Jeito de Falar – Orson Peter Carrara

O escritor Rubem Alves (www.rubemalves.com.br) publicou no Correio Popular, de Campinas, caderno C, página C-2, de 18 de julho de 2004, uma bela crônica intitulada O que é que você faria? Considerei-a muito oportuna. Embora longa (quase uma página), destaco ao leitor o teor principal. Ele traz uma estória no artigo e usa um exemplo médico, desculpando-se pela comparação, para citar como é importante a maneira de dizer as coisas ou se quisermos, como dizemos e a quem. Pois esta maneira pode destruir vidas e sonhos.


A história citada pelo escritor comenta o relacionamento de um casal que muito se ama. Ela desenvolveu um câncer no seio e teve que extraí-lo, mas isso não abalou o relacionamento do casal, apesar das dores e aflições. Em cinco anos, o outro seio também foi afetado, mas o bom e amigo médico que antes a atendera já havia morrido.

Procuraram outro médico, mas este, completamente insensível às dores do casal e especialmente da mulher, ao vê-la sem um seio, já exclamou friamente: “Mas a senhora já não tem um seio… Seu caso é muito mais grave do que eu imaginava”.

E o escritor, comentando a própria estória, colocou em seu texto: “Fico a me perguntar. Por que é que ele falou o que falou? Não falou para informar mulher e marido de uma coisa que não soubessem. Eles sabiam que ela não tinha um seio. Também não falou para certificar-se de algo que estava vendo, mas não via bem, por ser ruim dos olhos, pois ele enxergava muito bem. E qual a razão do seu frio, imediato e cruel diagnóstico. Para que falou isso? Era necessário? Não, não era necessário. Seu diagnóstico em nada contribuiu para o tratamento daquela mulher. Ou será que ele falou assim por inocência? Não imaginava o veneno que suas palavras carregavam? Não imaginava o efeito de suas palavras sobre aquela mulher despida, sem um seio, humilhada, amedrontada. Se falou por inocência digo que o dito médico só pode ser um idiota que nada conhece sobre os seres humanos.”
E continua: “Crueldade não é algo que somente existe nas câmaras de tortura. Ela se faz também com palavras. Há palavras cruéis que apagam a tênue chama da esperança. (…)” E pergunta em seguida: “(…) qual é o lugar, nos currículos de medicina, onde tanta coisa complicada se ensina, para uma meditação sobre a compaixão? É na compaixão que a ética se inicia e não nos livros de ética médica. Ah! Dirão os responsáveis pelos currículos – compaixão não é coisa científica. Não entra na descrição dos casos clínicos. Não pode ser comunicada em congressos. Portanto, não tem dignidade acadêmica. Certo. Mas acontece que não somos automóveis a serem consertados por mecânicos competentes. Somos seres humanos. Amamos a vida, queremos viver. Sofremos de dores físicas e de dores da alma: o medo, a solidão, a impotência, a morte. O que esse médico fez não tem conserto. Uma vez feito a ferida sangra. Palavras não podem ser recolhidas. O sofrimento foi plantado.(…)”
E como indagou o autor em seu texto, deixo a pergunta para nós mesmos: o que é que faríamos na mesma situação? Claro que não especificamente como médico, pois o exemplo se aplica a qualquer outra ocorrência de relacionamentos humanos.

A situação traz à lembrança o capítulo X de O Evangelho Segundo o Espiritismo, intitulado Bem-aventurados os misericordiosos. No subtítulo O argueiro e a trave no olho, em lúcido texto, pondera o Codificador: “Um dos defeitos da Humanidade é ver o mal de outrem antes de ver o que está em nós. (…) Que pensaria eu se viesse alguém fazendo o que faço? Incontestavelmente é o orgulho que leva o homem a se dissimular os próprios defeitos, tanto ao moral como ao físico. Esse defeito é essencialmente contrário à caridade, porque a verdadeira caridade é modesta, simples e indulgente (…). Se o orgulho é o pai de muitos vícios, é também a negação de muitas virtudes; encontramo-lo no fundo e como móvel de quase todas as ações (…)”.

Nessa última palavra, podemos enquadrar as situações do exemplo acima, na questão médica e que pode ser transferida para qualquer outra situação, onde nos permitimos desprezar, discriminar, maltratar com palavras ou acentuar o sofrimento de alguém com nossa maneira de dizer…

Afinal, nada justifica a crueldade, ainda que em palavras.

Exibições: 320

Comentar

Você precisa ser um membro de RAE para adicionar comentários!

Entrar em RAE

APLICATIVO RAETV

Nosso aplicativo para download gratuito no Google Play

ASSOCIE-SE E COLABORE

Artigos Espíritas

Chico Xavier - O servidor

Compartilhamos com os amigos da RAE este belo artigo.

Sds



Atribuem a Mark Twain a citação da seguinte frase: “Não gosto de elogios.
Nunca acho que falaram o…

O custo do abandono emocional (Jane Maiolo)

O custo do abandono emocional 

 

  

 

“Por isso não desfalecemos; mas, ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia”.…

Hipocrisia gourmet: os riscos de uma seita chamada Espiritismo.

Hipocrisia gourmet: os riscos de uma seita chamada Espiritismo.

 

 

E ele, respondendo, disse-lhes: Bem profetizou Isaías acerca de vós, hipócritas, como está escrito:Este povo honra-me com os lábios,Mas o seu coração está longe de mim;…

Pedagogia do silêncio ou talking cure?

Pedagogia do silêncio ou talking cure? 

 

 

 

E ele lhes disse: Que palavras são essas que, caminhando, trocais entre…

Vaidade ou inveja? (Por Vladimir Alexei)

Vaidade ou inveja?

Vladimir Alexei

Belo Horizonte das Minas Gerais,

15 de fevereiro de…

Últimas atividades

Gilberto Gonzaga Pereira curtiu o vídeo de Amigo Espírita
19 minutos atrás
Ícone do perfil via Twitter
De portas abertas - Leidson Adelino assista no youtube https://t.co/4YvaWL9PZI https://t.co/kZmDnVihXO
Twitter10 horas atrás · Responder · Retweet
Ícone do perfil via Twitter
De portas abertas - Leidson Adelino assista no youtube https://t.co/4YvaWL9PZI https://t.co/NCJVA60VGC
Twitter10 horas atrás · Responder · Retweet
Ícone do perfil via Twitter
Parábola dos trabalhadores da Vinha - Rafael Papa assista no youtube https://t.co/uHqrcWAYTy https://t.co/8EjEYG5HA9
Twitter10 horas atrás · Responder · Retweet
Ícone do perfil via Twitter
Deixa a sua capa - Roracy Correa assista pelo youtube https://t.co/rc0TbIg3RM https://t.co/v4VI9Vzp01
Twitter10 horas atrás · Responder · Retweet
Ícone do perfil via Twitter
Saudações e conselhos - (119) Cartas de Paulo - Carlos Alberto Braga assista pelo youtube https://t.co/XfPpA1WmzT https://t.co/RaONVK4A0U
Twitter11 horas atrás · Responder · Retweet
Virgilio Augusto Esteves curtiu o vídeo de Carlos Pretti - SCEE
12 horas atrás
Virgilio Augusto Esteves curtiu o vídeo de Carlos Pretti - SCEE
12 horas atrás
Virgilio Augusto Esteves curtiu o vídeo de Carlos Pretti - SCEE
12 horas atrás
Virgilio Augusto Esteves curtiu o vídeo de Carlos Pretti - SCEE
12 horas atrás
Ícone do perfil via Twitter
“Nada muda se Você não muda!”, com Cel. José Carlos Fiorido assista pelo youtube https://t.co/KGTzyhOY1m https://t.co/p7PUt6hrzw
Twitter12 horas atrás · Responder · Retweet
Ícone do perfil via Twitter
“Nada muda se Você não muda!”, com Cel. José Carlos Fiorido assista pelo youtube https://t.co/KGTzyhOY1m https://t.co/X60H8vmVlS
Twitter12 horas atrás · Responder · Retweet
Ícone do perfil via Twitter
Parábola do Grão de Mostarda Rafael Papa assista pelo youtube https://t.co/P5YsXObYgh https://t.co/ZXgyg7og9Z
Twitter13 horas atrás · Responder · Retweet
Ícone do perfil via Twitter
Parábola do Grão de Mostarda Rafael Papa assista pelo youtube https://t.co/P5YsXObYgh https://t.co/fQaTPTpG01
Twitter13 horas atrás · Responder · Retweet
Ícone do perfil via Twitter
Parábola do Grão de Mostarda Rafael Papa assista pelo youtube https://t.co/P5YsXObYgh https://t.co/mcA4rFZMdT
Twitter13 horas atrás · Responder · Retweet
Nadia Rosangela e Gilvan Gomes da Silva agora são amigos
13 horas atrás
Ícone do perfil via Twitter
"A fraternidade no diálogo espiritual" : https://t.co/ucep36wIoG
Twitter14 horas atrás · Responder · Retweet
Posts no blog por Antonio Cesar Perri de Carvalho

A fraternidade no diálogo espiritual

A fraternidade no diálogo espiritual Antonio Cesar Perri de CarvalhoO Grupo Espírita Casa do Caminho, de São Paulo, tem promovido estudos continuados em que o seminário “papel dos esclarecedores nos grupos mediúnicos” tem sido repetido e aprofundado. Trata-se de tema que deve merecer muita atenção nesses grupos dos centros espíritas.O tema nos remete, de início, a Chico…Ver mais...
14 horas atrás
Ícone do perfilAline Z. Gomes, Vinícius dos Santos Costa, Angelita Elaine Ribeiro Alves e mais 6 pessoas entraram em RAE
16 horas atrás
daniele santos curtiram o evento Transição Planetária de Maurício de Araújo Zomignani
21 horas atrás

Regras de uso e de publicação

 

 

Badge

Carregando...

© 2019   Criado por Amigo Espírita.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço