O alerta sobre a ocorrência de transformação de nosso planeta já foi anunciado por várias culturas, desde épocas imemoriais. Ao interpretarmos mensagens deixadas por diversas civilizações, nos mais díspares recantos do mundo, encontramos sempre os mesmos traços de semelhança entre eles. 

Tanto quanto as referências universais sobre ocorrências comuns a várias culturas como o dilúvio, a referência aos continentes perdidos, a citação de seres dotados de conhecimento avançado apesar da reduzida elevação moral estão presentes em lendas e mistérios constantes em toda nossa ancestralidade. 

Conhecimentos aplicados em regiões geograficamente isoladas não encontrariam explicação outra que não a identidade e a origem comum destes povos. Cito o exemplo mais corriqueiro, a semelhança inconteste entre monumentos construídos na América do Sul e Central e nordeste da África, pelas civilizações astecas, toltecas, incas e maias na América e os egípcios. A semelhança entre esculturas de pedra na Inglaterra e na Ilha da Páscoa, respeitando a diferença de figuras mas provavelmente oriundas da mesma técnica.

Cito as semelhanças acima apenas para reafirmar a possível origem comum entre as diversas formas que as várias culturas humanas encontraram para transmitir, inicialmente pela tradição da oralidade, seus conhecimentos. Nossas lendas, tradições, nossos textos sagrados ancestrais possuem semelhanças tantas que nos permitem afirmar, com folgada margem de acerto, serem derivadas da mesma fonte.

E é desta mesma fonte que verte a informação (ou se preferirem, profecia) de que, em determinado momento, a humanidade passaria por um estágio evolutivo tão previsível quanto o crescimento de uma criança e sua transformação em adulto.

E todas as lendas, os relatos, as profecias, os estudos, convergem para nosso tempo. Os mais pessimistas preferem acreditar em catástrofes, destruições. Os mais racionais, em um estágio de depuração, o bom e velho "separar o joio do trigo", como já nos dizia o Mestre.

De certezas, carreguemos a necessidade de esquecimento dos velhos hábitos e vícios, do abandono do velho homem para o surgimento do novo homem. E que possamos estar, cada vez mais, preparados para a hora que se aproxima.

Exibições: 351

Respostas a este tópico

Olá Regina,

ótimo texto e não poderia ser diferente a transição de um mundo de provas e expiações para um mundo de regeneração. E esta transição já vem ocorrendo de maneira natural, sem atropelos. É comum verificar vários artigos espíritas informando que os maremotos, terremotos, tsunamis, vulcões, representam movimentos desta transição. Não podemos afirmar isto. Como também não podemos afirmar que estes movimentos do globo estão aumentando. Não existe um dado estatístico, científico que comprove isto. Na realidade o que temos hoje são mais dados, mais conhecimentos, mais informações sobre estes fenômenos do que antes. Aliás, estes fenômenos, longe de atestarem o fim do mundo, vem informar-nos que a Terra continua viva. No dia em que não tivermos mais maremotos, terremotos, significará que o planeta Terra chegou ao fim de seu ciclo, com o esfriamento de seu interior. Por isso, ainda bem que existem esses fenômenos e que continuarão a existir por alguns bilhões de anos, até a morte térmica do planeta Terra. Kardec foi de uma coerência fantástica, e vejo hoje muitos articulistas escreverem sem uma análise criteriosa. Enfim, o Criador utiliza dos fenômenos geológicos, que estão dentro da lei de destruição, para promover o progresso das criaturas. 

Voce bem lembrou da separação do joio e do trigo. Ainda é necessário que o menos bom, permaneça ao lado do bom para que o menos bom melhore e o bom evolua pelo auxílio. Outro ponto é que ficamos imaginando que isso irá ocorrer dentro de alguns anos, ou décadas. Mas como diz Emmanuel, Deus não usa de violência, mas utiliza o tempo para corrigir as criaturas.

abraços fraternos,

Eurípedes.

Interessante reflexão, Regina. 

Como todo bom texto faz pensar em muitas coisas. 

Uma delas foi o critério kardequiano para aferir a veracidade das mensagens espirituais. Aplicado à transição planetária.ele reforça o que já sabemos: estamos em plena transição. Aí entra uma observação. Não precisamos, a meu ver, nos prepararmos "para a hora que se aproxima", porque a hora é agora. 

O mais importante é nos libertarmos das discussões de momento, que nos dizem ser o mais importante a data da transição, os fenômenos que vamos atravessar, quem vai sobreviver, os mecanismos da seleção dos indivíduos, as formas de transporte dos emigrantes.

Na minha opinião, nada disso é importante, essa discussão nos atola por nada. A prioridade absoluta é à nossa transformação. Esse é o foco desse grupo. E que bom que suas idèias vão nesse mesmo sentido. Parabéns e abraços!. 

RSS

APLICATIVO RAETV

Nosso aplicativo para download gratuito no Google Play

COLABORE COM A RAE

PRÓXIMOS EVENTOS AO VIVO

Artigos Espíritas

A convivência familiar na pandemia.

A convivência familiar na pandemia.

 

A impermanência das situações existenciais necessita estar em  nossas reflexões .

Por quê?

Simples, porque as mudanças são uma realidade tão palpável quanto a morte.

De um momento para o outro, por exemplo, podemos ter as nossas rotinas capturadas pelos mais variados motivos.

E o ano de 2020 escancarou…

HÁ AMOR NO QUE VOCÊ FAZ? - Nelson Xavier

HÁ AMOR NO QUE VOCÊ FAZ?

“Quanto mais eu escrevo, mais as palavras aparecem. Quanto mais eu vivo, mais a vida me esquece.

Quanto mais eu choro, mais as lágrimas descem. Quanto mais eu amo,…

Reflexões sobre as Leis Naturais.

Reflexões sobre as Leis Naturais.

 

Quando se inicia o estudo da Lei Divina ou Natural, que consta em O Livro dos Espíritos, percebe-se que Kardec, na elaboração das perguntas aos Espíritos, objetiva eliminar as contradições…

E quando o desequilíbrio da saúde mental destrói o futuro... (Artigo de Jane Maiolo)

E quando o desequilíbrio da saúde mental destrói o futuro...

 por Jane Maiolo

Por que estamos nós…

Por que nos sentimos mal em determinados ambientes?

Por que nos sentimos mal em determinados ambientes?

 

Wellington Balbo – Salvador BA

 

Você já esteve em ambientes em que se sentiu mal, constrangido, pouco à…

Últimas atividades

Hilton Cesar respondeu à discussão Mediunidade - dom ou castigo? de Bárbara Martins de Castro
"Médiuns somente os são, os que possuem a faculdade de sentir a influência do mundo espiritual, de forma nítida e ostensiva. O Livro dos Médiuns » Segunda parte - Das manifestações…"
8 horas atrás
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Os “bons” são tímidos (LE q. 932) até na Universidade de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
"Quando o bom não é tímido pode ser reprovado, mas constrói o passado para ser lembrado com profundo respeito. Parabéns Brasílio Marcondes Machado. A tese de Machado foi apresentada no dia 29 de agosto de…"
ontem
Luciano Franco Ramos entrou no grupo de Amigo Espírita
Miniatura

Joanna de Ângelis e Divaldo Franco

Grandes Ensinamentos que iluminam e esclarecem.Grupo destinado aos ensinamentos do médium Divaldo Franco e da Benfeitora Joanna de Angelis. Ver mais...
ontem
MARIO FONTES respondeu à discussão FACULDADE DE FILOSOFIA ESPÍRITA de MARIO FONTES
"Excelente descrição João Nodari"
domingo
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Médiuns. 171. de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
"“Sandálias Douradas”.  Credibilidade é fundamental. Alguns médiuns ganham credibilidade, mas são infectados pelo orgulho e/ou vaidade. Fator complicador - obsessão. A entidade passa a exercer…"
sábado
Antonio Carlos G. Sarmento e Edileuza R. Rodrigues agora são amigos
sábado
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Os “bons” são tímidos (LE q. 932) até na Universidade de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
" Sincera solidariedade agrega, solidariedade forçada segrega. O humanista de boutique precisa do preconceito. É o oxigênio vital dele, diz jornalista em Hipocrisia in…"
sexta-feira
augusta curtiu a postagem no blog Amor antigo - Alma afim. de Nilton Cardoso
3 Ago
augusta curtiram o perfil de Nadia Rosangela
3 Ago
ANDREA REGINA DE SA curtiram a discussão FACULDADE DE FILOSOFIA ESPÍRITA de MARIO FONTES
3 Ago
LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA comentou a postagem no blog Os “bons” são tímidos (LE q. 932) até na Universidade de LUIZ CARLOS DUARTE FORMIGA
"Ao tentar processar o Porta dos Fundos, por retratar Jesus como um gay, igreja teve um prejuízo de R$ 82…"
1 Ago
Madelon Fonseca curtiram a discussão Reflexões sobre as Leis Naturais. de Wellington Balbo
31 Jul

Regras de uso e de publicação

 

 

© 2020   Criado por Amigo Espírita.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço