TENHA PACIÊNCIA, MEU FILHO! (Mãe do Chico Xavier)

Quando Dona Maria João de Deus desencarnou, em 29 de setembro de 1915, Chico Xavier, um de seus nove filhos, foi entregue aos cuidados de Dona Rita de Cássia, velha amiga e madrinha da criança.

Dona Rita, porém, era obsidiada e, por qualquer bagatela, se destemperava, irritadiça.

Assim é que o Chico passou a suportar, por dia, várias surras de varas de marmeleiro, recebendo, ainda, a penetração de pontas de garfos no ventre, porque a neurastênica e perversa senhora inventara esse estranho processo de torturar.

O garoto chorava muito, permanecendo horas e horas, com os garfos dependurados na carne sanguinolenta e corria para o quintal, a fim de desabafar e, porque a madrinha repetia, nervosa:

-Este menino tem o diabo no corpo.

Um dia, lembrou-se a criança de que a Mãezinha orava sempre, todos os dias, ensinando­-o a elevar o pensamento a Jesus e sentiu falta da prece que não encontrava em seu novo lar.

Ajoelhou­-se sob velhas bananeiras e pronunciou as palavras do Pai Nosso que aprendera dos lábios maternais.

Quando terminou, oh! Maravilha! Sua progenitora, Dona Maria João de Deus, estava perfeitamente viva ao seu lado.

Chico, que ainda não lidara com as negações e dúvidas dos homens, nem por um instante pensou que a Mãezinha tivesse partido para as sombras da morte.

Abraçou-a, feliz, e gritou:
-Mamãe, não me deixe aqui... Carregue­-me com a senhora...

— Não posso, — disse a entidade, triste.

- Estou apanhando muito, mamãe!

Dona Maria acariciou­-o e explicou:

- Tenha paciência, meu filho. Você precisa crescer mais forte para o trabalho. E quem não sofre não aprende a lutar.

-Mas, — tornou a criança — minha madrinha diz que eu estou com o diabo no corpo.

- Que tem isso? Não se incomode. Tudo passa e se você não mais reclamar, se você tiver paciência, Jesus ajudará para que estejamos sempre juntos.

Em seguida, desapareceu.

O pequeno, aflito, chamou­-a em vão.

Desde esse dia, no entanto, passou a receber o contato de varas e garfos sem revolta e sem lágrimas.

- Chico é tão cínico — dizia Dona Rita, exasperada, — que não chora, nem mesmo a pescoção.

Porque a criança explicava ter a alegria de ver sua mãe, sempre que recebia as surras, sem chorar, o pessoal doméstico passou a dizer que ele era um “menino aluado”.

E, diariamente, à tarde, com os vergões na pele e com o sangue a correr­-lhe em pequeninos filetes do ventre o pequeno seguia, de olhos enxutos e brilhantes, para o quintal, a fim de reencontrar a mãezinha querida, sob as velhas árvores, vendo­-a e ouvindo­-a, depois da oração.

Assim começou a luta espiritual do médium extraordinário que conhecemos.

Lindos Casos de Chico Xavier
Ramiro Gama

Exibições: 378

Comentar

Você precisa ser um membro de RAE para adicionar comentários!

Entrar em RAE

Comentário de luis carlos souza silva junior em 3 fevereiro 2019 às 4:51
Amém!

APLICATIVO RAETV

Nosso aplicativo para download gratuito no Google Play

ASSOCIE-SE E COLABORE

Artigos Espíritas

Por que nos sentimos mal em determinados ambientes?

Por que nos sentimos mal em determinados ambientes?

 

Wellington Balbo – Salvador BA

 

Você já esteve em ambientes em que se sentiu mal, constrangido, pouco à…

Por que estudar O livro dos médiuns? por Simoni Privato Goidanich

Por que estudar O livro dos médiuns?

Simoni Privato Goidanich

Artigo publicado na Revista A senda (nov-dez 2019), da Federação Espírita do Estado do…

Kardec sofre...

Kardec sofre...

 

Wellington Balbo – Salvador BA

 

Não tenho dúvidas que Allan Kardec sofre ao verificar como as coisas andam no seio do movimento espírita atual com brigas, discussões…

Aprendemos com o Espiritismo a ter relações mais leves.

Aprendemos com o Espiritismo a ter relações mais leves.

 

Marcelo Henrique – Florianópolis SC

Wellington Balbo – Salvador BA

 

O Espiritismo nos fornece uma visão bem legal da…

Ao orar por alguém eu atraio seus obsessores?

Ao orar por alguém eu atraio seus obsessores?

 

Há, para uma boa parcela de gente, até para aqueles que conhecem um pouco mais os Espíritos e a sua natureza, uma espécie de medo do que eles – os Espíritos – podem fazer…

Últimas atividades

André Goes respondeu à discussão Kardec sofre... de Wellington Balbo no grupo Artigos Espíritas
"Faço das palavras de Allan Kardec as minhas palavras. Se temos o mesmo mestre e as mesmas diretrizes, por qual ou quais razões não nos entendemos? R= Porque continuam fazendo tudo diferente do que jesus fez. O primeiro erro foi…"
26 minutos atrás
André Goes respondeu à discussão Por que nos sentimos mal em determinados ambientes? de Wellington Balbo no grupo Artigos Espíritas
"Há muitas variáveis que estão fora deste contexto. Nem tudo é questão espiritual, mas sim da própria natureza. Você já esteve em ambientes em que se sentiu mal, constrangido, pouco à…"
47 minutos atrás
Ícone do perfilAndré Goes e Alexandre Guilherme Martins Soar entraram no grupo de Amigo Espírita
Miniatura

Artigos Espíritas

Grupo destinado a divulgação de ARTIGOS da DOUTRINA ESPÍRITA através dos nossos articulistas. Não são aceitas postagens de trechos de livros e outros textos.."Material postado nessa pagina tem autorização de seus autores para publicação na REDE AMIGO ESPÍRITA, a reprodução total ou parcial dos dados aqui publicados em outros veículos de mídia podem ser interpretados como violação de direitos autorais, e seus autores agirem conforme informa a lei"Ver mais...
47 minutos atrás
José Leonil Marques da Silva curtiram a discussão Chico Xavier - O servidor de Feeak Minas
47 minutos atrás
Josué Mattos curtiram a discussão Por que nos sentimos mal em determinados ambientes? de Wellington Balbo
1 hora atrás
FLAVIO LUIZ FONSECA curtiram a discussão Por que nos sentimos mal em determinados ambientes? de Wellington Balbo
1 hora atrás
Cláudia de Jesus curtiram a discussão Por que nos sentimos mal em determinados ambientes? de Wellington Balbo
2 horas atrás
Cláudia de Jesus curtiram a discussão Por que nos sentimos mal em determinados ambientes? de Wellington Balbo
2 horas atrás
Aline Grasiele Rosa curtiram a discussão Por que nos sentimos mal em determinados ambientes? de Wellington Balbo
2 horas atrás
Aline Grasiele Rosa curtiram a discussão Por que nos sentimos mal em determinados ambientes? de Wellington Balbo
2 horas atrás
Alexandre Guilherme Martins Soar comentou o grupo Artigos Espíritas de Amigo Espírita
"Muito bom essa explanação que trata o porque que não nos sentimos de forma confortável com pessoas e em algum lugares que passamos, estamos e etc...! Se não for espíritos simpáticos a nos, podem ser…"
2 horas atrás
Conceição Valadares curtiram o evento “Força Espiritual”, com Eliomar Borgo Cypriano de Carlos Pretti - SCEE
3 horas atrás
ARI DE SOUSA LIMA curtiram a discussão Por que nos sentimos mal em determinados ambientes? de Wellington Balbo
3 horas atrás
Conceição Valadares respondeu à discussão Por que nos sentimos mal em determinados ambientes? de Wellington Balbo no grupo Artigos Espíritas
"Muito obrigada pelo belíssimo texto"
3 horas atrás
Conceição Valadares curtiram a discussão Por que nos sentimos mal em determinados ambientes? de Wellington Balbo
3 horas atrás
MILTON JOSE DE OLIVEIRA curtiram a discussão Por que nos sentimos mal em determinados ambientes? de Wellington Balbo
3 horas atrás
Jessica Costa curtiram a discussão Por que nos sentimos mal em determinados ambientes? de Wellington Balbo
3 horas atrás
Andréa Wernke Schumacher curtiram a discussão Por que nos sentimos mal em determinados ambientes? de Wellington Balbo
3 horas atrás
Valéria Augusta Sobrinho curtiram o perfil de Amigo Espírita
4 horas atrás
Valéria Augusta Sobrinho curtiram a discussão Por que nos sentimos mal em determinados ambientes? de Wellington Balbo
4 horas atrás

Regras de uso e de publicação

 

 

© 2019   Criado por Amigo Espírita.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço