Nenhum texto alternativo automático disponível.

“Atrás do trio elétrico também vai quem já “morreu”...”.


Poucos sabem que a palavra Carnaval é, na verdade, uma abreviatura da frase: a carne nada vale. Em contrapartida, grande parte dos brasileiros acredita que participar das festividades carnavalescas em nada atrapalha sua organização psico-físico-espiritual. Algo como mudar totalmente o padrão vibracional, adentrando por quatro dias e cinco noites num maremoto energético de baixo teor e dizer que isso não desarmoniza ninguém, ao contrário, “desestressa”. Será mesmo só esse o resultado do envolvimento em tal festividade? Desestressamento?

Estudiosos da psicologia realizaram um trabalho de pesquisa interessante sobre o tema, trazendo-nos alguns dados que já nos suscitam importantes reflexões. Vou transcrever parte da matéria que saiu no Jornal Correio Brasiliense, onde constam tais informações: “(...) de cada dez casais que caem juntos na folia, sete terminam a noite brigados (cenas de ciúme, intrigas, etc.); desses mesmos dez casais, posteriormente, três se transformam em adultério; de cada dez pessoas (homens e mulheres) no carnaval, pelo menos sete se submetem a coisas que abominam no seu dia-a-dia, como o álcool e outras drogas (...). Concluíram que tudo isto decorre do êxtase atingido na grande festa, quando o símbolo da liberdade, da igualdade, mas também da orgia e da depravação, estimulado pelo álcool leva as pessoas a se comportarem fora de seus padrões normais (...)”.

A maioria dos foliões da atualidade segue os carros alegóricos sem nenhuma noção do que lhes envolve naqueles momentos. Sequer suspeitam onde ou porque surgiu tal ‘festividade’. Estão ali simplesmente para permitirem o enlouquecimento momentâneo, sem pensar em mais nada a não ser no prazer dos sentidos. Porém, os resultados são evidentes, como pudemos contatar nesta matéria alusiva sobre o tema.
Quanto às suas origens, podemos dizer que as tataravós do carnaval são a bacanália, da Grécia - quando era homenageado o deus Dionísio - e a saturnália – festa romana onde se imolava uma vítima humana, previamente escolhida. Depois, já na Idade Média, aceitava-se a tese de que “uma vez por ano é lícito enlouquecer”, o que tomou corpo, modernamente, no carnaval de nossos dias.

Claro que muitos dançam e se sacodem freneticamente entre sorrisos largos, sem nenhuma intenção menos digna: desejam somente a “alegria”. Porém, mesmo que a intenção seja apenas a de ficar contente, será que o discípulo de Momo no meio de tantos desvarios em nada se prejudica? 

Tudo seria tranqüilo se junto de tais pessoas estivessem tantas outras numa mesma sintonia, munidos da mesma vontade de confraternização, sorrisos e danças conjuntas; sem maldade, sem deixarem seus instintos reptilianos tão aflorados.

Porém, a realidade não é essa. As conclusões apresentadas pelos psicólogos brasilienses já nos dão certa base para um pensar mais aclarado sobre o assunto. Soma-se a tais dados outra importantíssima informação que ainda não é levada em conta tanto pelos profissionais comuns da psique quanto pelos amantes carnavalescos: no período que compreende a sexta-feira de carnaval até o amanhecer da quarta-feira de cinzas, verdadeiras falanges das esferas inferiores invadem a crosta terrestre – atraídas pelo padrão reinante - acompanhando bem de perto tais foliões, incitando-os aos extremos, dando início a sérias obsessões que por vezes se arrastam sobremaneira, trazendo inúmeros prejuízos a tais pessoas. 

No livro “Nas fronteiras da loucura” do espírito Manoel Philomeno de Miranda, psicografia de Divaldo Pereira Franco, o venerando espírito, em suas ponderações, conclui que isso acontece tanto com aqueles que se afinizam com os seres perturbadores adotando comportamento vicioso, quanto com criaturas cujas atitudes as identificam como pessoas respeitáveis, embora sujeitas às tentações que os prazeres mundanos representam, por também acreditarem que seja lícito enlouquecer uma vez por ano. O processo obsessivo ocorre ainda durante o sono, quando em estado de desdobramento (momento em que o corpo descansa e o espírito sai em suas excursões) o folião visita as zonas de baixo teor vibracional, já em contato direto com tais entidades. 

Conhecedores de tais realidades os responsáveis pela revista Visão Espírita fizeram pequeno trocadilho com a famosa frase composta por Caetano Veloso, no seu frevo carnavalesco que diz que “atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu”. Os divulgadores do espiritismo refizeram o ditado. Escreveram que, na verdade, “atrás do trio elétrico também vai quem já “morreu!”...”. Realmente! Só faltou acrescentar: “(...) e eles são em grande número”.

Claudia Gelernter
Revista Visão Espírita, março de 2000

Exibições: 2228

Comentar

Você precisa ser um membro de REDE AMIGO ESPÍRITA para adicionar comentários!

Entrar em REDE AMIGO ESPÍRITA

Comentário de DANIELE ALMEIDA MOLINA HERRERA R em 18 janeiro 2018 às 12:33

Excelente texto.

Façamos sempre o paralelo de que: Não se pode servir a Deus e Mámon ao mesmo tempo (Deus Sírio representante das riquezas, mas que também podemos entender como representação de materialismo/vícios que nos levam à queda).

OU ainda: Se devemos exaurir nossas energias e carregar tantas outras maléficas por 4 dias de uma festa, de caráter ancestral, que nada reflete a atualidade em questão de programas de saúde pública (relacionadas a mortes no trânsito, criminalidade, gravidez indesejadas e disseminação de DST's) e contas públicas (gastos que alimentam o crime organizado e alimentam a corrupção).

Quer do enfoque espiritual, quer do do material, a celebração carnavalesca sempre o ocupa o lado da balança que representa o prejuízo.

Lembremos sempre da resposta à  questão 909, do Livro do Espírito, no sentido de que o homem poderia vencer, por seus próprios esforços, suas más inclinações, FAZENDO ESFORÇOS MUITO INSIGNIFICANTES, CONTUDO, O QUE LHE FALTA É VONTADE.  

ASSOCIE-SE E COLABORE

Últimas atividades

Ícone do perfil via Twitter
"Somos espíritos imortais!" : https://t.co/91u38oFJZU
Twitter1 hora atrás · Responder · Retweet
Posts no blog por ANA MARIA TEODORO MASSUCI
1 hora atrás
Ori Pombal Franco curtiu a postagem no blog Natureza e Beleza pelo olhar de Léon Denis de Amigo Espírita
4 horas atrás
joão batista pereira de oliveira compartilhou o vídeo de Feeak Minas em Facebook
5 horas atrás
Ícone do perfil via Twitter
Comecei uma transmissão ao vivo em @YouTube: https://t.co/P6JXYNKhyV
Twitter7 horas atrás · Responder · Retweet
Jorge Luiz de Souza curtiu a postagem no blog Natureza e Beleza pelo olhar de Léon Denis de Amigo Espírita
7 horas atrás
Jorge Luiz de Souza curtiu a postagem no blog Natureza e Beleza pelo olhar de Léon Denis de Amigo Espírita
7 horas atrás
Jorge Luiz de Souza curtiu a postagem no blog Natureza e Beleza pelo olhar de Léon Denis de Amigo Espírita
7 horas atrás
Ícone do perfil via Twitter
Comecei uma transmissão ao vivo em @YouTube: https://t.co/Pfjz9313K3
Twitter8 horas atrás · Responder · Retweet
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA respondeu à discussão Planejamento Reencarnatório de Antonio Carlos Navarro
8 horas atrás
Ícone do perfil via Twitter
"Que nos importa? Isso é contigo" : https://t.co/32N5wEG5gZ
Twitter10 horas atrás · Responder · Retweet
Amigo Espírita adicionou uma discussão ao grupo Artigos Espíritas
10 horas atrás
Ícone do perfil via Twitter
"Natureza e Beleza pelo olhar de Léon Denis" : https://t.co/1DGhHxlyRq
Twitter10 horas atrás · Responder · Retweet
Posts no blog por Amigo Espírita
10 horas atrás
luis conforti junior respondeu à discussão Planejamento Reencarnatório de Antonio Carlos Navarro
11 horas atrás
Celina Sobral postou vídeos
11 horas atrás
Feeak Minas postou vídeos
11 horas atrás
ANA MARIA TEODORO MASSUCI postou um vídeo
11 horas atrás
Thiago Sales postou um vídeo

Apresentando nossa humilde instituição

Fala galera ! Hoje estarei apresentando para vocês nossa humilde instituição. Apesar do vídeo ter ficado um pouco longo, garanto a vocês que não ficou ruim r...
11 horas atrás
Carlos Pretti - SCEE postou um vídeo

“A Psicologia do Amor”, com Natan Rocha

“A Psicologia do Amor”, este foi o tema da palestra do pesquisador e orador Natan José da Silva Rocha de Teixeira de Freitas-BA. No domingo 15 de julho de 2018, de 09 as 10 da manhã, na Sociedade Colatinense de Estudos Espíritas. Natan Rocha é…
11 horas atrás

Regras de uso e de publicação

 

 

© 2018   Criado por Amigo Espírita.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço