Carrara

Toda cidade tem seu vulto histórico de destaque ou vários, a depender de sua história e origens no tempo. É comum que todos recordemos fatos da infância ou ainda que não tenhamos tido contato direto, até por questão cronológica, mas tenhamos conhecimento das ações e legado deixado por esses homens e mulheres que marcaram época, projetando suas ações no futuro.Vim de…Ver mais...
ontem
O evento de Carlos Pretti - SCEE foi destacado
Miniatura

“O Talento Perdido!”, com Rafael Brocco em Sociedade Colatinense de Estudos Espíritas

22 setembro 2019 de 9 a 10:15
“O Talento Perdido!”, este será o tema da palestra do fotógrafo, pesquisador e orador espírita Rafael Brocco, de Colatina-ES, no próximo domingo 22 de setembro de 2019, de 09 às 10h. da manhã, na Sociedade Colatinense de Estudos Espíritas. Rafael é um jovem talento da oratória espírita aqui de Colatina. Ele é evangelizador de juventude, estudante e trabalhador na área da…Ver mais...
ontem
Carlos Pretti - SCEE postou um evento
Miniatura

“O Talento Perdido!”, com Rafael Brocco em Sociedade Colatinense de Estudos Espíritas

22 setembro 2019 de 9 a 10:15
“O Talento Perdido!”, este será o tema da palestra do fotógrafo, pesquisador e orador espírita Rafael Brocco, de Colatina-ES, no próximo domingo 22 de setembro de 2019, de 09 às 10h. da manhã, na Sociedade Colatinense de Estudos Espíritas. Rafael é um jovem talento da oratória espírita aqui de Colatina. Ele é evangelizador de juventude, estudante e trabalhador na área da…Ver mais...
ontem
Posts no blog por os pae

Implicações da culpa (Jorge Hessen)

Jorge Hessenjorgehessen@gmail.comBrasília-DFMuitas crianças são induzidas a agir de forma sempre “correta”, conforme o padrão do seu meio ambiente, dos valores éticos, das pressões existentes. Quando a criança é obrigada a fazer as coisas dessa ou daquela maneira, todas as vezes que faz de forma diferente desenvolve a culpa. A…Ver mais...
ontem
Amauri A. L. Silva curtiu a postagem no blog Procura-se urgentemente quem ouça. E ouça com atenção! de PATRIZIA GARDONA
ontem
Amauri A. L. Silva curtiu a postagem no blog Dolorosa advertência de ANA MARIA TEODORO MASSUCI
ontem
Amauri A. L. Silva curtiu a postagem no blog O MAU HUMOR MATINAL de ANA MARIA TEODORO MASSUCI
ontem
Joao Iudes Nodari curtiram a discussão O Homem que fizer estas coisas viverás por elas - Estudo (67) Cartas de Paulo de Feeak Minas
quinta-feira
Carlos Pretti - SCEE curtiram o perfil de luciane Duarte de souza
quarta-feira
Carlos Pretti - SCEE curtiram o perfil de André M
quarta-feira
Carlos Pretti - SCEE curtiram o perfil de Alberto Neto
quarta-feira
Carlos Pretti - SCEE curtiram o perfil de André Psicologo
quarta-feira

Regras de uso e de publicação

 

 

© 2019   Criado por Amigo Espírita.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço