Uma Medicina que caminha lado a lado com o Espiritismo

 “Muitos verão médicos desenvolver-se em si faculdades intuitivas, que lhes serão um precioso auxílio na prática”, afirmava o codificador Allan Kardec na Revista Espírita, de outubro, 1867. Assim, ele previa, ainda no Século XIX, que muitos médicos poderiam ser médiuns, quando entrassem na via da espiritualidade.

Ao mesmo tempo, porém, advertia que “a medicina é uma das carreiras sociais que se abraça para dela se fazer uma profissão, e a ciência médica só se adquire a título oneroso, por um trabalho assíduo, por vezes penoso”.

O codificador procurava assim separar devidamente as duas situações, salientando inclusive que “a mediunidade curadora não matará a medicina nem os médicos, mas não pode deixar de modificar profundamente a ciência médica”, sendo necessário que ambas – ciência e mediunidade –  prestem-se mútuo apoio.

Mas esse processo não é tão fácil. Exige adoção de uma nova visão pelos cientistas. Atraídos por enigmas fascinantes, via de regra, buscam respostas para a origem do universo e da vida, a evolução das espécies, o funcionamento do corpo humano e sua preservação. Com a medicina não foi diferente, sendo inegável o acentuado progresso tecnológico. Mas o que deveria ser utilizado apenas como instrumento, muitas vezes impede que profissionais de saúde vejam o homem como um ser integral e não apenas como uma doença.

A própria Organização Mundial de Saúde define saúde como um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não consistindo somente da ausência de uma doença ou enfermidade”. É um avanço, mas ainda falta o aspecto espiritual, o que vem sendo pleiteado por várias entidades de saúde e espiritualidade.

No Brasil, principalmente, o movimento dos médicos espíritas vem ganhando cada vez mais espaço nas mídias, e a espiritualidade no tratamento dos pacientes tem despertado profissionais para a retomada de uma medicina mais abrangente e humanizada. Para isso, o empenho na divulgação das temáticas espíritas tem se transformado em importantes congressos, descortinando um nova visão quantos aos cuidados com os pacientes, levando-se em consideração também a parte espiritual do homem para a compreensão e o alívio de seus tormentos.

Para o médico-cirurgião Décio Iandoli,  a medicina na atualidade realmente passa por mudança de paradigma. Os médicos estão mudando  a forma de ver as pessoas e, consequentemente, a maneira de abordá-las. Segundo ele, toda a tecnologia e as possibilidades de sua aplicação amealhadas nestes mais de 100 anos de medicina científica estão passando a ocupar seu real lugar como instrumentos, não como filosofia para o exercício da profissão.

Professor universitário, escritor e palestrante espírita, ele reconhece que estamos apenas começando, mas garante que o processo irreversível já foi deflagrado e acontecerá muito mais cedo do que podemos supor. “Estamos terminando um grande e importante capítulo do nosso desenvolvimento, o materialismo. Através deste paradigma descortinamos grande parte dos mistérios que nos rodeavam e, muitas vezes, nos assustavam, porém este se esgota.”

“Não se mostra capaz – continua -  de responder questões fundamentais como, por exemplo, o que é vida, o que é mente, como se explicam curas ‘milagrosas’ ou como surgem certas   doenças provocadas pelos nossos sentimentos em desalinho. Nosso próprio desenvolvimento nos trouxe a este lugar em que nos encontramos hoje. Estamos precisando de novas abordagens, de um novo olhar, um novo paradigma que nos permita seguir em frente. É a era do espírito que se inicia”.

Segundo ele, os conhecimentos espíritas são importantes para o profissional de saúde, porque, além da compreensão dos mecanismos mais profundos de geração das doenças e transtornos dos seres humanos, eles aperfeiçoam a relação médico-paciente, assim como faz com todas as relações humanas, reeditando o papel do médico, não mais como o curador, mas como o cuidador.

Para ele, com tanta tecnologia, a medicina precisa resgatar e aproveitar algo do passado, mas não num sentido de retroceder, mas de avançar. “Evoluímos em espiral, como se estivéssemos subindo uma grande escada caracol. Parece que andamos em círculos, mas a cada volta estamos um nível acima, percebendo melhor conceitos antigos ou renovando deliberações anteriores”.

Ele não vê riscos de se misturarem estações entre espiritismo e medicina. “A visão do todo esclarece, não confunde. Para entendermos as pessoas e seus mecanismos de saúde e doença precisamos compreender todas as facetas que as constituem, e o espiritismo tem muito a dizer sobre isso”. E observa que é possível realizar uma medicina espiritual sem crendices e superstições. “É justamente o que buscamos. Basta estabelecermos o conhecimento através da ciência e da experimentação, configurando aquilo que pode ser utilizado com eficácia e aquilo que é inútil ou prejudicial. O trabalho de Chico Xavier, notadamente a obra de André Luiz, é um grande roteiro que nos descortina importantes mecanismos do que temos chamado de fisiologia transdimensional e acusa as direções para as quais devemos apontar nossos estudos e pesquisas.

Iandoli observa que as faculdades de medicina encaram, hoje, a existência e a interferência do espírito com uma seriedade cada vez maior. “Cerca de  94% das escolas de medicina americanas já contam com a disciplina de medicina e espiritualidade nos seus currículos e, no Brasil, multiplicam-se grupos e ligas acadêmicas que se dedicam ao estudo deste tema. Para ele, a pesquisa é o maior desafio das Associações Médico-Espíritas. “Trazer à luz da comunidade científica aquilo que já sabemos pela revelação espírita, seja indo aos laboratórios, aos aparelhos de neuroimagem funcional ou à pesquisa biológica ou psicológica”.

Exibições: 1185

Comentar

Você precisa ser um membro de RAE para adicionar comentários!

Entrar em RAE

Comentário de Sandra em 6 julho 2014 às 18:13

Espetacular!

Comentário de elza Barbosa em 6 julho 2014 às 13:12

EXCELENTE.

Comentário de LUIS SANTOS em 6 julho 2014 às 10:54

MUITO BOM GOSTEI INTERESSANTE!!!!!

APLICATIVO RAETV

Nosso aplicativo para download gratuito no Google Play

COLABORE COM A RAE

PRÓXIMOS EVENTOS AO VIVO

Artigos Espíritas

HÁ AMOR NO QUE VOCÊ FAZ? - Nelson Xavier

HÁ AMOR NO QUE VOCÊ FAZ?

“Quanto mais eu escrevo, mais as palavras aparecem. Quanto mais eu vivo, mais a vida me esquece.

Quanto mais eu choro, mais as lágrimas descem. Quanto mais eu amo,…

Reflexões sobre as Leis Naturais.

Reflexões sobre as Leis Naturais.

 

Quando se inicia o estudo da Lei Divina ou Natural, que consta em O Livro dos Espíritos, percebe-se que Kardec, na elaboração das perguntas aos Espíritos, objetiva eliminar as contradições…

E quando o desequilíbrio da saúde mental destrói o futuro... (Artigo de Jane Maiolo)

E quando o desequilíbrio da saúde mental destrói o futuro...

 por Jane Maiolo

Por que estamos nós…

Por que nos sentimos mal em determinados ambientes?

Por que nos sentimos mal em determinados ambientes?

 

Wellington Balbo – Salvador BA

 

Você já esteve em ambientes em que se sentiu mal, constrangido, pouco à…

Por que estudar O livro dos médiuns? por Simoni Privato Goidanich

Por que estudar O livro dos médiuns?

Simoni Privato Goidanich

Artigo publicado na Revista A senda (nov-dez 2019), da Federação Espírita do Estado do…

Últimas atividades

LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Medo da Morte? de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
"Confiança em Deus. Há sempre um amanhã, diz o poeta. Você pode esperar. Um lindo amanhã há chegar. Há sempre um amanhã, pra quem vive a sofrer, não custa esperar, você vai ver. E…"
2 horas atrás
Nilton Cardoso Moreira comentou a postagem no blog Não temos para onde fugir de Nilton Cardoso Moreira
"Muito bem colocado amigo Virgilio. Obrigado pelo comentário."
ontem
Codificador do Paracleto curtiu a postagem no blog Deus é um imenso “inexistir”? (Jorge Hessen) de os pae
terça-feira
Virgilio Augusto Esteves comentou a postagem no blog Não temos para onde fugir de Nilton Cardoso Moreira
"Nem a folha da árvore cai sem a permissão de Deus Pai. Acaso é termo Materialista"
terça-feira
Virgilio Augusto Esteves curtiu a postagem no blog Não temos para onde fugir de Nilton Cardoso Moreira
terça-feira
Virgilio Augusto Esteves curtiu a postagem no blog Não temos para onde fugir de Nilton Cardoso Moreira
terça-feira
Elton Santos da Costa comentou a postagem no blog Na Escola Terrestre - (Mensagem psicografada por Wagner Paixão, em 18 abril de 2020) de Amigo Espírita
"Gratidao por essa mensagem tão esclarecedora."
terça-feira
jose carlos neofiti curtiu a postagem no blog Na Escola Terrestre - (Mensagem psicografada por Wagner Paixão, em 18 abril de 2020) de Amigo Espírita
segunda-feira
Amauri A. L. Silva curtiu a postagem no blog Não temos para onde fugir de Nilton Cardoso Moreira
segunda-feira
os pae curtiu a postagem no blog Deus é um imenso “inexistir”? (Jorge Hessen) de os pae
segunda-feira
Posts no blog por Nilton Cardoso Moreira

Não temos para onde fugir

            Neste momento de dificuldade que estamos todos passando e que o maior atingido na insegurança é o rico, pois que…Ver mais...
segunda-feira
Amigo Espírita agora é amigo de WAGNER RICARDO FERNANDES, Val Sousa, Marlene Costa e Tania Maria Fonseca
segunda-feira

Regras de uso e de publicação

 

 

© 2020   Criado por Amigo Espírita.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço